26 de maio de 2015

PRESO VEREADOR QUE ACHA POUCO GANHAR R$8 MIL. PREFEITO ESTÁ FORAGIDO!

PARAUAPEBAS: Operação Filisteu do MPPA apreende documentos e faz prisões




Documentação apreendida


A operação denominada Filisteu desmontou esquema criminoso oriundo de fraudes em processos licitatórios e superfaturamento de terrenos desapropriados pela prefeitura; emissão de notas fiscais frias e desvio de recursos públicos entre membros da câmara e o comércio na região.


Foi preso, até o momento, o vereador Odilon Rocha de Sansão (PMDB), conhecido pela afirmação polêmica acerca do valor do salário de vereador. 
Vereador Odilon Sansão

E o empresário do ramo do comércio local, Edmar Cavalcante conhecido como “Boi de Ouro” acusado de emitir e vender notas fiscais frias.


Outro alvo da operação é a casa do ex-presidente da câmara municipal, Josineto Feitosa de Oliveira.

Trata-se da maior operação já realizada pelo GAECO, a notícia é que duas pessoas foram detidas, mas os nomes não estão confirmados, sabe-se que é um vereador e um empresário.

Casa do prefeito está cercada pelo GAECO e Políciais.

A casa do prefeito está ocupada pela polícia e não há notícias que o prefeito esteja na residência. 
Operação de Busca e Apreensão na Prefeitura de Parauapebas, na residência de políticos.  A operação é do MP, PF e Gaeco!!!

A operação coordenada pelo Grupo de Atuação especial de combate ao crime organizado (Gaeco) do MPPA foi deflagrada na madrugada desta terça (26) contra a prefeitura municipal, secretaria de obras e a câmara no município de Parauapebas, região sudeste do Pará.

Executa a operação pela promotoria de Parauapebas, os promotores de Justiça, Hélio Rubens, Paulo Morgado Junior, Franklin Jones e Eduardo Falessi; pelo Gaeco atuam os promotores de Justiça, Milton Menezes (coordenador), Harrison Bezerra, Arnaldo Célio de Azevedo, Raimundo Aires, Daniel Barros e Augusto Sarmento e pelo Núcleo de combate a corrupção, o procurador de Justiça, Nelson Pereira Medrado.


PRISÕES

Mandados de busca e apreensão e de prisões foram expedidos em Belém pela desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia, do TJPA, em desfavor da prefeitura municipal cujo titular é o prefeito Valmir Queiroz Mariano (PDT) e, em desfavor da câmara, pelo juiz da comarca de Parauapebas, Libio Araújo Moura.

APOIO

A "Operação Filisteu" conta com o apoio do Gabinete Militar, com a presença de 23 militares.






Texto – Edson Gillet com informações do Gaeco em Belém

Fotos – Gaeco

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

o GAECO tinha que vir era pra ruropolis ai eles nunca mais iam sair daqui.
se eles gostam de trabalho iam ter muito o que fazer aqui