29 de agosto de 2017

MINAS GERAIS - UNIVERSITÁRIOS INCENTIVAM ESTUPRO EM REPÚBLICA!

Cartaz de república estudantil em Minas gera polêmica por incentivar violência contra mulher. Texto com 'direitos e deveres' dos moradores fazia apologia ao estupro
Cartaz fixado na república trazia artigos de cunho machista - Reprodução Facebook
RIO- "É vedada toda e qualquer recriminação aos moradores que embebedar (sic) uma mulher para pegá-la". A frase foi escrita como um dos "direitos e deveres" de moradores de uma república em São João del-Rei, em Minas Gerais. O cartaz fixado na residência estudantil "DaNação" gerou polêmica ao pregar a violência contra a mulher e incentivar o estupro.

As regras para os moradores da república foram divulgadas em um post na página "Spotted Feminista UFSJ", que se dedica a relatar episódios de assédio e machismo na Universidade Federal de São João del-Rei. No manual, os estudantes afirmam ainda que "Nunca se deve bater em uma mulher. Ela pode gostar". Entre outras frases machistas, os moradores da república defendem: "Não tenha escrúpulos, seja cafajeste: toda mulher gosta de sofrer.

Diante da situação, o Diretório Central dos Estudantes da universidade (DCE-UFSJ) divulgou nota de repúdio ao comportamento dos integrantes da república. Segundo o DCE, "o cartaz divulgado estimula um crime contra a dignidade sexual, previsto no artigo 215 do Decreto-Lei no 2.848 do Código Penal".

O diretório afirmou ainda que "cartazes como esse legitimam e perpetuam a violência de gênero, que mata mulheres todos os dias no Brasil e no mundo" e ressaltou: "Isso não é uma brincadeira, isso não é engraçado, isso é CRIME."

No post feito pelo DCE, dezenas de pessoas se manifestaram criticando o cartaz fixado na república "DaNação". Em uma das publicações, uma usuária afirma "Tô chocada! Não imaginei uma barbaridade tão grande! Que bom que repudiaram, isso instiga a violência contra a mulher, desrespeito total!"

"Fazem apologia ao estupro, ao desrespeito à mulher. Chocada que esse cartaz ficou colado por 13 anos, segundo os próprios moradores!", diz outro comentário no post do diretório.

Após a repercussão, os moradores da república divulgaram uma nota afirmando que queimarão o cartaz. No texto, os estudantes admitem que erraram ao manter a lista e pedem desculpas "a todas as mulheres que já frequentaram a nossa casa e tiveram a desagradável experiência de ler aquele cartaz."

"Erramos por ter convivido tanto tempo sem nos incomodar com o conteúdo deste cartaz de conteúdo machista. Temos família, esposas, namoradas, irmãs, mães e filhas. Não gostaríamos que elas fossem tratadas da forma como aquele cartaz sugere", escreveram.

Reações:

0 comentários: