8 de agosto de 2015

AEROPORTO DE ITAITUBA SERÁ REFORMADO/AMPLIADO.

Pará receberá a construção e reforma de 24 aeroportos

Por: O Liberal

Nota do Blog: "Aposta na aviação regional - A presidente Dilma e o ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil) acertaram ontem que o governo vai acelerar a construção de aeroportos regionais. Os alvos imediatos são os 124 aeroportos que também interessam às empresas de aviação. Em um ano de ajuste, terão preferência os de menor custo: dasapropriação resolvida (sem desembolso) e questão ambiental solucionada ou com menores exigências. As maiores demandas do mercado estão em Minas Gerais (33) e Amazonas (25). Há ainda 146 aeroportos que sertão subsidiados. Para isso, o governo pode usar 30% da arrecadação anual do Fundo de Aviação Civil, o que dá uma receita de R$1,3 bilhão" - Ilmar Franco (Diário do Pará, Caderno B, pág. 9, 16/01/2015). - sexta-feira, janeiro 16, 2015 2 comments - Essa 'Nota do Blog" acima comprova o que este blog postou em janeiro/2015 acerca da possibilidade do aeroporto de Itaituba receber os investimentos agora previsto. É o blog saindo na frente da concorrência. Confira no link (http://www.nortonsussuarana.com.br/2015/01/caso-aeroporto-ha-uma-luz-no-fim-do.html)

O Pará será contemplado com a construção e reforma de 24 aeroportos dentro dos 270 pontos de embarque e desembarque de aeronaves que serão construídos em todo o país pelo Plano de Incentivo à Aviação Regional, desenvolvido pelo Governo Federal em parceria com os governos estaduais. A iniciativa foi confirmada na tarde desta quarta-feira, quando o governador Simão Jatene recebeu uma equipe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), que veio ao Pará para dar continuidade ao plano de investimento em logística na parte dos aeroportos regionais.

Os municípios beneficiados são Almeirim, Altamira, Breves, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Dom Eliseu, Afuá, Itaituba, Jacareacanga, Marabá, Monte Alegre, Novo Progresso, Oriximiná. Oriximiná-Porto de Trombetas, Ourilândia do Norte, Paragominas, Paraubepas, Redenção, Rurópolis, Santana do Araguaia, Santarém, São Felix do Xingu e Tucuruí. O critério de seleção considerou uma série de quesitos, mas o principal foi a região de influência. Foram selecionadas cidades polarizadoras, que detêm serviços essenciais como hospitais, bancos, correios e universidades, o que atrai populações das cidades vizinhas. As obras serão realizadas pelo Governo Federal e, uma vez concluídas, passam a ser administradas pelo governo estadual.

O diretor do Departamento de Outorgas da SAC, Ronei Glanzmann, lembrou que é preciso fazer o aeroporto funcionar como um todo e para isso a gestão é importante. “Vamos trabalhar o incentivo às operações das linhas aéreas, mediante subsidio do governo federal”, explicou. Ele definiu a região amazônica como prioritária.

Foto: O Liberal/arquivo
O governador Simão Jatene destacou que o governo tem total interesse no projeto e que o Pará será um parceiro efetivo e solicitou à secretaria a ampliação da quantidade de municípios marajoaras contemplados pelo projeto. “A Ilha do Marajó é uma região que precisa de aeroporto para realmente se integrar”, lembrou Jatene. 

A SAC se comprometeu a estudar o caso do Marajó, considerada uma região delicada e estratégica do ponto de vista nacional. “Vamos levar essa demanda para Brasília. Nós entendemos a complexidade e a dificuldade de acesso à ilha do Marajó. O Pará pode contar com nosso apoio. Nós vamos tentar endereçar ainda mais aeroportos do que já temos planejado para essa região”, garantiu.

Para o secretário estadual de Transportes, Kleber Menezes, a reunião não foi para discutir aeroportos, e sim para tratar da aproximação e da mobilidade do povo paraense. “Temos uma grande demanda de acessibilidade dos paraenses em seu próprio território.”, destacou. Ele acrescentou que o Estado tem planos de adequação estatutária da Companhia de Postos e Hidrovias do Pará (CPH) para que ela se transforme numa companhia de logística e possa se responsabilizar não apenas pelos portos e hidrovias, mas também pelos aeródromos. 

O diretor do departamento de Gestão do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos, Eduardo Bernardi, parabenizou a iniciativa. “É o inicio de um trabalho muito bom. O primeiro passo foi essa conversa e a boa vontade do governador em se colocar à disposição e realmente criar uma possibilidade para o Estado assumir os aeroportos. O segundo será continuar com estudos e projetos para que a gente possa ter editais e começar as obras em 2016”, reiterou Bernardi.

As equipes da Secretaria de Aviação Civil e do Governo do Estado vão se reunir com os prefeitos dos municípios beneficiados pelo programa hoje, às 9h, na sede da Setran. À tarde, a partir das 14h, uma comitiva composta pelo secretário Kleber Menezes e gestores da SAC fará vistoria nos aeroportos de Belém, Itaituba, Conceição do Araguaia, Paragominas e Santarém.

Reações:

0 comentários: