7 de dezembro de 2015

CASO ENFERMEIROS - SAMBA DO CRIOULO DOIDO!!

Diferentemente do que afirma a prefeita de Itaituba no tocante a não cair a qualidade do serviço prestado à população, principalmente na saúde, que já deixava a desejar, principalmente em termos de material de atendimento, não é o que se tem verificado no Hospital Municipal de Itaituba-HMI, com reflexos direto nos postos de saúde, que evitam congestionamento do atendimento no HMI, haja vista que enfermeiros de alguns postos estão sendo deslocados para atendimento no HMI. 

É o caso do Posto de Saúde do Piracanã, quem tem como responsável a competente enfermeira Bernadete, carinhosamente chamada de Berna, que está se desdobrando em duas para dar contar do serviço, mas como atestam as imagens abaixo, mesmo com toda sua competência, Berna não dá conta do serviço, principalmente por causa da extenuante jornada de trabalho a qual está sendo obrigada, principalmente por se encontrar no estágio probatório, a cumprir carga horária além da prevista no Regime Jurídico Único dos Servidores Municipal-RJU e muito acima do suportável por um trabalhador que executa suas tarefas em área altamente insalubre, o que pode colocar em risco sua saúde e dos pacientes, ante esse cansaço.

No caso específico da enfermeira Berna, a mesma está desde sexta-feira, 04/12, à disposição do HMI, mas o Posto de Saúde do Piracanã está sem enfermeiro.

A imagem à esquerda, mostra a enfermeira Berna trabalhando domingo último no HMI no setor de emergência, concomitantemente com o setor de Internação. Ressalte-se que desde sexta-feira que a enfermeira acima está nessa árdua e massacrante tarefa. E o Posto de Saúde do Piracanã sem qualquer profissional de enfermagem respondendo pela unidade de saúde do Piracanã. Berna é lotada no Posto Piracanã na estratégia Saúde da Família. Quem atualmente responde pelo posto são acadêmicos de enfermagem sem qualquer supervisão/orientação.

Ante tanto trabalho e diante do inevitável cansaço, por volta das 23 horas de domingo, a enfermeira Berna  pediu ajuda a outras enfermeiras integrantes do grupo de Whastapp 'Tc de Enfermagem', mas, com certeza devido ao cansaço e a fadiga gerado por uma sobrecarga de trabalho, a enfermeira Berna mandou seu pedido de socorro ao grupo da família. Vide imagens abaixo do pedido de socorro.

Se, para uma simples atividade a enfermeira, após longa jornada de trabalho cometeu esse pequeno e sanável engano, quais erros poderá cometer em uma atividade mais complexa e que exija mais atenção?

O(a)s enfermeiro(a)s que trabalham nos plantões do HMI, labutam na escala de 12 x 36. Ou seja, trabalham em plantão de doze horas e folgam por 36 horas. Mas não é isso que está sendo obedecido no HMI, pois a enfermeira Berna, após trabalhar no plantão da noite do domingo, começou mais um plantão às 13 horas do dia de hoje, 07/12, no setor de obstetrícia e monitorando vários acadêmicos de enfermagem. Portanto, sem o devido respeito ao período de descanso, e colocando em risco a vida da enfermeiras e dos pacientes. Mas não é somente a enfermeira Berna que passa por esse risco, a enfermeira Marinalva, da equipe do SAMU, está passando pela mesma maratona de serviço.

Mas como disse a prefeitona, a qualidade do serviço não cairá. Quem poderá cair são as enfermeiras, mas de cansaço ou  por demissão.

DENÚNCIA

Diante das demissões arbitrárias e imorais, além de assédio moral,  dos onze enfermeiros, foi feita uma denúncia ao Conselho Regional de Enfermagem-COREN, ao Conselho Municipal de Saúde e ao Sindicato dos Trabalhadores da Saúde-SINDSAÚDE, que até o momento nada fez em prol dos enfermeiros e dos técnicos em enfermagem, que tiveram dedução de 30% nos salários determinado pela sra. Marilda Braga, Diretora do HMI, pois era aceitar  a 'oferta' ou demissão, conforme determinou a sra. Marilda, Secretária de Saúde de fato!

A objetivo da denúncia é fazer com que os enfermeiros demitidos retornem ao trabalho sem qualquer redução salarial, pois há um ano fizeram um acordo verbal com a senhora Marilda de redução salarial de 15% por apenas dois meses, o que se mantém até hoje e, caso aceitassem mais essa redução salarial de 35%, em um ano teriam seus salários reduzidos em 50%, o que foi veementemente recusado. E assim como foi proposto aos técnicos em enfermagem, corte de 30% no salário ou demissão, o mesmo foi proposto aos enfermeiros, mas com corte de 35%, ou demissão.

Agora, houve cortes nos salários da Secretária de Saúde, da diretora-Secretária do HMI e de alguns enfermeiros do staff religioso da prefeita? NÃO!!

PERSEGUIÇÃO VERSUS RETALIAÇÃO

Quando tem a oportunidade de pisar, humilhar, ofender, massacrar, pisotear, o governo que se intitula de TODOS e sempre fala no nome de Deus, não deixa passar em vão uma chance assim. Foi o que aconteceu há pouco com a família da demitida enfermeira Cleidiane Silva que, ao se recusar retornar ao trabalho em solidariedade a seus companheiros, teve, como retaliação por sua solidariedade, a exoneração de seu marido, Leandro Xavier, responsável pelo Raio-X do HMI.

E, como tudo é feito com esmero quando se trata de perseguição nesse governo, o memorando de demissão de Leandro já estava assinado pela Secretária de Saúde antes mesmo da recusa da enfermeira Cleidiane. Caso aceitasse a oferta de retorno ao trabalho, o memorando seria inutilizado. 

É a perseguição levada a cabo no estilo nazista, onde não se destruía um membro da família, mas a família! E a chave da câmara de gás fica com a diretora-secretária-de-saúde do HMI!

Reações:

8 comentários:

Anônimo disse...

Ah... A enfermeira do SAMU está tirando plantão no HMI e SAMU? Quer dizer que agora pode??? Os 05 técnicos de enfermagem do SAMU foram dispensados em Abril deste ano, pq segundo a secretária de saúde, ela poderia responder por improbidade administrativa por estarem em dois setores, agora já pode? Agora os técnicos do SAMU ficam sob supervisao de quem quando ela está ausente? É o governo das irregularidades!!

Anônimo disse...

É Norton... Pelo menos seu blog fala a coisa na sua mais pura essência. Enquanto os outros meios de comunicação ficam mascarando. Suspeita-se que pra televisão a prefeita deve ta com os pagamentos em dia, já que eles não mostram a realidade. Mas nos temos vc que não se deixa comprar! Parabéns!!!

Anônimo disse...

Essa estória de demitir os enfermeiros e não cair a qualidade do atendimento no HMI é igual um time de futebol perder metade de seus jogadores durante uma partida e ainda ganhar o jogo só se for um milagre. Neste caso o atendimento só ficaria do mesmo jeito se as pessoas parassem de procurar o atendimento no HMI, coisa que não vai acontecer, porque é o único hospital público do município. Como falei anteriormente a prefeita demitiu nos lugares errados, deveria era demitir os ASPONE e cortar as despesas com as empresas de comunicação do municípios pois não traz nenhum benefício pra cidade é apenas para calar a boca de alguns meios de comunicação, enquanto isso o povo continua sofrendo por sempre ficar em último lugar nas prioridades deste governo. Então repense sua atitude prefeita, e volte a recontratar os enfermeiros, pois são essenciais para o nosso município.

Anônimo disse...

Isaac diz que a prefeita não respeita a Câmara
“A prefeita diz que a gente não sabe de nada, quando mexe em salários por decreto.


Nem no salário dela ela pode mexer sem autorização da Câmara, mas, ela baixa decretos alterando salários, ignorando o fato de que isso só tem validade se passar pela Câmara”, afirmou o vereador do PSB.

blog do Jota Parente

Anônimo disse...

Não deveriam nem ter aumentado para 15.

Iamax defende diminuir número de vereadores em Itaituba
Depois de também manifestar irrestrito apoio aos enfermeiros, o vereador Iamax Prado (PMN), surpreendeu os presentes na Câmara com uma proposta que seus colegas já conheciam.

Ele propõe, através de um Projeto de Lei Complementar, que seja reduzido o número de vereadores da Câmara Municipal de Itaituba.

Dos atuais 15, ele defende que a partir da próxima legislatura sejam apenas 13.

Justifica sua proposição citando que o Congresso Nacional, tanto em nível de Câmara Federal, quanto do Senado da República já discute a redução do número de parlamentares nas duas casas.

Por enquanto, não há prognósticos algum sobre a possibilidade da proposta do vereador prosperar.

Anônimo disse...

Quando o filósofo iluminista Montesquieu conhecido por sua célebre obra Espírito das Leis, na qual dizia "qualquer pessoa que tenha o poder tenderá a abusar dele". Então, para que evitar que o poder se concentradas nas mãos de uma só pessoa, propôs a divisão do governo em três poderes. Executivos (para administração e executar as leis), Legislativo (para elaborar e aprovar as leis) e Judiciário (para fiscalizar o cumprimento das Leis e julgar os conflitos).

Montesquieu dizia ainda que o governo assim dividido só funcionaria bem se os três poderes fossem autônomos, isto é, se um não se comprometessem na área de atuação do outro. Esse filósofo foi o criador dos três poderes. Então, se os três poderes são autônomos porque deixar o Executivo agir como se ele fosse um governo depotista, será que voltamos a era do absolutismo?

Anônimo disse...

Não tem recurso pra pagar os demitidos mais vai ter show do Léo Magalhães.( o show varia de 150 a 250 mil reais) pelo jeito esse valor não vai fazer falta pra gestão

Anônimo disse...

250 mil por uma noite de ilusão, no outro dia o povo vai tá revoltado de novo com os problemas do município, e com 250 mil amenos na conta. Um governo é a imagem do seu povo, omisso e despreocupado.