21 de novembro de 2016

RIO DE JANEIRO/RJ - AUXÍLIO CRECHE ATÉ OS 24 ANOS, DEFENDIA PGE

Em meio à crise, Procuradoria Geral do Rio tentou estender auxílio-creche para até 24 anos
Benefício seria transformado em auxílio-educação; mudança já foi revogada

Vinicius Neder,
O Estado de S.Paulo
21 Novembro 2016 | 16h59
Estado do Rio passa por crise fiscalFoto: USP Imagens
Apesar da crise fiscal e do rombo estimado em R$ 17,5 bilhões nas contas públicas do Estado do Rio, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) tentou estender o auxílio-creche dos servidores do órgão. Uma resolução publicada no último dia 18 no Diário Oficial do Estado transformou o auxílio-creche em auxílio-educação, estendendo-o para filhos de até 24 anos - antes, o benefício contemplava filhos até seis anos. No próprio dia 18, o novo procurador-geral, Leonardo Espíndola, que era secretário estadual da Casa Civil, revogou a mudança.
No mesmo dia 18, última sexta-feira, a mudança no benefício foi noticiada pelo site de notícias G1. Embora a Resolução 2.974/2016 tenha sido publicada no Diário Oficial naquele dia, o ato fora assinado em 11 de novembro, pela então procuradora-geral Lucia Léa Guimarães Tavares.
Ainda assim, Espíndola, que como secretário da Casa Civil participou das decisões e anúncios sobre o pacote de ajuste fiscal proposto pelo governo fluminense, já era procurador-geral quando a resolução foi publicada. A revogação da resolução que estende o benefício - assinada no dia 18 - foi publicada nesta segunda-feira no Diário Oficial.
O valor do auxílio é de R$ 900 ao mês, para reembolsar as despesas "com pagamento de mensalidade de creche ou estabelecimento de ensino legalmente constituído". O benefício pode ser usado diversos cargos da PGE, não apenas pelos procuradores.
Procurada, a assessoria de imprensa da PGE informou que a mudança já fora revogada. Questionada sobre quantos servidores recebem o auxílio-creche e qual o gasto, no orçamento da PGE, com esse benefício, a assessoria não se manifestou até o fechamento desta reportagem.

Reações:

0 comentários: