8 de janeiro de 2019

ITAITUBA/PA - INDÍGENAS VÃO AO FÓRUM PARA LIBERTAR ÍNDIO CONDENADO POR ASSASSINATO

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

O Fórum da Comarca Estadual Cívil de Itaituba amanheceu cercada por indígenas da nação munduruku, que exigiam a soltura de Isaías Krixi Munduruku, que foi condenado à pena privativa de liberdade de 13 (treze) anos de reclusão e ao pagamento de 10 (dez) dias multas no valor unitário mínimo e atualizado desde a data do crime, regime inicial fechado, por infração ao artigo 121, § 2º, II, c/c 211, ambos do Código Penal.
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé

Em página de Facebook, uma representante dos indígenas afirma que não há provas para a condenação de Isaías e que tal condenação é puramente racista, apesar do MPE afirmar na peça de denúncia que os próprios autores do crime confessaram a autoria, conforme imagens ao final desta postagem. 

5 h · 

Hj o Povo Munduruku está triste, foi julgado o líder e professor Isaías kirixi Munduruku injustamente por falta de prova apenas por Racismo que hj o índio ñ poder ir na cidade estudar ou atrás de melhoria para o seu povo,está sendo prejudicado mais de 300 alunos 
"só vamos sair quando liberar o professor"
SAWE💪"

Entenda o caso

No dia 25/12/2003, quando repousava em um quarto de um hotel em Jacareacanga, Isaías Munduruku após bebedeira, sentiu falta de uma pulseira, um cordão e um relógio; ao perceber que havia sido vítima de furto Isaías determinou que ninguém saísse do hotel até ser encontrado o autor do crime; porém, ao ser avisado pelo indígena Clodoaldo de que o autor do furto era o nacional João Paleci. Ato continenti, Isaías acompanhado Clodoaldo, Rubeverildo e mais duas pessoas conhecidas por MARACA e ARILSON, em uma camionete S10 do município de Jacareacanga, saíram à procura de João Paleci
Resultado de imagem para isaias krixi munduruku
Imagem: Internet
Ao encontrarem o suposto criminoso, Isaías determinou que Rubeverildo  colocasse Paleci na camionete e em local distante dez quilômetros da sede do município, na rod. Transamazônica, Isaías parou o carro e determinou que Rubeverildo executasse Paleci; sem esboçar reação, com um pedaço de madeira, Rubeverildo desferiu vários golpes no corpo de Paleci, principalmente na região da cabeça, levando à morte do suposto acusado pelo furto dos pertences de Isaías.

Findo o crime, Rubeverildo jogou o corpo de Paleci em buraco às proximidades do crime. Após o cometimento de tal barbaridade, Isaías e seus comparsas voltaram para o hotel, onde continuaram a bebedeira.

A autoria do crime se comprovou por confissões extrajudiciais dos indiciados, conforme denúncia do Ministério Público Estadual.








Reações:

0 comentários: