7 de outubro de 2015

TCU REJEITA CONTAS DE DILMA ROUSSEF!!

TCU julga contas de Dilma em 2014


Tribunal de Contas da União analisa nesta tarde as contas do governo federal durante o ano passado

Após o Supremo Tribunal Federal rejeitar o recurso da Advocacia-Geral da União pedindo a suspensão da análise das contas presidenciais nesta tarde, o TCU retoma o julgamento das contas do governo federal.


Minuto a Minuto

20h02
07/10/2015 - Maioria dos ministros se manifesta pela rejeição das contas de Dilma. Cabe ao Congresso Nacional avaliar o parecer e julgar as contas do governo federal em 2014


19h49

07/10/2015 - Outros ministros do TCU passam a discutir o parecer de Augusto Nardes e decidir se vão manter o entendimento do relator

19h45
07/10/2015 - Augusto Nardes recomenda a rejeição das contas de Dilma pelo Congresso Nacional

19h41

19h38

07/10/2015 - Ao fim de sua fala, o AGU argumentou que o debate político acabou se misturando com a análise do tribunal. “Extrapolou e muito o debate técnico. Essa confusão acaba prejudicando a apuração e a análise do resultado”, afirmou. “O Tribunal de Contas tomará sua decisão, mas o que não pode é artificiosamente transformar isso num movimento de cassação de mandato presidencial”, finalizou, sob reação sonora de deputados que acompanhavam as declarações. Neste momento, o relator do processo, Augusto Nardes apresenta seu relatório. (Bernardo Caram, João Villaverde e Fábio Fabrini) 

19h34
07/10/2015 - Em 20 minutos de fala, Adams rebateu o uso do termo “pedaladas fiscais”, citado pelo relator do caso, ministro Augusto Nardes, e apresentou argumentação em defesa do governo. Segundo ele, práticas semelhantes foram feitas em governos anteriores, ainda que em menor grau. No entanto, afirmou que deveria haver uma isonomia no tratamento do TCU, que no passado não apontou o cometimento de crime de responsabilidade fiscal. “Não existe meia operação de crédito, assim como não existe meia gravidez”, disse.

19h32

07/10/2015 - Mais cedo, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, defendeu que o processo que analisa as contas do governo Dilma Rousseff no Tribunal de Contas da União (TCU) não pode se transformar em um “movimento de cassação presidencial”.

19h23
07/10/2015 - Um dos principais problemas apontados pelo TCU nas contas do governo foram os excessos da prática chamda de "pedaladas fiscais". Entenda o que são as pedaladas

19h17
07/10/2015 - "Não posso deixar de reconhecer que governo cumpriu parte das recomendações do TCU", afirma Nardes em seu voto

19h13

07/10/2015 - Presidente do TCU passa a palavra para Augusto Nardes, relator das contas de Dilma, para ler seu relatório final sobre as contas do governo.


19h12
07/10/2015 - Após fala de Adams, Raimundo Carreiro pede a palavra

18h57
07/10/2015 - Advogado-geral da União diz que relatório do governo tem como base entendimentos anteriores da corte de contas

18h56
07/10/2015 - Adams utiliza o começo de sua fala para reafirmar o recurso protocolado pelo governo contra Augusto Nardes 

18h50
07/10/2015 - Luís Inácio Adams passa agora a falar por 20 minutos para defender o governo federal perante o plenário do TCU

18h48
07/10/2015 - 

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

Joaquim Barbosa critica PSDB, Cunha e comportamento de políticos

"Eles só pensam numa coisa: no dinheiro das empresas", diz ex-presidente do STF

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, usou sua conta no Twitter na tarde desta terça-fera (6) para criticar o comportamento de políticos brasileiros, o PSDB e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB). "Notem o comportamento dos políticos: a) nossa economia está aos frangalhos, mas eles só pensam numa coisa: no dinheiro das empresas!", disse Joaquim Barbosa na primeira publicação.  Joaquim Barbosa critica PSDB, Cunha e comportamento de políticos. "Eles só pensam numa coisa: no dinheiro das empresas", diz ex-presidente do STF. Em seguida, o ex-presidente do STF lembra que o presidente de uma das Casas do Congresso enfrenta acusações de crimes graves, mas é "apoiadíssimo pelo PSDB!". "Dá para levar essa gente a sério? Não dá, né?", questiona. 
(Jornal do Brasil)