9 de junho de 2016

SÃO PAULO/SP - 18 PESSOAS MORREM EM ACIDENTE COM ÔNIBUS UNIVERSITÁRIO

Ônibus com universitários bate e mata 18 em rodovia

O ESTADO DE S. PAULO
09 Junho 2016

Veículo na Mogi Bertioga levava estudantes para a cidade de São Sebastião; outras 31 pessoas ficaram feridas, dizem bombeiros

SÃO PAULO - Um ônibus da Companhia União Litoral, com pelo menos 46 pessoas a bordo, capotou na noite desta quarta-feira, 8, na Rodovia Mogi-Bertioga. Segundo informações dos bombeiros e da Polícia Civil, 18 pessoas morreram, entre eles o motorista, e 31 ficaram feridas.

RELACIONADAS

De acordo com as equipes de socorro iniciais, o veículo levava estudantes das Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e Brás Cubas (UBC) para a cidade de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. Também estariam no coletivo alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) de Mogi. O acidente aconteceu no km 84, entre Mogi das Cruzes e Bertioga. Ainda segundo informações dos bombeiros, o motorista perdeu o controle do veículo, colidiu de frente com um rochedo na pista contrária e caiu em uma ribanceira.

ACIDENTE COM ÔNIBUS UNIVERSITÁRIO NA RODOVIA MOGI-BERTIOGA
José Patrício/Estadão ConteúdoVeículo transportava estudantes do litoral norte a Mogi das Cruzes>

Um ônibus da Companhia União Litoral, com pelo menos 46 pessoas a bordo, capotou na noite de 8 de junho






O delegado Fabio Pierre, da Delegacia de Bertioga, responsável pela investigação das causas do acidente, disse em entrevista à Rádio Estadão que o ônibus ficou totalmente danificado, o que deve atrapalhar as investigações.

"Os danos causados no ônibus dão a impressão de que houve um atentado terrorista, parece que uma bomba foi colocada dentro dele e ele implodiu. Não dá para entender como, felizmente, algumas pessoas saíram vivas daquele coletivo", disse o delegado.

Pelos menos 20 viaturas e 67 homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, além de oito ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do litoral, atenderam o caso. Grupos de outras cidades litorâneas também foram deslocadas para prestar atendimento às vítimas. Equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) estavam no local, uma vez que o tráfego teve de ser bloqueado nos dois sentidos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, oito vítimas estão no Pronto-Socorro de Bertioga, quatro no Pronto-Socorro de São Sebastião, quatro na Santa Casa de Mogi das Cruzes e três no Hospital Santo Amaro, no Guarujá.

Causas. O capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, informou à rede Tribuna que havia muita neblina no momento do acidente. Pelo menos quatro ônibus faziam a travessia em comboio, incluindo o que sofreu o acidente. 

De acordo com Pierre, os sistemas de segurança do ônibus foram danificados, mas nesta quinta-feira será feita uma perícia técnica detalhada no veículo. "Apesar de ser uma curva com declive acentuado, seguramente o coletivo não vinha devagar. A gente ainda não sabe precisar a velocidade, mas ele não estava devagar", disse o delegado. 

Os motivos que levaram o motorista do coletivo, um fretado de prefixo 4900, perder o controle, ainda serão investigadas. Por volta de 1h05, o Corpo de Bombeiros informou que as vítimas estavam sendo atendidas no Pronto Socorro de Bertioga e no Hospital Santo Amaro do Guarujá. Ainda havia pessoas presas às ferragens e nenhuma previsão de fim dos trabalhos. Duas das vítimas morreram nos hospitais.



Estudantes. De acordo com o delegado, a maioria dos estudantes tinha entre 20 e 22 anos e estava dormindo no momento do acidente. Até as 8 horas desta quinta-feira, apenas um corpo havia sido identificado pelo família - o da estudante de Psicologia Ana Carolina da Cruz Veloso, de 21 anos.

"Dezenas e dezenas de pertences das vítimas foram levados à delegacia. São bolsas, mochilas, agasalhos e celulares. Inclusive, alguns desses celulares estão tocando sem parar e a gente não sabe se são de pessoas que estão vivas ou que, infelizmente, faleceram. É uma tragédia sem precedente", disse o delegado.

O ônibus era um dos alugados pela prefeitura de São Sebastião para levar os estudantes para a universidade. De acordo com o prefeito do município, Ernane Primazzi (PSC), o transporte para os alunos é gratuito - ele garantiu que a documentação do veículo estava regular. "Ainda estamos aguardando a perícia para saber se foi um problema mecânico ou erro humano", disse. 

Liberação dos corpos. O prefeito informou que solicitou ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) um reforço de médicos legistas para que a liberação e identificação dos corpos seja feita de forma mais rápida. O Instituto Médico Legal (IML) do Guarujá, para onde foram levados os corpos, tem apenas um médico legista. São Sebastião tem um médico legista que também está trabalhando no caso. 

"Pedi ao governador que nos ajudasse, e ele disse que nos mandaria médicos e colocou os hospitais de São Paulo à disposição para as vítimas que precisarem de transferência", disse Primazzi. 

Segundo ele, a prefeitura está preparando o Ginásio de Esportes de Boiçucanga para o velório dos estudantes e disse que assistentes sociais e psicólogos foram encaminhados à delegacia e ao IML para ajudar as famílias. "Para amenizar a dor dos pais, familiares e amigos, não tem muito mais o que nós podemos fazer nesse momento", disse o prefeito.

Reações:

0 comentários: