16 de julho de 2018

ITAITUBA/PA - ÉPOCA DE ELEIÇÃO, COMEÇAM OS COMPARTILHAMENTOS GOVERNAMENTAIS

A imagem pode conter: atividades ao ar livre, água e texto
Assim como em 2016 era época de eleição, como o é agora neste 2018, começaram a aparecer gente do governo de Jatene com suas propostas mirabolantes e utópicas. Naquele ano o governo do estado surgiu em Itaituba com o grandioso Projeto Pará 2030, que iria traçar projetos com metas que proporcionariam um grande desenvolvimento ao Pará, como um todo; e não apenas da região sudeste do Pará, como há muito vem ocorrendo, deixando nossa região com algumas migalhas. 

E, conforme o sítio do Pará 2030, as metas do mega projeto definem a economia paraense nos próximos 15 anos. São 23 oportunidades de valor estudadas, das quais 12 foram eleitas. São cadeias econômicas prioritárias. A síntese do projeto é quebrar os entraves para que o Pará possa crescer os níveis de produção.

Entre as ações a serem deslanchadas estão o investimento em pesquisa e desenvolvimento, capacitação técnica, avanços em licenciamento ambiental e regularização fundiária, melhoria dos métodos de produção e atração de novos negócios. A época, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, coordenou os estudos, a articulação estratégica e debates e a Sedeme centralizará os esforços para que seja implantado o projeto (via Jota Parente)
Prefeito Valmir Climaco, de camisa branca
Pois bem, no dia 23 do mês de maio do corrente, vários pessoas aportaram no auditório do Hotel Apiacás, representando os mais diversos seguimentos sociais, políticos e produtivos da cidade de Itaituba (políticos, estudantes, professores, empresários, policiais, servidores públicos, representantes de diversas entidades), para, mais uma vez, ouvir o governo de Jatene, via Secretário Regional Olavo das Neves e seus secretários.
Antônio Kaiser-Sec. de Agricultura, Adriano coutinho, Diretor do Hosp. Municipal, Gleidson Nascimento-Procon e Iamax Prado-Sec. de Saúde
A reunião teve início com o Secretário Regional Olava das Neves, o mesmo que no passado 'passou' a perna nos itaitubenses, fazendo uma breve explanação de mais esse projeto de Jatente; depois abriu um pequeno colóquio com os presentes, que responderam à pergunta do Secretário quanto ao que seria necessário para o desenvolvimento de nossa região, sendo que a intervenção do professor da rede estadual, Rosivaldo Fernandes, foi contundente quanto a afirmar que tal reunião tinha apenas intenção política, o que foi rebatido por Olavo.

Valmir Climaco em sua pequena intervenção, aduziu que o agronegócio seria a solução para diversos de nossos problemas, e citou por diversas vezes cidades do Mato Grosso, principalmente Sinop; complementando o comentário de Valmir, Patrick Souza, do Clube de Dirigentes Lojistas, afirmou que na cidade de Sinop/MT há esse grande desenvolvimento porque os envolvidos respeitam e cumprem  o pacto feito para criar oportunidades de desenvolvimento na cidade. E, com respeito ao acordado, com cada um fazendo sua parte, independente de quem esteja no poder, também Itaituba pode chegar ao mesmo patamar da cidade matogrossense.




Até este momento ainda tinham poucos alunos no auditório,  que portavam faixas com críticas ao governo de Jatene; a diretora da escola Projeto Alvorada, Leilce Paxiúba falou das precárias condições em que se encontra sua escola, sendo orientada por Olavo para conversar com sua secretária par que, juntas, pudessem achar a melhor solução.

Pois bem, após este pequeno relatório, vamos ao que de fato interessa: se a reunião era ou não, política. 
Imagem do HRT na revista-propaganda de Jatene
Para começo de conversa, estamos em período eleitoral, sim, bem como, diante da violência desenfreada que atinge nosso Estado, com mortes quase diárias de policiais, o candidato de Jatene não pretende ter em sua 'cola' essa pecha de governo descontrolado; e como belo exemplo de comício, ao público foi disponibilizado uma grossa publicação colorida,  com 128 páginas de pura propaganda política, contendo as realizações (e as quase também!) do governo de Jatene, como o Hospital Regional do Tapajós-HRT, que vai para sua terceira eleição e continua inacabado.

As obras da Cosanpa, Hospital Regional, escola de ensino médio do distrito de Miritituba, a falta de licitação para a compra dos equipamentos da UPA, o horrível asfaltamento da estrada Lázaro Cerqueira (Estrada do BIS), que em pouco mais de ano após feito o serviço, já está todo esburacado; a eterna não conclusão da Orla de Itaituba. Todos esses investimentos se tivessem sidos concluídos, teriam injetados diversos empregos diretos e indiretos na região. Mas o que se vê são reuniões a lá PT. Ou seja: sem nenhuma utilidade, a não ser enganar o povo tapajoara!

E, para dar um ar de seriedade ao evento político, foi convidado um consultor do PNUD, Vinícius Ferreira, que, desempenhando bem seu ato, reforçou o papel que as sociedades locais têm em discutir e tomar para si o poder das decisões. "Dentro do âmbito da regionalização do governo esse esforço em compartilhar a governança, a pauta e o direcionamento da ação têm que se dar com aquilo que a gente entende por atores locais. Dentre eles estão: o poder público de cada um dos municípios que nós formos trabalhar e, também, a sociedade civil organizada, porque dentro de cada pauta as organizações estão relacionadas com desenvolvimento econômico; agricultura; indústria; pesca; turismo; demandas de populações tradicionais, entre outras. É esse conjunto de representações que vai melhor ajudar a pauta do Centro de Governo", explicou o consultor.


Mas o tema central da reunião-comício foram as oportunidades de empregos que devem/deveriam ser geradas em Itaituba e região, sendo indagado aos presentes o quê era necessário para que mais oportunidades de emprego fossem criadas; diversos presentes deram sua opinião, mas nenhum dos presentes falou sobre as diversas obras paradas em nossa cidade e, com obras paradas, os empregos vão embora, como foram embora para Belém os empregos diretos e indiretos que seriam criados com a criação em nossa cidade, da fábrica de refino de ouro.

Com investimentos previstos de 35 milhões de dólares para a construção, a refinaria de ouro irá contribuir para o desenvolvimento econômico (de Belém!!) a partir da verticalização da produção. As mineradoras Serabi Gold e Brazauro, fornecerão a matéria prima, extraída no município de Itaituba.

A refinaria será instalada em terreno cedido pela Infraero dentro do aeroporto de Belém por questões de segurança. O local terá capacidade para refinar até 20 toneladas de ouro por ano. 

Esse trabalho irá gerar 50 empregos diretos na operação e centenas de indiretos, como artesãos, Polo Joalheiro, fábricas de jóias e acessórios, ourives e joalherias.

O investimento na refinaria Tony Goetz é de R$ 35 milhões podendo subir para R$ 40 milhões. Espera-se que comece a operar em 18 meses. O processo de construção do empreendimento é coordenado pela Sedeme com apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec).*

Como se denota acima, os bons empregos ficam sempre na região Nordeste do Estado, sobrando para nossa região os cursos de cabeleireiro, manicure, costureira. 

Então, mais do que nunca urge a independência da região tapajônica!! 







*http://revistamineracao.com.br/2018/02/07/para-vai-receber-primeira-refinaria-de-ouro/

Reações:

0 comentários: