12 de maio de 2015

CASO CPI - DEU MEDO, FOI?

A ainda prefeita de Itaituba, e sua troupe, sempre propagou que não temia a CPI instalada pela Câmara de Vereadores de Itaituba, falando inclusive que documentos estariam à disposição dos membros da CPI.

Acima os dois ofícios enviados à PMI, com os respectivos carimbos de recebimento.

Mas hoje, após marcada duas audiências para oitivas dos senhores Kléber dos Anjos de Sousa, Presidente da Comissão Permanente de Licitação da PMI para o dia de hoje (11/05) às 15 horas e de Helenson Sandro Cirino Nascimento, Diretor de Compras da PMI, também na mesma data, mas às 17 horas e, conforme adiantado por este blog nos grupos de WhatsApp, os dois não compareceram ou deram qualquer justificativa aos membros da CPI que, após a abertura das sessões que iriam ouvir os depoentes e, registrada em Ata as ausências dos depoentes, deu por encerrada as sessões.
Em entrevista aos membros da imprensa ali presentes, o presidente da CPI, vereador Isaac Dias (PSB) falou que tomará as medidas que o caso requer, sendo que primeiramente irá a CPI fazer um Boletim de Ocorrência-BO, comunicar ao Ministério Público requerendo providências, bem como fazer busca e apreensão aos documentos necessários para análise. Outras pessoas também serão convidadas.

 

Ouve murmúrios na CPI de que os dois gazeteiros da CPI tinham ganho habeas-corpus para não comparecerem à audiência. O que não se confirmou até às 18h, quando este blog se retirou do Plenário da CMI. Também foi 'informado' à CPI que os depoentes não tinham ficado cientes da sessão para oitivas deles!
Após o encerramento das duas sessões, e em um bate-papo informal com este blog, vários vereadores ali presentes se queixaram da forma descortês como foram tratados por membros do alto escalão do atual governo, sendo que um desses membros determinou que os vereadores da base não deveriam criar nenhuma CPI, no que foi rechaçada, sendo informada que a PMI não determina o que os vereadores devem ou não fazer.


E, como o blog vem informando desde a criação da CPI, o ainda atual governo acha que estamos em junho, mês de festas juninas, pois continua jogando lenha na fogueira, sendo que quem vem se queimando, é somente o executivo.
Nesse papo informal, também tratou-se acerca do SINTEPP que, ao ganhar uma importante batalha contra a ainda atual prefeita em Belém,via Justiça, jogou a 'toalha', o que surpreendeu muita gente, pois se esperava uma união de forças entre CPI e SINTEPP contra a Prefeita.

MEMBROS DO SINTEPP SERÃO CONVOCADOS PARA PRESTAREM EXPLICAÇÕES NA CPI.


A Presidente do SINTEPP Antonia Sueli e outros cinco representantes do sindicato dos professores serão convocados a depor na CPI.
A convocação se justifica diante das acusações públicas proferidas pela professora Antonia Sueli, professor Celson Noronha, professor Rosivaldo Fernandes, professora Rose e o vigilante Marcondes, de que todos os vereadores têm rabo preso com a prefeita, visto que cada vereador possui cerca de 100 assessores, o que geraria uma despesa de quase 24 milhões de reais por ano, despesa essa que consequentemente impediria os professores em lograrem êxito na luta por melhores salários. 
Como a CPI tem poder de polícia, os representantes do SINTEPP não terão alternativa. Ou reafirmam as acusações que estão gravadas através das câmeras de segurança da própria Câmara, de que os vereadores são os culpados pela suposta corrupção na prefeitura, ou, sairão de lá preso por mentirem, insultarem a violência e praticarem injúrias e difamações contra os vereadores. Agora eu quero ver se os vereadores achincalhados pelo Sintepp tem coragem mesmo. (Com informações da CPI)


Reações:

3 comentários:

Anônimo disse...

Senhor Norton, cumpre informar-lhe, e também, aos seus grande número de leitores que, segundo a Constituição Federal, em.seu Art. 58 Parágrafo 3o "...as comissões parlamentares de inquérito, terão poderes poderes de Investigação próprios das autoridades judiciais... " assim sendo, uma vez convocados, os depoentes/testemunhas/indiciados/suspeitos são obrigados por lei a comparecer nas audiência, uma vez que a falta sem justificativa dos mesmos, configura o crime de desobediência. Art. 330 do Código Penal brasileiro, com pena de detenção de 15 dias a seis meses e multa. Portanto, basta os nobres vereadores iniciarem a notitia criminis junto a Autoridade Policial.

Anônimo disse...

Infelizmente mais uma vez a prefeita infringe a Lei, é preciso que o Ministério Público dê
um basta a toda essa falta de respeito com a sociedade de bem.

Anônimo disse...

A prefeita não respeita nem o povo que foi quem botou ela na prefeitura, vai respeitar uma CPI. Essa mulher já perdeu a vergonha não tà nem aí pra nada quer que esse governo acabe logo pra ela poder curti a vida.