3 de julho de 2017

BOA VISTA/RR - ÚNICO SOBREVIVENTE DE QUEDA DE AVIÃO PULOU ANTES DA EXPLOSÃO. EMPRESA É A MESMA QUE MATOU PILOTO EM RESGATE NO MÊS DE JUNHO.

Avião particular fretado pelo Exército cai no interior de RR e quatro morrem, diz Defesa Civil

Segundo a Defesa Civil, aeronave caiu logo após decolar e pegou fogo. Um sobrevivente está internado em estado grave.

Por Inaê Brandão e Emily Costa, G1 RR

Um avião da Paramazônia Táxi Aéreo fretado pelo Exército Brasileiro caiu no Cantá, no Norte de Roraima, na manhã desta segunda-feira (3). Quatro pessoas morreram e uma sobreviveu, informou a Defesa Civil do estado. As causas do acidente estão sendo investigadas.
Segundo o chefe da Defesa Civil, coronel Doriedson Ribeiro, tinham cinco pessoas na aeronave. Uma foi resgatada com vida logo após o acidente pela própria empresa dona do avião e levada ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista.
Conforme o coronel, os quatro corpos seguem no local do acidente aguardando a perícia. As vítimas e o sobrevivente não tiveram os nomes divulgados.
Ao G1, a Secretaria Estadual de Saúde confirmou que a pessoa resgatada após a queda está internada em estado grave na unidade.
Ainda segundo Doriedson Ribeiro, a aeronave caiu em uma região de mata no fim da pista de pouso da Paramazônia e pegou fogo. O acidente ocorreu logo após a decolagem.
Avião modelo PR-FMR Cessna 2010 caiu logo após decolar (Foto: Inaê Brandão/G1 RR)
Um funcionário da empresa disse que a aeronave envolvida no acidente é o monomotor modelo PR-FMR Cessna 2010.
Equipes do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7) estão se desolcando o local e devem iniciar o processo de investigação do acidente.
O G1 entrou em contato com o dono da Paramazônia Táxi Aéreo, Arthur Neto, mas ele não se manifestou.

Aeronave fretada pelo Exército
O Exército informou por meio de nota que a aeronave foi locada para transporte de pessoal a uma área onde é realizada a operação Curare VIII.
"As informações sobre as circunstâncias do acidente e envolvidos no sinistro estão a cargo da empresa contratada", informa a nota, acrescentando que ainda tem não mais detalhes sobre o acidente.

'Ouvi pedido de socorro', diz testemunha

Clério Alves, que mora em uma casa vizinha à pista de pouso, contou ao G1 que por volta das 11h15 (12h15 de Brasília) ouviu o barulho da aeronave decolando, seguido pelo som de árvores se quebrando e o estrondo da queda da aeronave.

"Depois de ouvir o barulho, saí correndo, vi o fogo e ouvi uma pessoa gritando por socorro. Ajudamos ele, e o rapaz que é funcionário da Paramazônia levou ele [sobrevivente] para o hospital dentro de um carro", contou.

Ele relatou que o sobrevivente da queda estava todo ensaguentado e com as roupas queimadas.
Avião caiu em região de mata no final da pista de pouso (Foto: Inaê Brandão/G1 RR)

NOTA DO BLOG: A EMPRESA PARAMAZONIA É A MESMA EMPRESA DO PILOTO QUE, APÓS FAZER POUSO EM UM RIO, FALECEU AO SER RESGATADO PELA EMPRESA. VEJA POSTAGEM CLICANDO AQUI.

Reações:

0 comentários: