23 de agosto de 2017

BRASIL - PROFESSORA AGREDIDA POR ALUNO, APOIOU AGRESSÃO A BOLSONARO E É HOSTILIZADA NA INTERNET

Professora agredida em sala é hostilizada na internet. O delegado responsável pelo caso ouvirá o agressor esta semana, um adolescente de 15 anos

Foto: Reprodução/Facebook

Por: GAZETA DO POVO

A professora Marcia Friggi, agredida por um aluno dentro da escola nesta segunda-feira, arranjou uma preocupação adicional: responder às críticas (e ataques diretos) por sua posição política.

Na noite desta segunda-feira, além de agradecer as declarações de apoio, ela repudiou o que chamou de “manifestações de ódio”.

“Não posso me calar diante das manifestações de ódio as quais estou sendo alvo. Não estou surpresa, infelizmente, nunca esperei atitude diferente dessas pessoas. Sou cidadã brasileira e, como todos, tenho liberdade de expressão”, disse ela, em sua página no Facebook. 

Marcia não esconde suas preferências políticas: defende o Partido dos Trabalhadores, em especial o ex-presidente Lula, e repudia o governo de Michel Temer. Ela também elogiou a jovem (Gabrielli Van Pelt) que atirou um ovo no deputado Jair Bolsonaro (PSD-RJ) e associou o parlamentar ao neonazismo, além de pedir “ovadas” também no prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB). Por isso, foi criticada por alguns como se tivesse merecido a agressão de que foi vítima. 

“Olhei o Face dessa professora, é esquerdista, defende menor marginal e aplaudiu a mina que agrediu o Bolsonaro, apanhou foi pouco”, afirmou um internauta. 

“Ela ajudou a parir o monstro, agora embale. Eu sempre fui durona e tradicional e aluno marmanjo sempre me chamou de senhora”, disse, no Twitter, uma mulher que se identifica como professora. 

A professora militante Marcia Friggi que aplaudiu o atentado contra Bolsonaro (já ficou provado que o plano era esfaquear o deputado) e incentiva seus alunos a cometerem novos ataques contra políticos por considerar um ato de "revolução" surta durante uma entrevista e volta afirmar que qualquer tentativa contra o "néo-nazista" Bolsonaro é válido.

Ouça a entrevista neste link

O deputado estadual Flavio Bolsonaro (PSC-RJ), filho de Jair Bolsonaro, também não deixou o episódio passar em branco: embora tenha repudiado a agressão e defendido a prisão do aluno, ele compartilhou no Twitter uma imagem mostrando o elogio da professora à jovem que atirou o ovo em Jair Bolsonaro: “A falta de respeito e a violência são incentivadas dentro das salas de aula por alguns professores-militantes”, disse Flávio. 
Gabrielli Van Pelt

O deputado também fez uma postagem semelhante no Facebook. Dezenas de seguidores responderam com mensagens agressivas à professora. “Bem feito! Agora vê se aprende e pare com tanta estupidez”, disse um deles. 

Marcia Friggi diz que vai manter sua postura: “Estou cada vez mais convicta de que sempre lutei e continuarei lutando por um mundo melhor, livre do ódio, do racismo, do preconceito, do machismo, da misoginia, da homofobia, do fascismo” (Nota do Blog: kkkkkkkk!!).

Investigação 
Após a agressão na manhã desta segunda-feira, a professora foi atendida em um hospital e liberada. 

O delegado responsável pelo caso, José Klock, disse à emissora NSC TV que vai ouvir o agressor, um adolescente de 15 anos, nos próximos dias. Segundo o investigador, o garoto não tinha passagens anteriores pela polícia.

A Prefeitura de Indaial e o governo de Santa Catarina emitiram notas repudiando a agressão.

Reações:

0 comentários: