8 de maio de 2019

BELÉM/PA - MÃE DE ALUNO RELATA COMO SERIA O MASSACRE NO COLÉGIO MARISTA. DELEGADO AFIRMA QUE ALUNO PRECISA DE TRATAMENTO MÉDICO

Mãe de aluno do Marista relata como seria planejado o “massacre”. Escute o áudio!

Crédito: Marista Belém.

Após a grande repercussão de uma suposta ameaça de morte feita a colegas por um aluno do Colégio Marista Nossa Senhora de Nazaré, em Belém, uma mãe de aluno, que prefere não ser identificada, relatou como seria o “massacre” planejado.

“Ele entrou final de março no colégio. Menino super estranho, retraído, não fala com ninguém, aquele perfil preocupante já”, diz a mãe em um áudio divulgado. Ela conta que o aluno começou a implicar com um professor, que toda a turma gostava e desde então os colegas implicaram com ele. “O professor pediu para a coordenação chamar os pais para saber porque o comportamento dele é assim e os pais nunca apareceram”, conta.

A mãe relata, ainda, os planos que ele fez e contou para a turma. “Semana passada em uma aula de física, do nada ele falou para todo mundo que o sonho da vida dele seria levar uma arma para o colégio e matar todo mundo. Ele começaria pelo ‘maristinha’ e depois iria para o segundo ano.

O professor falou para ele parar de falar besteira e ainda mais com o ‘maristinha’, que são crianças pequenas que mal sabem andar. Ele respondeu que é exatamente por isso, por eles não saberem andar direito, não iriam correr e ele ia conseguir matar o maior número possível e depois iria para o segundo ano”, explica no áudio.

Depois de dois dias, o aluno mostrou uma foto com vários tipos de armas e dizia que queria comprá-las. “Ele chegou com o pessoal da sala e disse ‘É galera, vai se preparando que o dia está chegando. Semana que vem vai ser especial, a semana da minha vida’. A galera ficou com medo, foram para coordenação e falaram”, afirma em áudio.

Ela conta como a história foi espalhada. “Uma aluna gravou um áudio contando a história para os outros alunos das outras turmas e esse áudio vazou e o pânico se instaurou no colégio”, relata.

Segundo a mãe, o menino será retirado do colégio, mas não de imediato, porque há um protocolo para realizar o procedimento, mas o Colégio Marista divulgou uma nota em que assegura que o estudante não frequenta as aulas desde o dia 07 de maio e que está afastando por tempo indeterminado das atividades escolares.

Escute o áudio:



Aluno que fez ameaças de atentado em colégio precisa de cuidado especial, diz delegado

Crédito: Roma News

O diretor de Polícia Metropolitana, delegado Marco Antônio Duarte, falou na tarde de hoje, 08, sobre as providências que serão tomadas no caso de ameaças feitas por um aluno do Colégio Nazaré, na manhã desta quarta-feira, 08.

De acordo com o delegado, a Polícia Civil já iniciou apurações sobre as denúncias feitas por pais de alunos do Colégio Nossa Senhora de Nazaré – Marista, sobre supostas ameaças a estudantes da Unidade Escolar.

Diante das notícias iniciais de que seriam três alunos possivelmente menores de idade os responsáveis pelas ameaças, uma equipe da Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), foi até o Colégio para tomar conhecimento do que de fato havia acontecido.

A delegada Janice Aguiar, diretora da DATA, apurou que as supostas ameaças foram feitas por um aluno de 18 anos do ensino médio. Com isso, um boletim será registrado na DATA que será encaminhado para a Seccional de São Brás, responsável em atender ocorrências no bairro de Nazaré, para providências cabíveis.

Assista o que o delegado Marco Antônio Duarte explica sobre o aluno no caso Marista:



Reações:

0 comentários: