28 de setembro de 2017

ITAITUBA/PA - A VERDADE SOBRE O PROJETO DE LEI REJEITADO QUE DOARIA UM PRÉDIO E A SECRETARIA DE SAÚDE À FAMAP. E AUTOR DESCONTA EM BLOGUEIRO!

Vereador Wescley Tomaz, autor do projeto

A pose calma e serena do vereador acima não condiz com a pessoa que desferiu diversas ofensas no Facebook aos críticos de seu malfadado projeto de lei, que tentava dar um prédio público, a 0800, e toda a estrutura da saúde municipal, a uma rica entidade de ensino superior que, apesar de passar por pobrezinha em nossa cidade, está investindo mais de R$20 milhões em sua cidade sede, Parauapebas/PA.


Postagem do vereador Wescley Tomaz em sua página de Facebook, acusando este blogueiro, e quem é contra, de ter recebido dinheiro de alguém para fomentar críticas a seu projeto!
Este blog solicitou ao nobre edil que publicasse em sua página do Facebook o aludido Projeto de Lei-PL, haja vista que é de interesse público debater sobre tão importante tema. Vale ressaltar que o vereador Wescley Tomaz (PSC) é assíduo usuário das redes sociais, seja para divulgar seus trabalhos, reuniões ou frivolidades, como parabenizar possíveis eleitores, tendo em vista que é forte candidato ao cargo de deputado estadual no pleito de 2018. Porém, até presente hora, 20h53min, o vereador não disponibilizou seu PL em sua página social!

Como Maomé não foi à montanha, a montanha foi a Maomé e na tarde de hoje, 28/09, o blog teve acesso ao tão falado, debatido e discutido Projeto de Lei nº 0083/2017, que a todo custo o vereador Wescley tentou esconder da população; o engraçado é que o PL tinha alguns parcos defensores, que usavam da mesma tática do vereador: diziam que os críticos não tinham lido o PL! Agora, como ler algo indisponível? 

Pois bem, ao ler o PL, fiquei estarrecido com a cara de pau do vereador Wescley em tentar ludibriar, iludir, trapacear, enrolar, enganar, engabelar, passar a perna, escamotear,  toda uma população sobre os supostos benefícios, porém, inexistentes, para futuros acadêmicos, comércio, cidade, pais e mães de famílias. O PL é toda uma farsa, inclusive suas justificativas, que usa o lado sentimental para sua aprovação!

Dito isso, vamos ao PL.

No Projeto de Lei nº  0083/2017, em seu artigo 1º, seu autor propõe que seja cedida, em comodato para uma entidade privada com fins lucrativos, a SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR MÁSTER-FAMAP, as instalações da ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO INFANTIL E FUNDAMENTAL PRESIDENTE CASTELO BRANCO, para uso no período noturno, por dez anos, podendo ser prorrogado por mais anos.



Se apenas esse comodato já seria espúrio, uma aberração ética e social, além de falta de bom senso, tendo em vista que são as entidades privadas que cedem/doam algo ao setor público, o vereador coloca no artigo 2º a cessão de toda a rede pública municipal de saúde à disposição dos futuros alunos da FAMAP. Também sem qualquer ônus para a pobrezinha FAMAP.

É isso mesmo, leitor(a), você não está lendo errado: além da cedência do prédio por dez anos, o projeto ainda dá à FAMAP toda a rede de saúde do município para que a pobre faculdade possa instruir seus alunos. Por quê o vereador não colocou logo no PL que a FAMAP iria gerir a saúde de Itaituba?



Toda a estrutura da Secretaria de Saúde-SEMSA ficaria à disposição da FAMAP como sala de aula para as práticas de saúde de seus acadêmicos. A Faculdade de Itaituba, ao criar seu curso de Enfermagem montou toda uma estrutura (laboratório) para seus acadêmicos, mas a FAMAP, que está investindo mais de R$20 milhões em Parauapebas, deseja usar a estrutura da SEMSA, com custo 0800, sendo que a única contrapartida da Faculdade ao município é fazer um investimento ANUAL nos equipamentos/estruturas a serem utilizados por seus alunos. Porém, todos sabemos que tais equipamentos necessitam de conserto constante e, assim, não podem esperar  a boa vontade anual da FAMAP.


Quanto as tão faladas bolsas de estudo como mais uma contrapartida da Faculdade, nada se fala no PL!!!


É muito importante ressaltar que, para uma faculdade/universidade implantar um curso de medicina como proposto no PL, deve ter um hospital, com determinada quantidade mínima de leitos. Bem, se a FAMAP não tem a menor intenção de montar um laboratório para o curso de enfermagem, como montará um hospital?

Quanto ao fato do vereador alegar que no governo de Wirland Freire houve uma cedência a uma faculdade que estava se instalando em Itaituba na época, não prospera, posto que tal Faculdade não usou as instalações porque o MEC não aprovou. E, usar um erro para justificar o outro, não dá, né? é multa falta de argumento!!

Agora, se sabe o porquê do vereador não divulgar seu Projeto de Lei-PL ao público em geral, principalmente nas redes sociais, pois não tem como defender suas 'teses' diante do contido no PL. Assim, o vereador partiu para agressão verbal e ilações acerca deste blog estar recebendo dinheiro para criticar seu grandioso projeto de lei, que trará benefícios sim, mas apenas e tão somente para a campanha do vereador em 2018 para o cargo de deputado estadual.

Image: WhatsApp
Wescley, diante das intensas críticas recebidas ao seu projeto 2018, usou da dramaticidade e rasgou documentos públicos (imagem acima) em sessão da Câmara aquando se debatia seu projeto, o que configura grave quebra de decoro parlamentar, na tentativa de chamar a atenção e aprovação do PL.

Entretanto, seus pares viram ladainhas nas falas do autor do projeto, como de que os cursos que serão ofertados pela pobrezinha FAMAP são novidades em Itaituba. Em rápida pesquisa no E-MEC com o nome da Faculdade, constam apenas seis cursos presenciais nessa entidade (Administração, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Farmácia, Gestão Comercial e Nutrição), que não são tão baratos como propalada pelo edil. 


Quanto ao Índice Geral de Curso-ICG, não consta nenhuma nota à FAMAP; consta apenas uma nota 3 de Conceito Institucional em 2010. De lá até presente data, está é a única nota do MEC à FAMAP.

Abaixo, imagem postada por Wescley no Facebook informando os cursos que a PMI pode escolher, esquecendo o vereador que tais cursos em sua maioria, a FAMAP não disponibiliza, e, nenhum município tem o poder de escolher cursos, pois quem escolhe é a entidade, que submete à aprovação do ME. 

Resumindo, existe sim, algo de graça, e o vereador tentou provar ao tentar aprovar seu projeto 2018 às expensas da sociedade itaitubense. Enquanto isso, o vereador cara de pau, tão preocupado com a classe estudantil, seus familiares, livre concorrência e o comércio, nunca moveu um clipe para destinar um prédio público/privado para a UFOPA (que paga aluguel), para a Universidade Aberta do Brasil (UAB), PARFOR e, muito menos, pedir a seu coleguinha Zequinha Marinho (vice-governador) que ajude a Escola Técnica do Pará- ETEPA, que vive um eterno abandono. Mas o vereador que empurrar uma faculdade às famílias itaitubenses que nem nota no MEC tem para demonstrar a qualidade de seus cursos!!

E, se eu estou ganhando algo por causa de minhas postagens críticas acerca desse fajuto projeto(?), quanto está a ganhar o vereador para apresentar e defender o PL, rasgar documentos públicos, ofender seus críticos dessa rica faculdade? Quanto a IES FAMAP economizaria em aluguel nesses 10 anos? Quanto desse valor alimentaria a campanha do vereador a deputado estadual em 2018?

E, plagiando o vereador, "NÃO EXISTE NADA DE GRAÇA"!!!

Esses são os prováveis cursos que o município pode 'escolher', conforme Wescley em sua página. 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1414416905347443&set=p.1414416905347443&type=3
LEIA AQUI O PROJETO DE LEI



Reações:

6 comentários:

Anônimo disse...

Deus me livre deste vereador Playboy.

Anônimo disse...

E porque ao invés de criticar e denunciar um PL, você como jornalista e formador de opiniões, não procura junto a Câmara de Vereadores alterar para a forma politicamente correta esse projeto de lei para que possa vim de fato nos beneficiar.

Norton Sussuarana disse...

Bom dia.
Caro(a) leitor(a), esse PL não precisa ser alterado, porque em nada vai beneficiar nossa cidade. Uma pena que o vereador não quis ouvir o clamor da população, que lhe pediu para conseguir um prédio para a UFOPA, que é pública e de boa qualidade. O prédio da ETEPA está se deteriorando, mas o vereador que é do mesmo partido do vice governador, nunca se movimentou pela melhoria do prédio. É de competência dos vereadores fazerem leis que nós beneficiem e, caso todo cidadão fosse fazer leis, seria melhor não termos uma câmara.
Obrigado por visitar o blog.

Cristina Coimbra disse...

Pura verdade! Precisamos investir no que já temos, melhorar aquilo que temos. A nossa Escola Tecnica Estadual era pra ser uma Escola de referência no oeste do Pará. Temos tanta riqueza pra explorar...precisamos de pessoas qualificadas para que possamos ter consciência de como usar o que temos....Poderiamos ter cursos na área de mineração, dentre tantos outros que poderiam fazer nossa economia desenvolver adequadamente....Mas é muito triste toda essa situação. ..

Anônimo disse...

Concordo com a Cristina

Anônimo disse...

Não foi este vereadorzinho que apoiou aquela prefeita perseguidora que fez quase nada em nosso município e está desaparecida? Acho que tem que se colocar um cartaz de desaparecida pra ela nas ruas da cidade.