18 de junho de 2016

ITAITUBA/PA - RELATOS DO ASSASSINATO DO SARGENTO PM JOÃO LUÍS

O sgt PM João Luiz foi atingido com dois tiros quando perseguia um elemento na Flona Jamanxim em Novo Progresso, sudoeste do Pará

Pela parte da tarde do dia 17/06/16, militares de uma GU-PM composta pelos sargentos João Luis e Feitosa e do cabo Pereira, todos do 15º BPM, davam apoio ao IBAMA  em diligências na cidade de Novo Progresso e, quando se encontravam em uma estrada secundária, conhecida por vicinal da Francy, juntamente com mais quatro agentes do IBAMA, averiguando denúncia de extração ilegal de madeira em área de preservação ambiental, distante aproximadamente cem quilômetros da área urbana de Novo Progresso, por volta das 15h30min, encontraram um barraco com mantimentos e alguns materiais utilizados na extração de madeira, mas sem ninguém às proximidades, motivo pelo qual os agentes do IBAMA tocaram fogo no barraco e saíram do local. Mais um pouco à frente uma das viaturas atolou num lamaçal, fazendo com que perdessem uns 30 minutos no local.

Após esse período o grupo resolveu retornar e, ao passarem em frente ao barraco que tinha sido incendiado, perceberam que o fogo havia sido apagado com água. Os policiais e agentes do IBAMA seguiram nas viaturas, parando mais à frente, quando desceram os três policiais, que retornaram a pé para o barraco incendiado no intuito de surpreenderem quem havia apagado o fogo. Os policiais ficaram no barraco e perceberam que um homem saiu do mato seguindo em direção ao barraco, quando o sgt. João Luís falou ao estranho que era a polícia, ordenando que o homem parasse, mas o estranho não obedeceu a ordem e retornou para o mato, sendo seguido pelo sgt João Luís, que estava com a arma em punho.

Os outros dois PMs seguiram na direção de João Luís, que já estava bem à frente de seus colegas de farda. Que logo em seguida ouviram disparos de arma de fogo e viram João Luís retornando, dizendo que havia sido baleado. Os policiais Feitosa e Pereira efetuaram vários disparos na direção em que ouviram os disparos, mas não perseguiram o estranho, pois se preocuparam em socorrer o policial ferido. Feitosa e Pereira acreditam que quem atingiu João Luís provavelmente foi outra pessoa que se encontrava tocaiada no mato, e não o homem que havia corrido para o mato. Foi no ombro e no pescoço os tiros que ceifaram a vida do valoroso policial João Luís, indo a óbito uns 40 minutos após ser atingido.

No local da emboscada, no dia 16/06/16, a mesma equipe do sgt João Luís fez a apreensão de um trator, um caminhão e várias motosserras, sendo presos cinco homens. Certamente os homens que atiraram no sargento estavam fazendo exploração ilegal de madeira e juntamente com os cinco homens que foram presos.


Fonte: 15ºBPM.
Postado por Junior Ribeiro

Reações:

4 comentários:

LAURO CERQUEIRA disse...

Infelizmente turma que destroem nossas florestas deveriam ser presos exemplarmente e jogado as chaves da cadeia no oceano, são assassinos impunes pelo poder de corrupção, mais um agente público morre no exercício da função, que o FN - FORÇA NACIONAL peguem esses vagabundos, se possível vivos para pagarem pelo crime que cometeram.

LAURO CERQUEIRA disse...

Infelizmente turma que destroem nossas florestas deveriam ser presos exemplarmente e jogado as chaves da cadeia no oceano, são assassinos impunes pelo poder de corrupção, mais um agente público morre no exercício da função, que o FN - FORÇA NACIONAL peguem esses vagabundos, se possível vivos para pagarem pelo crime que cometeram.

preocupado com a floresta disse...

Precisamos de ajuda pra cuidar da floresta amazônica

Anônimo disse...

precisamos de governantes sérios e honestos para cuidar tanto das nossas florestas.quanto do nosso país e de nosso povo,porque a continuar assim, virará uma zorra....e que DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE TODOS NÓS.......