1 de abril de 2019

CAMPINA GRANDE - TIROTEIO EM UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. 15 ACADÊMICOS FICARAM FERIDOS. NÃO HOUVE MORTES



Imagens mostram bandido atirando e pânico em universidade da Paraíba
Foto divulgada em redes sociais mostra momento em que assaltante entra armado na universidade Foto: Reprodução

David Barbosa*

Um tiroteio durante uma tentativa de assalto a uma agência bancária dentro da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) deixou dez pessoas feridas na manhã desta segunda-feira. Uma estudante foi baleada e outros 14 deram entrada no Trauma de Campina Grande após se ferirem na correria. Seis pacientes continuam em observação e quatro estão internados. O estado de saúde deles é estável. Cinco já receberam alta, incluindo um vigilante.

Uma foto que circula nas redes sociais mostra o momento em que um dos assaltantes entra armado no prédio da Central de Integração Acadêmica (CIA). A assessoria da universidade confirmou que a imagem é real.





O socorro aos feridos durante o tiroteio na UEPB. Crédito: Redes sociais

De acordo com a instituição, um grupo armado entrou no campus do Bodocongó, em Campina Grande (PB), para assaltar um carro-forte que abastecia caixas eletrônicos localizados na entrada da Central de Integração Acadêmica (CIA). Os bandidos trocaram tiros com seguranças e fugiram levando malotes de dinheiro.

De acordo com a Polícia Militar da Paraíba, os assaltantes se passaram por alunos da universidade enquanto esperavam a chegada do carro-forte que iria abastecer os caixas eletrônicos. Uma das armas utilizadas no crime estava escondida em um case para transporte de violão. Quando os vigilantes desembarcaram, os suspeitos anunciaram o assalto. O roubo do malote foi confirmado pela corporação. Um vigilante foi liberado em seguida pelos criminosos.

No momento do assalto, dois eventos aconteciam no prédio. Ao ouvir o barulho dos disparos, houve corre-corre e algumas pessoas chegaram a pular pela janela do primeiro andar, pensando se tratar de um atentado. Um segurança da agência foi atingido por dois disparos, na perna direita e no pé esquerdo. Já uma estudante de 21 anos foi atingida de raspão nas costas por uma bala que ricocheteou.

Alunos da UEPB se escondem em salas
de aula por pensar que tiroteio era
um massacre Foto: Reprodução
Além deles, oito pessoas foram levadas para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, com ferimentos leves nos membros inferiores causados pela correria. O estado de saúde de todas as vítimas é estável. De acordo com a assessoria da unidade de saúde, os baleados não devem passar por cirurgia e podem ser liberados ainda nesta segunda-feira.


Em nota, a UEPB informou que os alunos receberam atendimento de primeiros socorros e psicológico. As atividades no campus foram suspensas e o local foi esvaziado.

Alunos e funcionários relatam pânico; 'pensava que era um atentado'

Nas redes sociais, alunos e funcionários relataram os momentos de pânico que viveram.

"Os assaltantes atirando pra cima e todo mundo desesperado achando que era massacre. Minha professora saiu de cadeiras de rodas por causa do susto", escreveu uma estudante.




Imagem mostra correria de vigilantes durante tiroteio na UEPB. Crédito: Redes sociais

"Sobrevivi ao tiroteio na UEPB. Com uma bala passando a uns 10 metros de mim, atingindo o vidro da biblioteca. O pior momento foi pensar que pudesse ser um atentado igual ao de Suzano. Pensei que não escaparia", tuítou uma funcionária.

*Estagiário sob supervisão de Leonardo Cazes

Reações:

0 comentários: