10 de outubro de 2017

CASO INSULINA - CASAL GANHOU R$70 MIL POR MORTE DE OUTRA FILHA, SUPOSTA DOENÇA.

Injeção de insulina em bebê: casal ganhou indenização de R$ 70 mil por morte de outra filha com suposta doença
Por Raquel Morais, G1 DF

O casal que foi indiciado por tentativa de homicídio contra o próprio bebê – por meio de uma injeção de insulina, para forjar uma doença – ganhou neste ano na Justiça uma indenização de R$ 70 mil pela morte de outra filha. Os pais alegam que ela sofria de hiperinsulinismo congênito, doença que faz o pâncreas produzir o hormônio em grande quantidade, e morreu aos 2 anos em janeiro do ano passado sem assistência do governo do Distrito Federal. Após descobrir o crime contra o neném, a Polícia Civil investiga agora se a garota também não teve o quadro induzido pelos pais.
A decisão é de 26 de maio. Na sentença, o juiz Luciano dos Santos Mendes determina ainda que o casal receba 2/3 do salário-mínimo (atualmente em R$ 937) entre a época em que a garota teria 14 e 25 anos. Passado esse período, o Estado deveria pagar 1/3 do salário mínimo até o dia em que a menina completaria 65 anos ou até à morte dos pais – o que ocorresse primeiro.
O G1 questionou a Procuradoria-geral do DF (responsável pela assessoria jurídica do governo) a respeito. O órgão disse que recorreu da decisão e aguarda análise da Justiça.
Trecho de decisão judicial que deu indenização de R$ 70 mil a pais por morte de criança com suposto quadro de hiperinsulinismo congênito (Foto: Reprodução)

Para a Polícia Civil, o casal queria forjar a doença no bebê para causar comoção popular e assim arrecadar dinheiro. Em 2016, a mãe lançou campanha em redes sociais pedindo ajuda financeira para comprar medicamentos para uma filha de 5 anos. Na época, ela contou ter perdido dois filhos (incluindo a garota que motivou o pedido de indenização) para o hiperinsulinismo congênito.
"A gente não pode afirmar que os outros dois filhos, de 1 e 2 anos, morreram por causa de aplicação de insulina, mas tudo leva a crer”, disse a delegada Ana Cristina Melo Santiago à produtora da TV Globo Mara Puljiz. "Vamos levantar o prontuário médico para saber os detalhes de cada caso."

"É um caso bem delicado. E o motivo, ao que parece, é financeiro."

Reações:

0 comentários: