25 de janeiro de 2016

ITAITUBA/PA - O DESABAFO DE UMA MÃE!

Sabe por que vemos hoje tantas mães fazendo rifas, campanhas e pedindo ajuda para cuidar dos filhos deficientes?

Porque temos nossos direitos negados!

Porque quem era para dar assistência, nega, dificulta, atrapalha...
Porque muitas mães precisam deixar de trabalhar para cuidar dos filhos! E quando isso acontece, vão viver com um salário mínimo que não dá nem para comprar a medicação necessária!
Porque o remédio dado pelo governo é muitas vezes genérico, e algumas crianças não respondem ao tratamento como deveria!

Porque reabilitar é caro! São médicos, medicações, cadeira de rodas, órteses, terapias (motora, respiratória, terapia ocupacional, estimulação precoce, terapias intensivas, fototerapia, kinésio, entre muitas outras, se quiser que o filho tenha qualidade de vida), fraldas descartáveis por uso prolongado, alimentos nutricionais para não ficarem abaixo do peso!

E tudo isso a rede pública concede? A resposta é NÃO! Ou muitas vezes é dado produtos de péssima qualidade que ao invés de melhorar a saúde do filho, as condições só pioram.

A situação é assim: cadeira de rodas sem as devidas adaptações, fraldas sem qualidade, medicação genérica (sito porque aconteceu com Victor), escassez de médicos no SUS. Aqui em Itaituba temos excelentes profissionais, mas sem condições de trabalho, sem uma cadeira, equipamentos, brinquedos e aparelhos adequados para o trabalho e a reabilitação. Falta e falta muito! Não se pode dá qualidade de vida dessa forma.

Hoje a mentalidade é outra, não queremos nossos filho trancados dentro de casa, vegetando, sem a assistência devida, sabemos que com um tratamento adequado,  - que lhe é devido -, podemos prolongar a vida com bem estar.

Se Deus quiser logo logo Victor estará, via judicial, recebendo tudo aquilo que é dele por direito! É dever nosso cobrar e é dever do Estado arcar com os tratamentos de forma digna.

Não temos tempo a perder! Vamos à luta.

Reações:

0 comentários: