14 de maio de 2018

JACAREACANGA/PA - CAMPEÃO DE FUGA, BEIÇOLA NÃO FOGE DE FACADA!


Luan Rafael Medeiro, vulgo "Beiçola", foragido da penitenciária do Curucurunã em Santarém, foi esfaqueado na barriga por volta das 2h40 da madrugada de hoje (12) no bairro Bela Vista em Jacareacanga, sudoeste do estado.

Segundo informações, Beiçola teria tentado furtar uma bicicleta de uma senhor àas proximidades onde estava vivendo, foi quando foi esfaqueado no meio da rua. O homicida ainda correu para frente de uma casa festa na avenida Joana Barroso, onde caiu, mesmo esfaqueado e sangrando muito, ainda tentou correr, quando populares chamaram a ambulância para socorre-lo.

Logo que a guarnição da Policia Militar ao comando do sargento PM P. Matos, foi informada sobre o ocorrido, foram ao hospital, onde Beiçola foi reconhecido pelos policiais militares.

“Beiçola”, antigo conhecido da Polícia, é condenado de justiça por ter participado da morte de um casal na praia de Alter do Chão (Santarém), crime este que chocou os santarenos devido à brutalidade dos marginais; atualmente é foragido da justiça, desde as 2h30min de 26 de outubro de 2013, quando, juntamente com mais três detentos, fugiu da penitenciária de Santarém, quando pulou o muro do Centro de Recuperação, saindo pela ala dos idosos.  Após danificarem a grade da cela, Luan e outros dois internos conseguiram ter acesso à área externa do bloco carcerário e, com uma corda artesanal de pano, conhecida como “Tereza”, Luan conseguiu pular o muro de segurança da unidade prisional.  "Beiçola" foi condenado a 60 anos e 3 meses pelo crime em Alter do Chão.

Luan Rafael Medeiro se encontra algemado no leito do hospital municipal de Jacareacanga, em observação, mas por ser um elemento perigoso, logo que receber alta, deverá ser transferido para Santarém de onde é foragido. Em Jacareacanga, "Beiçola" era conhecido por Bruno Medeiros. (Fonte: Portal Buré (Anderson Pantoja) - Postado por Junior Ribeiro

ENTENDA O CASO

Corpo do casal foi encontrado na trilha que dá
acesso à serra (Foto: Reprodução/TV Tapajós)

Mauro Borges e Jéssica Gomes desapareceram no dia 21 de outubro de 2012. Eles foram encontrados mortos no dia 23, próximo à Serra Piroca, em Alter do Chão. Os corpos estavam com perfurações de faca, e Jéssica, com um tiro na cabeça.

Três jovens foram presos e três adolescentes apreendidos suspeitos de serem os autores do crime. Foram presos pela Polícia Civil, Luís Carlos Santos Silva, o “Panga’, de 19 anos; Manoel José Silva dos Anjos, “Nenel”; 18 anos; e Luan Rafael Medeiros, conhecido por “Beiçola”, de 20 anos.

Os adolescentes foram encaminhados à Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) no dia 8 de novembro e os adultos tiveram a prisão temporária decretada, mas o juiz da 6ª Vara Penal de Santarém deferiu a conversão para prisão preventiva dos três acusados. A decisão saiu no dia 5 de novembro de 2012. Com a concessão da prisão preventiva, foi possível manter os acusados presos.

No dia 26 de dezembro/12, a justiça liberou os três adolescentes acusados de participação na morte do casal.

Após serem condenados em Santarém, a 2ª Câmara Criminal Isolada do Tribunal de Justiça do Pará, em apreciação de recurso de apelação de sentença, manteve a condenação dos acusados de assassinarem, em Alter do Chão, em Santarém, o casal Mauro Luiz Borges dos Santos e Jéssica Gomes Campos, às penas que variaram entre 60 e 64 anos de reclusão, mais pagamento de cerca de 300 dias/multa, cada. Os desembargadores Milton Nobre, Vania Fortes Bitar e Ronaldo Valle, e a juíza convocada para o 2º grau, Nadja Nara Cobra Meda, acompanharam na íntegra o voto do relator da apelação, desembargador Rômulo Nunes, que ressaltou que não há o que se alterar na sentença, estando correta a dosimetria das penas aplicadas pelo Juízo da 6ª Vara Penal de Santarém. A 2ª Câmara Criminal é presidida pelo desembargador Ronaldo Valle.

Na sentença, Luiz foi condenado a 64 anos, 3 meses e 24 dias, Luan a 60 anos, 3 meses e 24 dias e Manoel a 62 anos, 7 meses e 24 dias de reclusão. Todos a serem cumpridos em regime fechado.

Com informações do G1 e do TJPA.

Reações:

0 comentários: