21 de fevereiro de 2018

CASO ITACIMPASA - A SAGA DE UMA CRISE. E AS DÚVIDAS SÓ AUMENTAM

Como notícia ruim não vem sozinha, após a Itacimpasa, empresa produtora de cimento em Itaituba e pertencente ao Grupo João Santos, que tem várias fábricas de cimentos no Brasil, além de atuar em outros ramos, atrasar desde 2016 os salários de seus colaboradores, sendo que desde 2013 não foram feitos os depósitos relativos ao FGTS dos fucnionários, sendo que no decorrer de 2017, cambaleava, piorando com sintomas de coma no início de 2018, quando deu férias coletivas 'remunerados' para quase 98% de seus trabalhadores, 'férias' essas estendidas até março próximo.

Assim, após dar tais férias, sem pagar os devidos salários, não pagar os fornecedores, deixar cortarem a energia da fábrica e em seguida, das duas vilas, que têm energia somente das 19h às 6h do dia seguinte, agora, a péssima notícia é a  parada dos ônibus que fazem o trajeto vila-cidade-vila para trazer estudantes; essa parada forçada do ônibus, provavelmente por falta de pagamento, nesta quarta, 21, deixou além dos estudantes, funcionários 'ilhados' nas vilas. Ou seja, mais um problema para assombrar os funcionários!

Imagem: Giroportal
Atendendo a uma sugestão desse blogueiro, esses funcionários, principalmente os que possuem ação trabalhista na Vara Federal do Trabalho de Itaituba, criaram um grupo de Whatsapp para que pudessem debater entre eles a situação da empresa, bem como se ajudarem mutuamente.

Apesar de todos os problemas acima, porém, a situação dos funcionários das vilas da Itacimpasa é ainda mais delicada, haja vista que muitos desses funcionários não têm parentes, sendo que na maioria das residências era apenas o marido quem trabalhava na fábrica, e que agora está sem receber salários; os funcionários residentes no núcleo urbano, no geral, possuem parentes que lhes estão a socorrer nesse momento difícil, mas que também estão tendo sua energia desligada, entre outros problemas, por falta de pagamento.

Vale ressaltar que os administradores da empresa em Itaituba não têm um pingo de responsabilidade pela situação por qual passa o grupo João Santos, haja vista que toda a administração financeira é feita por Recife/PE, tendo em vista que todo o pagamento que entra na Itacimpasa na fica em conta com o CNPJ da firma. Aliás, tem gestor local da fábrica que está passando por dificuldades igual ou pior que muitos trabalhadores. Assim, qualquer protesto/agressão contra os gestores locais não tem qualquer cabimento, além de soar totalmente despropositado.

Em conversas com uma fonte, que trabalha dentro da empresa em Recife/PE, essa pessoa relatou ao blog que aonde há fábrica do grupo João Santos, existe o caos, porém, estão trabalhando arduamente para que se tente vender alguns ativos para que se volte a trabalhar; perguntado a essa fonte sobre a veracidade da venda de fábricas em Vitória/ES e no interior de São Paulo, relatou que a venda da fábrica de Vitória/ES não procede, mas a jazida de calcário no interior de São Paulo está à venda, porém, sem qualquer interessado no momento, mas há proposta para a compra de um terreno em Manaus/AM. Informa ainda a fonte, que só o trabalho e fé em Deus para as coisas melhorarem.

Informou, ainda, que quanto aos imóveis da empresa aqui em Itaituba, não sabe se há interessados.

Diante de tantas dificuldades, esperamos que a empresa consiga resolver o mais breve possível os problemas gerenciais  da empresa, e que consiga se soerguer, novamente! É o que Itaituba espera!

Reações:

0 comentários: