4 de dezembro de 2017

ITAITUBA/PA - ACIDENTES GRAVES VOLTAM A OCORRER APÓS FIM DE FISCALIZAÇÕES DO DETRAN

As redes sociais fervilharam há umas três semanas por causa de um projeto de lei, de iniciativa do executivo municipal, que tentava limitar o horário de funcionamento de bares e similares, haja vista que, conforme vários seguimentos sociais, diziam que os acidentes de trânsitos eram por culpa exclusiva do consumo exagerado de bebida alcoólica nesses estabelecimentos. 

Pois bem, após a vinda de uma grande equipe do Departamento de Trânsito-DETRAN estadual, quando alguns disseram que tais agentes estavam em Itaituba para 'engordar' o Natal e Ano Novo desses agentes, a violência e, consequentemente a morte no trânsito em Itaituba caíram; agentes de trânsito faziam rondas nas ruas e bares; combateram até a divulgação da localização dessas blitz  nas redes sociais, com a prisão em flagrante de um homem que divulgava uma fiscalização que se realizava no Centro da cidade.
Este acidentado sem habilitação provocou um acidente e mandou retirar a moto do local do acidente
E, apesar das intensas fiscalizações, os bares continuaram suas vendas de bebidas sem qualquer limitação quanto ao horário de funcionamento; nesse período, vários flagrantes foram feitos de pessoas que dirigiam embriagadas, o que gerou diversas multas que fizeram doer bolsos dos infratores; o Hospital Municipal de Itaituba trabalhou dentro de uma normalidade que há muito não se via; mortes? Não teve. Mas diante de tanta coisa boa com a fiscalização do DETRAN, o órgão se excedeu em alguns pontos, como manter na viatura um condutor até o término das fiscalizações e usar um espaço particular, posto de gasolina, para fazer sua fiscalização em uma rodovia federal, mas fazendo constar nas multas outro perímetro.

Porém, após o fim das fiscalizações, voltamos à 'normalidade' das mortes, amputações de membros, lacerações e, lamentações pela perda de ente querido e, também, todos pagando pelo custeio hospitalar dos irresponsáveis, como o condutor de moto da imagem acima. 


E neste final de semana os acidentes de trânsito foram constantes, com a morte de um jovem rapaz, ocasionada por um motorista imbecil!!

Em uma conversa rápida com o prefeito acerca desse projeto de lei, o prefeito Valmir Climaco me perguntou se eu sabia quanto custava o tratamento médico de um acidentado de trânsito. Como havia muitas pessoas ao redor, a conversa não flui. Porém, sei que sai muito mais em conta pagar horas extras e adicionais aos agentes de trânsito do que pagar conta de irresponsáveis.

Conforme o conceituado jornalista Jota Parente, "foi publicado em seu Jornal do Comércio, na edição 214, uma matéria com detalhes da realidade do trânsito em Itaituba no decorrer de 2015, matéria essa que foi repercutida na Câmara Municipal pelo vereador Peninha, que sensibilizado com os números estarrecedores propôs a realização de uma audiência pública, que levou muita gente à sede do Poder Legislativo.

Embora alguns meses após a audiência pública tenha diminuído o número de acidentes, de traumatizados e de mortes, depois do susto o problema foi agravado, subindo de 42 mortes em 2015 para 44 mortes em 2016, em 481 acidentes.

Chegou-se em 2015 ao impressionante número de 3.400 pessoas atendidas no Hospital Municipal de Itaituba por conta de acidentes de trânsito. Já em 2016 o HMI atendeu a 3.427 acidentados de trânsito, tendo acontecido 336 acidentes na cidade.

A média de 2017 até o mês de outubro estava maior do que a do ano passado, ficando em 3,7 mortes por mês, contra 3,66 do ano passado. Se essa média continuar, o número de óbitos por causa de acidentes de trânsito chegaria, pelo menos, aos mesmos 44 de 2016, ou, poderia alcançar 45 mortes. Até o dia 14 de novembro, o número de atendimentos por acidentados no trânsito no HMI foi de 3.164.

Houve uma considerável redução na quantidade de acidentes por conta das ações ostensivas dos órgãos de trânsito com apoio da Polícia Militar. Detran e Comtri colocaram seus efetivos nas ruas, realizando muita blitz, e circulando nos seus veículos mostrando a cara.

Quando Comtri e Detran estão fazendo blitz à noite, que é o período do dia em que aumenta o número de irresponsáveis conduzindo de qualquer maneira, com documentação atrasada, do veículo e a CNH, ou sem documento nenhum, ou alcoolizados, as ruas ficam desertas.

É óbvio que não há condições de serem realizadas blitz todos os dias, mas, além de elas prosseguirem, que os agentes de trânsito sejam mais vistos circulando. E com a finalização do processo de celebração de convênio entre o Detran e o município, que vinha se arrastando há alguns anos, Comtri e Detran vão trabalhar em igualdade de condições, pois os dois órgãos poderão atuar, um dentro da competência do outro.

Agora, faço a pergunta: os acidentes de trânsitos são culpa dos bares, da cachaça, da falta de fiscalização, da imprudência, da falta de amor à vida e ao próximo?

Reações:

0 comentários: