11 de julho de 2017

SUDOESTE DO PARÁ - FECHAMENTO DE BR-163 PODE INTERROMPER EXPORTAÇÃO DE SOJA

Caminhões se acumulam em posto na BR-163, no distrito de Caracol. Foto: Macarrão Beling

A BR-163 continua fechada para o transporte da soja de Mato Grosso até o porto de Miritituba, no Pará. A rodovia é a única rota de acesso ao porto. Os bloqueios são itinerantes e não têm dada para encerrar. Sábado (08) a comunidade de Três Bueiras fechou a rodovia. No domingo (09) a estrada foi fechada no distrito de “Caracol” e hoje (10) está fechada no município de Trairão. Os caminhões se acumulam às margens da rodovia e os embarque de soja em Miritituba podem ser interrompidos a qualquer momento.

Os bloqueios permitem o retorno dos caminhões vazios a Mato Grosso, mas não permitem a ida dos caminhões carregados até os armazéns do porto de Miritituba.

O protesto e o risco de interrupção das exportações de soja foram destaque na agência de notícias Reuters, mas a imprensa brasileira tem enfatizado a pauta do movimento ambientalista.

No final da semana passada a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja) enviou carta ao presidente Michel Temer pedindo atenção à situação.

O povo da região da BR-163 exige que o Ministro do ½ Ambiente, Sarney Filho, cumpra a promessa que fez de enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei que solucione o problema dos colonos da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim. Criada em 2006 por Marina Silva, há época ministra do Meio Ambiente, em área já ocupada por colonos, a Flona não permite a coexistência com as pessoas lá já residiam antes da criação da Flona, e que terão que ser expulsas da área.

As ONGs internacionais e as agências de notícias brasileiras querem a expulsão das pessoas. Mas as pessoas protestam contra essa expulsão, posto que antes da criação da Flona já eram moradores da área.

Na semana passada um caminhão carregado com caminhonetes do Ibama foi queimado na região. Em retaliação, os ambientalistas do governo prometem apertar ainda mais a repressão contra as comunidades locais dependentes da economia de fronteira.


Este blogger torce para o povo da BR-163 se mantenha firme e pacífico e sustentem os bloqueios até que o Projeto de Lei do Jamanxim seja aprovado pelo Congresso.

Bloqueios na BR-163 se alternam em diversos locais da rodovia. Toda a comunidade da região está unida contra as ações de repressão ambiental dos ambientalistas governamentais e não governamentais.

Como até o momento não houve qualquer manifestação do governo federal quanto à remessa do projeto de lei acerca da problemática envolvendo as duas Flonas, produtores rurais da região da BR-163, no sudoeste paraense, decidiram em reunião continuar as manifestações na rodovia a partir do dia 11/07 (terça-feira), caso o governo federal não venha cumprir o acordo de editar um projeto de lei em regime de urgência, para resolver as questões de conflitos fundiários, nas unidades de conservação ao longo da rodovia. As paralisações ocorrerão nas datas e localidades abaixo:


11/07-Terça - Castelo dos Sonhos
12/07-Quarta - Vila Isol (km 1000) - Novo Progresso
13/07-Quinta - Alvorada da Amazônia (Novo Progresso)
14/07-Sexta - Novo Progresso
15/07-Sábado - Morais Almeida
16/07-Domingo - Comunidade São Francisco/Aruri
17/07-Segunda - Três Boeiras
18/07-Terça - Caracol


Reações:

3 comentários:

Anônimo disse...

Estão segurando todos os veículos ou somente os caminhões?

Anônimo disse...

Estão parando todos os veículos ou somente os caminhões?

Anônimo disse...

Todos os veículos,menos ambulâncias e carros com pessoas enfermas.