Desperdício de dinheiro público!

Governo da Prefeita Eliene Nunes Joga dinheiro no ralo em obra que não deu certo 2 vezes (Ponto de Moto-taxi).

AÇÃO SORRISO!

Ajudando A Criar Um Mundo Melhor!

Valmir Climaco, Trabalhando Para Desenvolver a Região!

Bela Orla, calma e serena!

Uma das mais lindas paisagem desta região, o Rio Tapajós!.

7 de abril de 2020

CORONAVOUCHER - CAIXA LANÇA SÍTIO E APLICATIVO PARA SOLICITAR AUXÍLIO

Terão direito ao benefício, que será pago por até três meses, trabalhadores informais, desempregados, MEIs e contribuintes individuais do INSS, que cumpram requisito de renda média.

Por G1

A Caixa Econômica Federal disponibilizou nesta terça-feira (7) o site e o aplicativo por meio do qual informais, autônomos e MEIs podem solicitar o auxílio emergencial de R$ 600.

O aplicativo deve ser usado pelos trabalhadores que forem Microempreendedores Individuais (MEIs), trabalhadores informais sem registro e contribuintes individuais do INSS. Aqueles que já recebem o Bolsa Família, ou que estão inscritos no Cadastro Único, não precisam se inscrever pelo aplicativo. O pagamento será feito automaticamente. (Clique aqui para ver como saber se você está no Cadastro Único).

Clique aqui para fazer a inscrição pelo site: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio

Clique aqui para baixar o aplicativo para celulares Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.caixa.auxilio

Clique aqui para baixar o aplicativo para iOS (celulares Apple): https://apps.apple.com/br/app/caixa-aux%C3%ADlio-emergencial/id1506494331

Os trabalhadores que não tiverem acesso à internet poderão fazer o cadastro nas agências da Caixa ou nas casas lotéricas.

A Caixa também disponibilizou o telefone 111 para tirar dúvidas dos trabalhadores sobre o auxílio emergencial. Não será possível se inscrever pelo telefone, apenas tirar dúvidas. Na manhã desta terça, o G1 tentou contato, mas o sistema estava indisponível.


Página de abertura - solicitação de auxílio emergencial de R$ 600 — Foto: Reprodução

O benefício será pago a trabalhadores informais, autônomos e MEIs.


Será preciso se enquadrar em uma das condições abaixo:

  • Ser titular de pessoa jurídica (Micro Empreendedor Individual, ou MEI);
  • Estar inscrito Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal até o último dia dia 20 de março;
  • Cumprir o requisito de renda média (renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, e de até 3 salários mínimos por família) até 20 de março de 2020;
  • Ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social.
Além disso, todos os beneficiários deverão:

  • Ter mais de 18 anos de idade;
  • Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
  • Ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família;
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.
  • A mulher que for mãe e chefe de família, e estiver dentro dos demais critérios, poderá receber R$ 1,2 mil (duas cotas) por mês.
Na renda familiar, serão considerados todos os rendimentos obtidos por todos os membros que moram na mesma residência, exceto o dinheiro do Bolsa Família.

6 de abril de 2020

SEU DINHEIRO - BANCOS PODEM RENEGOCIAR DÍVIDAS. VEJA COMO SOLICITAR

Caixa recebeu 1 milhão de pedidos de negociação de crédito imobiliário, informa Febraban - © Giovanna Romano/VEJA

Clientes bancários já fizeram mais de dois milhões de pedidos para a prorrogação de empréstimos e financiamentos a instituições financeiras, informou nesta segunda-feira, 6, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). Ao todo, o montante de parcelas postergado em 60 e 90 dias é de 200 bilhões de reais.

A possibilidade de flexibilizar prazo de pagamento de dívidas para mitigar os danos ao bolso do brasileiro durante a crise do coronavírus foi autorizada em meados de março pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que determinou que bancos deem a opção de suspender até duas prestações de financiamento de imóveis e veículos por 60 dias, além da negociação de outras dívidas.

Durante o período de pausa será mantida a mesma taxa de juros, sem a cobrança de multa. Ressalta-se que as parcelas não irão se sobrepor. O cliente que optar pela suspensão terá as parcelas não pagas jogadas para o fim da prestação normal. Os pedidos podem ser realizados pelos canais eletrônicos, como internet banking e a central de atendimento telefônica.

Segundo a Febraban, quem mais processou pedidos foi a Caixa, com 1 milhão de negociações de contratos habitacionais. O Bradesco recebeu 635 mil pedidos, o Banco do Brasil outros 200 mil; O Itaú recebeu 302,3 mil e o Santander 80,9 mil.

Veja a seguir como solicitar a pausa para o pagamento de financiamento e empréstimos:

Caixa Econômica Federal

Na Caixa, a prorrogação se dá para contratos habitacionais pessoa física ou pessoa jurídica. Há, no entanto, uma exceção. Nos casos em que o cliente esteja utilizando o FGTS para pagamento das prestações mensais não será possível solicitar a pausa. Essas condições também são oferecidas para clientes que possuem operação de Home Equity – Crédito Imóvel Próprio.

Nesse caso, é necessário já ter pago ao menos 11 parcelas. Para pessoas físicas, o serviço de pausa estendida, que está sendo oferecido em caráter emergencial, pode ser acessado por meio do aplicativo móvel Habitação Caixa; pelo WhatsApp, pelo telefone 0800-726 8068; ou pelo Telesserviço (telefones 3004-1105 para capitais ou 0800-726 0505 para demais cidades), de segunda a sexta feira, das 8h às 20h. Já para os contratos habitacionais com pessoas jurídicas, o cliente deverá entrar em contato com seu gerente para formalizar a solicitação. Os financiamentos e empréstimos podem ser prorrogados por até 90 dias.
Itaú 

O pedido pode ser feito por meio das centrais de atendimento da instituição financeira. Para veículos, em capitais e regiões metropolitanas pelo país, o número de telefone é o mesmo: 4002-0234. Nas demais localidades, basta ligar para 0800-729-0234. Já para solicitar a prorrogação para financiamentos imobiliários, o atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 21h, pelo 4004-7051, para capitais e regiões metropolitanas. Moradores de demais localidades devem entrar em contato com o banco pelo 0300-789-7051.

Santander

O Santander lançou um portal para orientar os clientes interessados em solicitar a prorrogação do vencimento de dívidas. Por enquanto, a iniciativa abrangerá algumas linhas de crédito pessoal, preventivo, direto ao consumidor e imobiliário. Veículos e bens financiados pela Santander Financiamentos fora da rede de agências não foram incluídos na medida. Além disso, o banco está ampliando em 10% o limite do cartão de crédito de todos os clientes adimplentes. Todos os clientes, correntistas do banco ou não, que estão em dia com as faturas de seus cartões terão os limites ampliados nos próximos dias. Para saber se a alteração já foi feita, basta utilizar o aplicativo de gestão de cartões Santander Way, via celular ou tablet. Os clientes com parcelas de dívidas vencidas e não pagas desde o último dia 16 de março de 2020, ou que tenham prestações a vencer até 15 de maio, poderão ter o prazo para o pagamento automaticamente prorrogado por até 60 dias, sem qualquer acréscimo.

Bradesco

O banco renegocia pelo site e aplicativo crédito pessoal, parcelamento de cheque especial. reorganização financeira, microcrédito produtivo orientado. O valor postergado será diluído nas prestações restantes. No caso de financiamentos imobiliários, o banco pede ao cliente telefonar a central de atendimento para negociar a prorrogação de parcelas. No caso de crédito consignado, não há suspensão, já que o desconto é feito diretamente na folha de pagamento.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil oferece linhas de Crédito Direto ao Consumidor (CDC) com condições especiais para aquisição de um novo empréstimo pessoal ou renegociação de um já existente. As carências para pagamento da primeira ou da parcela seguinte variam de acordo com 60 e 180 dias, de acordo com o produto escolhido. O cliente também pode requisitar o chamado Pula Parcela e, assim, flexibilizar o cronograma de pagamento da prestação, ficando de um a dois meses sem pagar as prestações. As solicitações podem ser feitas pelo aplicativo do banco, site ou central de atendimento. A negociação também vale para crédito imobiliário.
Linha de crédito para pequenas empresas

Segundo a Febraban, os bancos passaram a disponibilizar, a partir desta segunda, o crédito para financiar a folha de pagamento de pequenas e médias empresas com faturamento de10 milhões de reais. A Medida Provisória que criou a linha de crédito foi publicada na sexta-feira. Com isso, o Governo dispõe de 34 bilhões de reais vindos do Tesouro e os bancos entram com mais 6 bilhões em recursos. Segundo a Febraban, a estimativa é que a medida beneficie até 1,4 milhão de empresas e 12,2 milhões de trabalhadores. Os recursos serão concedidos à taxa fixa de 3,75% ao ano.

Por Larissa Quintino  (MSN)

CORONAVOUCHER - VEJA COMO ACESSAR O AUXÍLIO EMERGENCIAL

© Divulgação Trabalhadores com carteira assinada não terão acesso ao benefício emergencial; outro programa atende o grupo

O auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais atingidos pela quarentena do coronavírus foi sancionado nesta quarta-feira (1). A previsão é de que comece a ser pago já na semana que vem, segundo o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (2), por meio dos bancos federais como a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e bancos privados, além das lotéricas e Correios. O crédito extra, referente ao pagamento desse auxílio, será feito via Medida Provisória que ainda não foi editada pelo governo federal.

Trabalhadores informais, sem emprego fixo, que não estejam recebendo benefício previdenciário ou seguro-desemprego poderão receber o auxílio emergencial. Mais de 30 atividades serão atingidas pelo auxílio, como taxistas, motoristas de aplicativos, catadores de materiais recicláveis e de agricultura familiar, pescadores artesanais, músicos, vendedores ambulantes, cabeleireiros, manicures, entre outros profissionais.

Vale atentar para alguns pontos antes de receber o auxílio. Os trabalhadores intermitentes, que prestam serviço apenas alguns dias na semana, poderão acessar o auxílio desde que tenham uma renda familiar entre meio salário mínimo (R$ 522,50) e três salários (R$ 3.135). Quem teve renda tributável acima de R$ 28.559,70, em 2018, não poderá acessar o benefício.

Beneficiários do Bolsa Família, que já possuem cartão de recebimento do governo, serão os primeiros a acessar o auxílio de R$ 600. Após as três parcelas de recebimento emergencial, os valores voltarão a variar entre R$ 89 e R$ 178, mais bônus por filho.

Em seguida, os trabalhadores informais que estão no Cadastro Único receberão os pagamentos. OS MEI e autônomos, que contribuem para o INSS recebem em seguida e os informais não cadastrados serão os últimos.

Veja os requisitos para o recebimento do auxílio emergencial

– Ser maior de 18 anos;

– Não ter emprego com carteira assinada (a regra para este grupo é outra e pode ser compreendida aqui);

– Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda que não seja o Bolsa Família;

– Ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal de até três salários (R$ 3.135,00);

– Não ter recebido rendimentos tributáveis, em 2018, acima de R$ 28.559,70.

– Será preciso exercer a atividade profissional como MEI; ser contribuinte individual ou facultativo no regime previdenciário; ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único (CadÚnico);

– Mulheres que chefiam a família, as mães solteiras (monoparental), receberão até R$ 1,2 mil. Pais solteiros e mães adolescentes foram incluídos no texto do Senado e ainda precisam de autorização da Câmara;

– Às famílias que estejam no Bolsa Família só será permitido duas pessoas acumulem os benefícios: um receberá o pagamento emergencial e o outro o recebimento do programa do governo. Além disso, apenas duas pessoas por família poderão receber o auxílio emergencial.

Como saber se estou no Cadastro Único?

Basta acessar o portal do CadÚnico e preencher as informações pedidas. É possível baixar o aplicativo do CadÚnico ou ligar no número 0800 707 2003, de segunda a sexta-feira, das 07 às 19h, e aos finais de semana e feriados o horário de atendimento será das 10h às 16h.

O auxílio vai durar quanto tempo?

A ideia é que os pagamentos sejam feitos em no máximo três meses, podendo durar enquanto o período de quarentena ainda estiver vigente no País. O Congresso mudou a ideia de pagar três meses e acabar afetando aqueles que tenham problemas com o Cadastro Único, ou não tenham conseguido autodeclaração no sistema do governo. Com isso, serão feitas três parcelas de R$ 600 por mês.

Fonte: MSN

3 de abril de 2020

BBB - PRIOR, HERÓI DE ALGUNS FAMOSOS BRASILEIROS, É ACUSADO E DE ESTUPRO

Marie Claire teve acesso exclusivo a um documento que acusa formalmente o ex-BBB de violentar mulheres entre os anos de 2014 e 2018. Conversamos com as vítimas e suas advogadas, que explicam o caso. Procurado pela reportagem, Felipe não quis se posicionar, e sua assessoria negou os fatos11 min de leitura

NATACHA CORTÊZ, COM COLABORAÇÃO DE KELLEN RODRIGUES

Na madrugada de 9 de Agosto de 2014, Themis (aqui protegida por um pseudônimo), hoje com 27 anos, foi a uma festa na USP que comemorava os jogos universitários das faculdades de arquitetura e urbanismo do estado de São Paulo, chamados de InterFAU. Ao final do evento, "pré-InterFAU", ela e uma amiga, que chamaremos de Atena, aceitaram a carona oferecida por Felipe Antoniazzi Prior, à época aluno do curso de arquitetura da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Themis disse se encontrava "bastante alterada" na ocasião pois havia consumido bebida alcóolica. Segundo ela, Felipe teria deixado Atena em casa, e minutos depois, parado o carro na rua e desligado o motor. Neste momento, teria se lançado sobre Themis e começado a beijá-la, passando a mão pelo seu corpo. Em seguida, a arrastou para o banco de trás do veículo.

ALERTA DE GATILHO: a partir daqui os relatos podem ser fortes. Há detalhes de estupro e violência sexual.
Marie Claire teve acesso exclusivo a um documento que acusa formalmente o ex-BBB de violentar mulheres entre os anos de 2014 e 2018. Conversamos com as vítimas e suas advogadas, que explicam o caso. Procurado pela reportagem, Felipe não quis se posicionar (Foto: Karen Ka)

Conforme depoimento que Themis concedeu às suas advogadas e presente na notitia criminis (protocolada no Departamento de Inquéritos do Fórum Central Criminal em 17 de março de 2020 por Maira Pinheiro e Juliana de Almeida Valente a fim de dar início a uma investigação criminal), ao qual Marie Claire teve acesso exclusivo, Felipe tirou a roupa dela e abriu a própria calça, deixando seu genital para fora. Devido à embriaguez, ela não conseguia oferecer resistência física, mas disse que falou não a ele muitas vezes, deixando claro que não queria ter relações sexuais. Felipe teria reagido dirigindo-se a ela aos gritos, dizendo “para de ser fresca, no fundo você quer, não é hora de se fazer de difícil” e, diante das seguidas negativas de Themis, insistido: “quer sim”. Neste momento, Felipe teria estuprado Themis.


Themis relatou que a violência do ato foi tamanha que causou uma laceração em seu lábio vaginal esquerdo, o que fez com que rapidamente sua roupa, o banco do carro e a roupa de Felipe ficassem ensanguentados. Por causa da dor, começou a chorar. Isso teria feito Felipe parar, ela acredita. Como a quantidade de sangue era grande, ele perguntou se ela queria ser levada ao hospital. Themis respondeu que queria ir para casa e "mais nada". Felipe assentiu, seguiu viagem, a deixou no portão de sua residência e foi embora.

Naquela mesma madrugada, Themis foi ao hospital acompanhada da mãe que pediu para ver o ferimento e notou "um corte de cerca de três dedos de comprimento na região genital, profundo o suficiente para chegar até o músculo", como consta no documento. Precisou vestir uma fralda geriátrica para conter o sangramento e à mãe não quis dar detalhes do acontecido. No hospital, foi atendida por três médicas, para as quais também escondeu a violência que havia sofrido. Diante da pergunta de uma delas de “quem fez isso?”, Themis falou que havia sido um namorado. Em casa, ficou uma semana de cama, precisando de ajuda para andar e ir ao banheiro. Diz que teve dificuldade de abordar o estupro nas tentativas de começar um tratamento psicoterápico. Conta ainda que, cerca de um ano após o estupro, passou a vivenciar crises de pânico e precisava de apoio para ir e voltar do trabalho, tinha crises de choro no meio da rua e não conseguia sair do lugar. Em vários desses momentos, tinha flashes do estupro.


"Tudo para mim se resume a uma grande agonia no peito", disse Themis a Marie Claire em uma conversa por telefone. Simplesmente coloquei a violência que sofri debaixo do tapete por seis anos. Achei que não lidando com ela, sumiria em mim. Atrasei dois anos da minha faculdade por causa do estupro. Tranquei todas as matérias do curso porque vê-lo todos dias era torturante. Ele é um cara impulsivo, agressivo. O que mostrou no BBB não chega perto do que é na vida real. Tenho medo do que pode fazer, mesmo diante de uma acusação formal, com advogada e tudo. Mas não posso mais guardar esse mal para mim”, afirmou.

Ainda de acordo com o documento, durante os jogos InterFAU de 2016, no município de Biritiba Mirim, Felipe teria praticado o crime de tentativa de estupro contra a estudante Freya (também aqui sob pseudônimo), hoje com 24 anos. Segundo depoimento dela, ele se aproveitou de seu estado de embriaguez e a persuadiu a ingressar em sua barraca no camping dos jogos universitários após abordá-la em uma festa. Na barraca, aconteceram as tentativas de estupro - ela relata que Felipe tentou penetrá-la no ânus por duas vezes e, diante da negativa, disse com temor “Eu não quero! Não quero!” - a conteve fisicamente usando de sua força. Diz ainda que o estupro não foi consumado porque o empurrou usando os braços e pernas e conseguiu fugir. Apesar de ter entrado na barraca do acusado, Freya diz que quando percebeu que não havia camisinha para o sexo, se recusou veementemente a continuar a relação. Mas ele insistiu usando força física.

"Quando começou o BBB, vi um tuíte de uma garota que dizia que o Felipe tinha fama de assediador no Mackenzie. Foi quando entendi que a violência que sofri não era única. Mandei uma mensagem para garota e disse a ela que se aparecessem mais vítimas, me manifestaria. Dessa forma encontrei Themis, que me contou que além do estupro, tinha um boletim médico comprovando a laceração em seu genital", disse Freya a Marie Claire também em entrevista pelo telefone. A partir desse encontro, decidiram agir.

Nos jogos InterFAU de 2018, realizados no município de Itapetininga, Felipe teria cometido outro estupro. Dessa vez contra Ísis (também sob pseudônimo), 23 anos atualmente, de novo prevalecendo-se do estado de embriaguez dela. O relato é parecido com os anteriores. De acordo com Ísis, Felipe a chamou "com muita insistência" para entrar em sua barraca, onde iniciou relações sexuais com ela de maneira consentida. No entanto, após ele passar a agir de maneira agressiva, Ísis verbalizou que queria parar, o que não surtiu efeito. Segundo o documento obtido por Marie Claire, o acusado desferiu tapas no rosto e por todo o corpo de Ísis, mesmo depois de ela dizer que estava sentindo dor e, por diversas vezes, que desejava interromper a dinâmica. Chegou a chorar, conta, mas ele disse que não a deixaria sair dali. A uma certa altura, a teria colocado deitada de barriga para baixo e se pôs sobre seu corpo, de forma que ficasse imobilizada no chão. Mesmo após terminar o ato sexual, a empurrou e puxou fazendo com que ela caísse sobre o colchão e que não conseguisse se desvencilhar da situação. Ela apenas conseguiu sair de dentro da barraca depois que ele caiu no sono ao amanhecer. Naquele noite, na barraca ao lado, duas testemunhas escutaram Ísis chorar e pedir que o acusado parasse. "Uma voz feminina chorando. A voz dizia 'Para, tá me machucando' e continuava chorando." Essas testemunhas sustentam a versão de Isis no documento da acusação.

"As meninas que moram comigo gostam de assistir BBB. Imagina ter que ver a cara dele todo dia? Mas ao mesmo tempo, foi importante para que eu pensasse no passado. Eu achava que ia superar pelo esquecimento. E vê-lo na TV me despertou muitos gatilhos e medo de me relacionar com homens", afirmou Ísis a Marie Claire.

A maneira reiterada e habitual com que Felipe incorria nesse tipo de conduta levou à deliberação por parte da comissão organizadora do InterFAU do impedimento de seu acesso ao ambiente dos jogos universitários. O relato da violência sofrida por Ísis foi determinante para essa decisão. Segundo Maira, a advogada das vítimas, seu caso foi reportado à comissão Antiopressão do InterFAU, sem grandes detalhes, ainda durante os jogos. Na reunião de fechamento, em outubro de 2018, foi novamente mencionado, juntamente com outros relatos de assédio por estudantes de outras faculdades e, em face disso, foi decidido que Felipe não poderia mais participar dos eventos relacionados aos jogos.

No entanto, até a entrada de Felipe na vigésima edição do Big Brother Brasil, ninguém prestou queixa oficialmente. As denúncias começaram a aparecer nas redes sociais em janeiro, indicando que ele teria tido um mau comportamento durante o período da faculdade, especialmente contra as mulheres. O InterFAU foi questionada nas redes conforme mostra o tuíte de @morestydia, publicado no dia 27 de março. Em resposta à usuária, o InterFAU escreveu: "Temos ciência do que está acontecendo e nos pronunciaremos no momento certo". Tentamos contato com o InterFAU, que não se pronunciou até o fechamento deste texto.
Print do tuíte de @morestydia (Foto: Reprodução Twitter)

Apesar do apoio de Neymar - que segundo a coluna da jornalista Patricia Kogut o convidou para assistir a um jogo do Paris Saint-Germain, na França -, do Corinthians e de outros perfis famosos, Felipe foi eliminado do programa na última terça-feira, 31 de março, com 56,73% dos votos. Sobre as acusações contra o participante, a Comunicação da Rede Globo informou à reportagem de Marie Claire, que no Brasil é publicada pelo mesmo grupo: "A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, como se percebe diariamente em seus programas jornalísticos e mesmo nas obras do entretenimento, e entende que cabe às autoridades a apuração rigorosa de denúncias como estas".LEIA TAMBÉM

O trâmite da acusação

A criminalista Maira Pinheiro explica como chegou às histórias de estupro e por que foi importante reunir testemunhas para formar a denúncia. "Esse trabalho começou no final de janeiro, a partir da conversa com a primeira vítima. Conforme tivemos informações sobre a existência de outras, percebemos que, para que os fatos fossem relatados com a devida profundidade e complexidade, teríamos que fazer uma investigação defensiva abrangente. E assim chegamos à segunda e à terceira vítimas e às demais testemunhas. Tivemos, inclusive, notícia de pelo menos uma outra, que acabou preferindo não depor." Além de Maira, a advogada Juliana de Almeida Valente também representa Themis, Freya e Ísis.

No Brasil, o crime de estupro consta no artigo 213 do Código Penal e consiste em: constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso. O estupro é tipificado como crime hediondo e é válido mediante violência real (agressão) ou presumida (praticado contra menores de 14 anos, alienados mentais ou pessoas que não possam oferecer resistência). Atualmente, a pena é de 6 a 10 anos de reclusão, aumentando para 8 a 12 anos quando há lesão corporal da vítima.

Sobre o fato das mulheres não terem registrado boletim de ocorrência na ocasião dos crimes, Maira diz: "Precisamos entender que lidamos com vítimas reais e não ideais. Acompanhando esse tipo de caso cotidianamente, percebemos que infelizmente é comum que entre a ocorrência da violência e a decisão de denunciar, passe um certo tempo. Isso tem a ver com o tratamento revitimizador que muitas dessas mulheres recebem junto às instituições, à falta de apoio de amigos e familiares e, de maneira geral, com a cultura do estupro, que normaliza situações de violência sexual e não cultua a valorização do consentimento. Todas as vítimas relataram sentimentos de culpa após os fatos. Isso é emblemático, pois revela como, diante desse tipo de caso, o senso comum tende a focar mais numa suposta 'responsabilidade' da vítima em não ser capaz de evitar os atos do agressor."

Ainda em relação à investigação por parte da acusação, Maira afirma que, infelizmente, a violência sexual investida contra as mulheres no ambiente universitário é algo comum. "No processo de pesquisa, encontramos diversos estudos sobre violência sexual no contexto universitário. Em todas as faculdades, nos mais diversos torneios universitários ou em festas, acontecem casos assim. É preciso pensar ações voltadas não só ao acolhimento de vítimas depois que os atos de violência e assédio acontecem, mas em ações de caráter preventivo que promovam uma reflexão profunda sobre questões relacionadas à masculinidade, ações direcionadas aos possíveis agressores, que, na maioria das vezes, sequer compreendem (ou estão dispostos a compreender) que suas ações podem ser vividas como graves e inesquecíveis atos de violência."

As advogadas entraram com um pedido de medidas cautelares para que Felipe fosse proibido de manter contato com as vítimas e testemunhas por qualquer meio de comunicação, inclusive por terceiros e internet. A solicitação foi acolhida pela Promotoria de Justiça do Estado de São Paulo e aguarda julgamento. Como os crimes aconteceram em três cidades diferentes, a investigação poderá ser realizada por um grupo especializado do Ministério Público ou se desdobrar em até três inquéritos policiais diferentes.


A reportagem procurou Felipe Antoniazzi Prior para que ele respondesse às acusações. O primeiro contato com seu assessor de imprensa foi feito na quarta-feira, 1 de abril. Em uma mensagem de texto, pedimos um número de telefone para apresentar as denúncias. Diante da ausência de resposta, a reportagem enviou o conteúdo das denúncias em mensagens privadas para o WhatsApp do assessor às 11h da manhã da quinta-feira, dia 2. Diante do novo silêncio, ligou insistentemente em seu telefone celular. A resposta do assessor veio por WhatsApp às 12h40. "Isso aí é mentira” escreveu. Diante da insistência para que respondesse às acusações, o assessor respondeu: "acho que agora não", e logo depois "assim que eu entrar em contato com a família eu te aviso". Marie Claire deu o prazo um dia para que o assessor ou o próprio Felipe se manifestassem formalmente diante das acusações, o que não aconteceu, apesar das tentativas da reportagem. Um novo foi contato foi feito nesta sexta-feira pela manhã, avisando da iminência da publicação - outra vez sem resposta.

As polêmicas no BBB 20

Felipe Antoniazzi Prior nasceu em junho de 1992 em São Paulo, onde cresceu e vive até hoje. Aos 17 anos, ingressou no curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie e concluiu a graduação em 2014. Atualmente, aos 27, é sócio de uma construtora e de uma pizzaria na zona norte da capital paulista. Felipe mora com os pais, Fátima Cristina Prior e Edmir Prior, e tem um irmão mais velho, Fábio Prior.

O arquiteto é um dos personagens mais polêmicos do BBB 20. Logo no início do programa, o grupo formado por ele, Hadson, Guilherme, Lucas e Petrix foi acusado de machismo por parte do público após Hadson criar um plano para fazer com que algumas participantes comprometidas traíssem seus parceiros. A estratégia do quinteto deu errado e os amigos foram eliminados, restando apenas Felipe.

Com a saída dos amigos, ele passou a ser o principal alvo das colegas para os paredões e foi escolhido por Ivy para ocupar o quarto branco - um cômodo isolado da casa. Felipe escolheu Gizelly, com quem trocou beijos em uma festa, e Manu Gavassi para dividir o espaço e disputar um possível paredão.

Em sua participação, o arquiteto se envolveu em algumas brigas e chegou a afirmar que grita “até com a própria mãe”. Entre seus rivais estavam Pyong Lee e Daniel. Nas últimas semanas de jogo, Felipe ficou mais próximo de Babu. A aliança entre eles conquistou a simpatia de parte do público e ele se tornou um dos favoritos ao prêmio. O paulistano foi eliminado no dia 31 de março com 56,73% dos votos em uma disputa com Manu Gavassi e Mari Gonzalez. O embate foi recorde de votação na história do programa, somando mais de 1,5 bilhão de votos.

1 de abril de 2020

PADRE FÁBIO DE MELO: CUIDADO, NESSE PERÍODO DE ISOLAMENTO, COM A EXPOSIÇÃO DESNECESSÁRIA

Não é hora de exibir os confortos que desfrutamos, diz padre Fábio de Melo

O padre Fábio de Melo usou seu perfil no Instagram nesta terça-feira, 31, para refletir sobre o isolamento social em tempos do novo coronavírus.

Diante das tantas publicações de personalidades sobre 'em casa', o religioso avalia que é preciso ter cuidado com o que as pessoas tornam público sobre elas. "Não acredito que seja hora de exibir os confortos que desfrutamos na quarentena", afirma.

"Ainda que tudo seja resultado de trabalho honesto, isso pode gerar ainda mais sofrimento nos que vivem privados de coisas tão básicas e elementares. Há pessoas enclausuradas em espaços exíguos, desprovidas de conforto e dignidade. O nosso exibicionismo pode ser afronta a quem tão pouco tem", reflete.

Fábio de Melo constantemente publica seus pensamentos em relação à solidariedade e à pobreza. Recentemente, ele afirmou pelo Instagram que "não é a soma que nos enriquece, mas a divisão". Em outro momento, ele falou sobre a solidão: "sem nenhuma piedade, sem culpa e sem receio, ela nos reduz a nós mesmos."

30 de março de 2020

ITÁLIA - PADRE TRANSMITE MISSA NO FACEBOOK COM FILTROS ATIVADOS.

Padre transmitiu missa com filtros ativados. | Reprodução
Ouça esta reportagem 

Um padre viralizou ao transmitir pelo Facebook uma missa durante a quarentena imposta pela disseminação do coronavírus no país. As informações são do UOL.

Sem querer, o sacerdote deixou os filtros do aparelho celular ativados durante quase 50 minutos de celebração online.

Um vídeo que registrou um trecho da missa virtual, compartilhado nas redes sociais, já teve quase 7 milhões de visualizações no Twitter.

"Esse simpático padre levou sorrisos a muitos sem qualquer intenção. Deus age de formas estranhas", escreveu uma internauta.

O caso ocorreu na Itália, país mais afetado do mundo na pandemia de Covid-19, com mais de 7.500 mortes. 

O padre foi identificado como Paolo Longo, da igreja de San Pietro e San Benedetto di Polla, em Salerno (Itália).

Assista:
Com informações do UOL

BELÉM/PA - CARRO QUE COMANDOU CARREATA É APREENDIDO POR ATRASO NO LICENCIAMENTO E MULTAS

Veículo foi apreendido pelo Detran e o valor será revertido para compra de luvas e máscaras. Segundo o delegado geral, Alberto Teixeira, 11 pessoas foram autuadas e líderes da manifestação podem responder por formação de organização criminosa.

Por Taymã Carneiro, G1 PA — Belém
Motoristas são autuados em carreata contra o isolamento social no Pará. — Foto: Reprodução / Agência Pará

Um carro responsável por comandar a carreata pelo centro de Belém neste domingo (29) foi apreendido pelo Departamento de Trânsito do Pará (Detran-PA). Onze pessoas foram encaminhadas para a delegacia da Cremação, por descumprimento de decreto estadual. Segundo o delegado geral de Polícia Civil, Alberto Teixeira, o grupo deve assinar um termo de compromisso e os líderes do movimento podem ser presos por formação de organização criminosa.

Segundo o órgão, o veículo apreendido estava com licenciamento atrasado desde 2015, com acúmulo de multas acima de R$22 mil. O valor deve ser revertido em ações de combate à pandemia, como aquisição de 600 caixas com luvas e 3000 máscaras.

Outros três veículos foram apreendidos, entre eles uma caminhonete e uma moto, durante a operação que envolveu todos os órgãos de segurança do Estado.

A infração de medida sanitária preventiva está prevista no artigo 268 do Código Penal, e prevê detenção de um mês a um ano, e multa.

Líderes de manifestação podem ser presos por formação de organização criminosa. — Foto: Reprodução / Agência Pará

A manifestação teve cerca de 15 veículos e iniciou na praça da República, seguindo pela av. Nazaré. No percurso, motoristas fizeram buzinaço contra medidas de distanciamento social, impostas por decreto do Governo do Pará, para o combate ao novo coronavírus. Os manifestantes pediam a abertura total do comércio e suspensão das medidas de quarentena, contrariando recomendações das autoridades da área da saúde.

Manifestantes fazem carreata por fim de quarentena e são barrados pela polícia em Belém — Foto: Arthur Sobral/G1 PA

Durante o percurso, os manifestantes foram bloqueados na av. Magalhães Barata entre a avenida Alcindo Cacela e travessa Nove de Janeiro, em Frente ao Museu Emílio Goeldi, no bairro de São Brás, por viaturas da Polícia Militar, Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e do Departamento de Trânsito do Pará (Detran).

No último sábado (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez alerta sobre os riscos das aglomerações no momento e comentou as carreatas que foram realizadas pelo país. "Fazer movimento assimétrico de efeito manada agora... Nós vamos, daqui a duas semanas, três semanas, os mesmos que fizerem [carreata] vão ser os mesmos que vão estar em casa", disse em entrevista coletiva.

No vídeo acima, manifestante bolsonarista, que sempre pediu pela volta da intervenção militar, reclama da 'ditadura militar'. Vai entender esse povo.

"Além dos 11 detidos, 16 pessoas, proprietárias de veículos que estavam na carreata, foram enquadradas no artigo 174 do Código de Trânsito Brasileiro: participar na via como condutor em evento organizado sem permissão; uma por dirigir com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida e um por transitar com o veículo em mau estado de conservação", diz o estado, em um comunicado.

27 de março de 2020

ITAITUBA/PA - POR QUE A UPA NÃO É INAUGURADA?

Imagem: Blog
Desde o início da construção da  Unidade de Pronto Atendimento-UPA no primeiro governo de Valmir Climaco (de 2010 a 2012) pergunta-se o porquê da não inauguração dessa tão importante obra, que passou incólume pelo governo de Eliene Nunes (2013 a 2016), principalmente neste momento de pandemia pelo coronavírus, que já deixou uma pessoa infectada, mesmo que tenha sido contaminada na Europa.

Diante desse grande mistério, que vem sendo perguntado nas redes sociais, o blog procurou saber o que realmente está por trás dessa obra, que nunca é inaugurada.

Sempre se falou do dinheiro da emenda do ex-deputado federal Francisco Chapadinha, na época do governo de Eliene Nunes, que daria para comprar todos os equipamentos para o pleno funcionamento da UPA; nesse período, a UPA ficou totalmente abandonada; a ex-prefeita tirou o servidor que vigiava o prédio e, em razão disso, foi depredado, com vários objetos da construção roubados (vaso sanitários, portas, caixilhos, maçanetas...).

Mas o que aconteceu com a tão falada emenda do ex-deputado Chapdinha? Em primeiro lugar, deve-se saber que, por questiúnculas políticas, o dinheiro da emenda, por Eliene não ser aliada de Chapadinha, mas de Joaquim Passarinho, ficou sob a responsabilidade do governo do estado, e não na conta da Prefeitura de Itaituba, que era o certo e o lógico, pois havia interesse do município em resolver essa pendente questão da inauguração, mas quem estava com o dinheiro era o Estado. E somente quem perdeu, e ainda perde, é o município de Itaituba.

Pois bem, de posse desse valor de pouco mais de R$370 mil, o Estado paraense fez duas licitações para a compra dos equipamentos da UPA; a primeira licitação foi deserta, quando não aparecem interessados no pregão e a segunda licitação, foi fracassada, quando há empresas no pregão, mas não se interessam em dar lances, pois os preços dos equipamentos determinados pelo Estado eram muito abaixo do praticado na praça. Diante dessas duas licitações sem resultado, e sem cobrança do governo municipal e da Câmara de Vereadores à época, o dinheiro da emenda ficou na conta do governo estadual que, por falta de uso, voltou para o governo federal.

Mas há luz no fim do túnel, pois em razão da pandemia, o presidente Bolsonaro sinalizou que os recursos de emendas da saúde não utilizados podem voltar; o atual governo municipal comprou alguns equipamentos para a UPA com dinheiro das emendas do Deputado Joaquim Passarinho, no valor aproximado de R$414 mil e da bancada paraense, no importe de R$154.200, que estavam disponíveis na conta da prefeitura, mas com esses equipamentos ainda não tem como colocar para funcionar a UPA. Entretanto, diante do longo tempo em que se ficou com a obra parada, houve significativo aumento no preço dos equipamentos médicos e, fora esses valores disponíveis, para se equipar totalmente a UPA, necessita-se de quase R$1 milhão, fora os valores das duas emendas acima.

Diante desse cenário acima apontado, em conversas com o prefeito Valmir Climaco e indagando ao gestor o porquê da não inauguração da UPA até hoje, o prefeito falou que, infelizmente, a PMI não tem como inaugurar a UPA, pois não tem os recursos necessários para comprar os equipamentos para colocá-la em pleno funcionamento; afirmou que vem fazendo constantes e insistentes cobranças, tanto ao governo do Estado quanto ao governo Federal, de quem é a obra, para uma rápida solução, principalmente nesse momento de pandemia e, também, pelas constantes cobranças, com toda a razão, da população nas redes sociais acerca da demora nessa inauguração. A cobrança ao Estado é quanto ao valor da emenda de Chapadinha. Porém, como salientou o Prefeito, o que pode fazer é somente essas cobranças pois, quanto a outras questões da saúde inerentes ao município, vem fazendo sua parte.

Outro ponto bem sensível para a inauguração da UPA, é a folha de pagamento do pessoal que irá trabalhar na Unidade, que terá um custo aproximado de R$600 mil ao mês e, obrigatoriamente, deverá contar com cinco médicos, sendo três trabalhando pelo período do dia e, os dois restantes, no período noturno; o pagamento dessa folha será de inteira responsabilidade do município, que já arca com toda a responsabilidade do SAMU que, até hoje, nunca recebeu nenhuma contrapartida do governo federal.

Assim, para a inauguração da UPA, espera-se a boa vontade dos governos estadual e federal. O prefeito está fazendo sua parte; agora, é cobrar de nossos deputados estaduais e federais que intercedam junto aos dois governos para que a UPA seja o mais rápido possível inaugurada; os vereadores também podem intervir, fazendo cobranças ao governo estadual e reforçando os pedidos de Valmir. Mas pelo andar da carruagem, tem vereador que sabe apenas criticar e se perguntar o porquê da não inauguração. Procurar os motivos, não sabe.

Enquanto não se inaugura, o prefeito Valmir Climaco disponibilizou um vigilante para evitar depredação do patrimônio público.

Com informações técnicas da SEMSA

25 de março de 2020

ITAITUBA/PA - PREFEITO VALMIR É ATUANTE NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Hoje na agência da CEF, nenhuma pessoa respeitava
a distância mínima para evitar a disseminação do coronavírus
Imagem: Blog
Enquanto muitos teimam em tratar a pandemia pelo coronavírus como uma gripe qualquer, frequentando bares, festas, filas de bancos entre outras aglomerações, que em muito facilitam a transmissão do vírus, que pode ser transmitido pelo ar e permanece no ambiente, como corrimão, maçaneta e outros objetos, por várias horas, nosso prefeito Valmir Climaco (MDB) esta atuando em diversas frentes nessa terrível batalha contra o mortal coronavírus, que até a data de hoje já fez 46 óbitos;  nessa guerra, Valmir deu inicio à construção de uma maternidade para isolar as mães e seus respectivos bebês dessa pandemia; onde funcionava a maternidade, Valmir construirá uma UTI com dez leitos.
Imagem: Whatsapp
Entretanto, apesar dos esforços de Valmir e seus secretários, várias pessoas parecem não dar a devida importância as 46 mortes causadas pelo vírus, como as que diariamente se aglomeram em frente à Caixa Econômica Federal-CEF, e em outros bancos; também diversas famílias ficam em frente de suas residências papeando, como se o vírus não pudesse ou fosse passar por ali.

Imagem: Whatsapp
Diante dessas filas diárias na CEF que chegaram ao conhecimento do prefeito itaitubense, incontinenti Valmir se dirigiu à agência bancária e, por não ter como impedir a presença dessas pessoas na agência, procurou organizar a forma da fila naquele estabelecimento bancário, mandando pintar faixas amarelas na calçada,  perpendiculares à parede da agência, com distância aproximada de um metro entre as faixas, para que as pessoas possam ficar a uma distância segura e, assim, evitar a propagação do vírus. Cada pessoa deverá, quando em fila fora da agência, ficar em cima da faixa.

Porém, como se verifica na primeira imagem desta postagem, de nada adiantou a trabalheira e preocupação do prefeito com a saúde ses concidadãos, pois na data de hoje pela manhã, diversas pessoas estavam na fila e sem qualquer organização; inclusive várias pessoas desfrutavam do banco ali colocado. 

Uma pena que a ignorância se sobreponha à saúde do coletivo.

24 de março de 2020

ITAITUBA/PA - PREFEITO DEBATE COM VEREADORES EFEITOS ECONÔMICOS DO CORONAVÍRUS

Em reunião com parlamentares prefeito Valmir Climaco discute situação econômica de Itaituba

Por Adacioni Santos

Reunião entre prefeito e parlamentares de Itaituba
Foto: ASCOM/ PMI

Nesta segunda-feira (23) ocorreu, no auditório da Secretaria de Educação, a convite do Executivo, uma reunião com os parlamentares da Câmara Municipal. A pauta principal foi para buscar juntos politicas em relação à economia do município, que poderá ser afetada em tempo de Coronavírus.

Diante de tal realidade, o prefeito ressaltou que é necessária a busca por soluções com o intuito de se evitar o colapso na economia itaitubense.

Foto: ASCOM/ PMI)

Veja, na íntegra, o que disse Valmir Climaco:

"Temos que procurar uma solução; eu ainda não sei qual é, mas reuni com a Câmara de Vereadores e juntamente com o jurídico da PMI, para estudarmos uma solução no sentido de quais medidas econômicas vamos tomar para o município de Itaituba não ser prejudicado, como por exemplo, atrasar a folha de pagamento, deixar de pagar seus encargos ou, ainda, parar todas as obras em andamento.

Vamos aguardar uns dez (10) dias, para vermos o que pode vir pela frente e só então vamos estudar uma maneira de lançar um pacote de economia para o município. Só tenho certeza de uma coisa, agora, não vamos medir esforços para fazermos mais investimentos na saúde. Já começamos a obra da Maternidade Municipal; vamos comprar mais equipamentos; também, na data de hoje já chegou uma carreta de medicamentos; todos os cuidados emergenciais que possam conter o vírus, estamos tomando as providencias. Sei que todos os pais de famílias estão preocupados, afinal, vivemos em um pais diferente dos países de primeiro mundo que tem uma economia forte, como Espanha, Estados Unidos, Itália, China, entre outros.

Por isso é que temos que tomar medidas o mais rápido possível, para mantermos a máquina pública funcionando. Até o momento, não sabemos de que forma os Governos Estadual e Federal vão nos socorrer, a única certeza que temos, até agora, foi da grande baixa que tivemos dos repasses público, que era entre setecentos 700 e 800 mil reais, e que caiu consideravelmente. Hoje a Confederação dos Municípios já nos passou que a arrecadação do FPM desse mês que são dividididas em três parcelas e essa última, foi de apenas 146 mil. Então, estamos com um grande problema, pois para administrar bem esse município, temos que ter dinheiro no cofre. Eu ainda não sei quem que vai pagar o pato. 

Não sei se a solução vai ser fazermos cortes ou demissões ou, ainda, se vamos criar um imposto para aqueles portos de Miritituba, para tentar salvar as finanças do Município de Itaituba". 


Foto: ASCOM/ PMI

O Prefeito garantiu ainda que há preocupação, por parte dos parlamentares, quanto à situação econômica do município e agradeceu o apoio recebido neste momento.

Foto: ASCOM/ PMI) 
“A Câmara de Vereadores está preocupada com a situação e quero aqui agradecer o apoio que estão nos dando nesse momento em que todos têm que unir forças, e a Câmara está muito sensível à toda essa situação, juntos vamos encontrar uma solução, mas também, vamos conversar com o Poder Judiciário e Ministério Público, para depois, caso venha acontecer algo que não tenha sido tão positivo, para depois não culparem só o executivo. Então agora, é aguardamos esses dez dias para vermos como as coisas vão se encaminhar e, só então, nos posicionaremos com as medidas que vamos ter que tomar", enfatizou o gestor.

Foto: ASCOM/ PMI)

Fonte: ASCOM/PMI