12 de abril de 2018

BELÉM/PA - ENQUANTO O ESTADO SOFRE COM A VIOLÊNCIA, ASSESSOR DO BODE VELHO FRAUDA A PREVIDÊNCIA



    Ely Batista, assessor especial I e é ex-prefeito de Oeiras do Pará
    A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (11), no Pará e mais três Estados, a operação Colinas de Rocha, a 2ª fase da Operação Olho de Tandera, deflagrada em setembro de 2017, para investigar desvios de recursos de Institutos de Previdência. Entre os presos está Ely Barbosa, assessor especial do governador do Pará, Simão Jatene, lotado na Casa Civil.

    Ely Batista foi nomeado por Jatene em março do ano passado como assessor especial I e é ex-prefeito de Oeiras do Pará.

    VEJA:


    Ao todo, foram cumpridos 10 mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão no Pará, Amapá, Tocantins e Santa Catarina. Deste número, apenas uma pessoa ligada a uma das duas empresas investigadas pelo esquema não foi presa. Os detidos responderão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

    Essa etapa tem o intuito de encerrar as investigações sobre a gestão fraudulenta do Fundo de Previdência de Oeiras do Pará, nordeste do Estado, onde se descobriu a apropriação indébita de R$ 14,8 milhões, quantia equivalente a mais da metade dos recursos do instituto de previdência do município, com o indiciamento do ex-gestor do Fundo e do ex-prefeito municipal Ely Batista.

    Além dele, outros oito envolvidos no esquema tiveram o mandados de prisão preventiva cumpridos, todos acusados de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Diversos documentos também foram apreendidos durante a ação desta quarta-feira.

    A operação tem por objetivo finalizar a investigação envolvendo grupo empresarial criminoso presente nesses Estados, que atuava irregularmente no mercado financeiro, captando recursos de Institutos de Previdência de servidores municipais para aplicação no Sistema Financeiro Nacional.

    Durante a primeira fase da ação, ainda no ano passado, uma das pessoas ouvidas coercitivamente foi a empresária Dayanne Lima, ex-esposa de Elton Lira, dono de uma empresa de consultoria que prestou serviços para diversas prefeituras de Estados envolvidos no esquema, incluindo o Pará.

    A operação foi batizada com o nome do quarto ciclo do Inferno de Dante, que corresponde ao local onde se encontram os gananciosos, pródigos e avarentos.

    Jornal O Impacto (Com informações da PF)

    Reações:

    1 comentários:

    Anônimo disse...

    O Grupo do psdb com seu candidato a governador Um tal de a Marcio Miranda que nem na cidade dele castanhal o povo cai no papo vêm aqui em Itaituba tentar enganar novamente a população igual fez o Jatene. Acorda Itaituba não vamos ser enganados novamente.