8 de agosto de 2018

ITAITUBA/PA - MAIS UMA EMPRESA DÁ CALOTE EM TRABALHADORES

Vereador Peninha (MDB) mostra máquinas paradas por falta de pagamento aos proprietários. 

Como se não bastasse os calotes dado pelas firmas que trabalharam na construção dos portos e da precária situação que a Itacimpasa deixou seus funcionários e fornecedores, mais uma empresa de fora aplica calote na cidade.
Resultado de imagem para logo da raizen
E a denúncia foi feita pelo vereador Peninha, que usou a Tribuna da Câmara de Itaituba na última terça-feira (07) para denunciar as empresas Raízen, que distribui e comercializa combustível, por meio da marca Shell, para mais de 6.200 postos da rede e também para os principais aeroportos do país, e a Primos Projetos, empresa itaitubense prestadora de mão-de-obra terceirizada.

O vereador informou que as duas empresas estão dando calotes na praça de Itaituba. Segundo o parlamentar, o Grupo Raízen contratou a empresa Primos Projetos para fazer os serviços de Terraplenagem e Drenagem na área onde está sendo construído o terminal de combustível da empresa, na região da Nova Vida, na margem direita do rio Tapajós, município de Itaituba. A obra começou em agosto de 2017 e o contrato, ressaltou Peninha, foi assinado no valor de R$ 3.606.172,78.

A obra do terminal de combustível esta parada há mais de 60 dias

A Primos contratou na praça de Itaituba, para executar a obra, maquinários, diversos trabalhadores, piloto de embarcação, fornecedores de alimentos e combustível. Porém, ultimamente, os prestadores de serviços e fornecedores denunciam que não estão recebendo da Primos Projetos pelos serviços prestados e fornecidos. Tem caso, como do barco que transporta os funcionários para a área, que há 6 meses não é pago; assim como também o fornecedor de alimentos, que desde fevereiro/2018 não recebe o pagamento.

Os motoristas dos veículos e os proprietários dos maquinários também não estão sendo pagos há dois meses”, denunciou Peninha.

Ao receber a denúncia, o vereador Peninha disse que procurou a empresa Primos, reconhecendo o diretor da empresa que tem débitos com os prestadores de serviços e fornecedores em torno de R$ 1.800.000,00, e que não pagou ainda porque a Raizen está lhe devendo para mais de R$ 3.8 milhões pelos serviços realizados, e autorizados pelos representantes da empresa, mesmo não estando no contrato. Paulo Cavalo, como é conhecido o empresário da Primos, mostrou vários e-mails enviados pelos representantes da Raízen autorizando serviços extra-contrato.

Em contato extra-oficial com a Reizen, mas já fora enviado, via CMI, solicitando informações desta empresa sobre a questão, a empresa informou que vem cumprindo seus compromissos com a empresa Primos Projetos.

Peninha disse que está havendo um empurra-empurra entre a Raízen e a Primos e, no meio desse conflito, estão os prestadores de serviços e fornecedores, que são os mais prejudicados.

O parlamentar disse que enquanto as empresas não se entenderem e pagarem os prestadores de serviços e fornecedores, o poder público, que foi provocado, tem que encontrar um meio de encaminhar uma solução. 

Sugeriu Peninha, que a Câmara de Vereadores encaminhe ofício a SEMAS do Estado e a SEMMA do Município, no sentido de SUSPENDEREM TEMPORARIAMENTE as licenças da empresa, até que as empresas paguem os débitos. Caso contrário, ressaltou Peninha, corre grande risco da Raizen romper o contrato com a Primos, ou a Primos com a Raizen e com isso a Raizen contratar outra empresa para executar sua obra. “Isto é possível”, garantiu o edil na plenária da Câmara aos presentes, preocupado que o grupo Raizen possa contratar uma empresa de fora da região. “Significaria desemprego para toda esta gente”, afirmou Peninha.

Mato esta invadindo a obra, que não tem previsão para reiniciar

Calote na PMI

E não é somente nos trabalhadores e fornecedores que a Raízen tem aplicado calote, pois o Conselho Municipal de Meio Ambiente de Itaituba propôs à Raizen que, como contrapartida ao empreendimento em Itaituba, doasse ao Município 80 mil litros de diesel. A proposta foi aprovada, porém, a empresa até hoje não doou nenhum litro de combustível. O edil destacou que a doação que foi feita de 10 litros de óleo diesel foi da Primos Projetos. Este é mais um motivo para que seja solicitada a suspensão da licença da Semma. “Descumprimento de condicionante”, frisou Peninha.

Peninha ainda disse em seu pronunciamento que seria interessante representantes da Petróleo Sabba-Grupo Raizen comparecerem na Câmara para prestarem informações sobre a referida situação. “Assim como também o representante da Primos. Queremos jogar limpo e resolver a questão e não assistirmos este joguinho que as empresas estão fazendo”, prosseguiu Peninha.

Após seu pronunciamento na Câmara, o vereador Peninha foi até o local da obra e constatou que está tudo abandonado. “Nem vigia tem. Fui informado por terceiros, que fazem mais de 60 dias que a obra está abandonada”, declarou. Na visita, o edil viu vários contêiner e máquinas pesadas na obra.

Na manhã da última quarta-feira (08), a empresa Raízen emitiu uma nota de esclarecimento sobre o assunto. Na nota a empresa diz que contratou a empresa Primos Projetos Imagens e Mapas Ltda para fazer a execução do projeto do terminal de distribuição de combustíveis de Miritituba, e informou que desde o início de julho de 2018 constata o descumprimento de obrigações reservadas à contratada. Por essa razão, avalia as medidas cabíveis para uma breve solução do problema. Ressaltou ainda, que a empresa rigorosamente está em dias com suas obrigações para com a contratada empresa Primos. A nota esta assinada pelo Gerente de Comunicação da Empresa, Danilo Valentini.

Quem é a Raizen?

A Cosan e a Shell anunciaram nesta segunda-feira (14.02.11) a criação da Raízen – empresa resultante do processo de integração dos negócios das duas companhias. A Raízen será a marca corporativa dos negócios e a aposta para o crescimento das vendas internacionais de etanol.
Cosan e Shell apresentam marca da nova empresa (Foto: Darlan Alvarenga/G1)

O nome foi inspirado na união das palavras raiz (da cana-de-açúcar) e energia. A Raízen nasce com valor de mercado estimado em torno de US$ 12 bilhões, cerca de 40 mil funcionários, uma rede de 4,5 mil postos e com a previsão de em cinco anos dobrar a produção de etanol, passando de 2,2 bilhões de litros (resultado de 2010) para 5 bilhões de litros.

O nosso plano é consolidar o etanol de cana de açúcar como commodity internacional" - Vasco Dias, presidente da Raízen

A nova companhia nasce com faturamento anual estimado de R$ 50 bilhões, informou o ex-presidente da Shell no Brasil, Vasco Dias, que comandará a Raízen.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2011/02/cosan-e-shell-anunciam-criacao-da-marca-raizen.html

Reações:

0 comentários: