24 de maio de 2015

CASO CPI - DEPOIMENTOS À LA TIRIRICA!!


TESTEMUNHAS ALEGAM DESCONHECER DENÚNCIAS CONTRA PMI EM MAIS UMA RODADA DE DEPOIMENTOS NESTA SEXTA FEIRA DIA 22.



Nota do Blog: Mais uma vez o blog usa os bons préstimos do palhaço, e eventual deputado federal Tiririca, para informar aos amigo(a)s leitore(a)s do blog que os depoimentos dos servidores à Comissão Parlamentar de Inquérito-CPI, foram uma piada, pois as respostas eram sempre NÃO SEI NADA! NÃO SEI NADA!
Então, se eles não sabem do que ocorre, quem sabe? Sel eles não têm conhecimento, quem teria? E, o que esses três depoentes fazem em seus respectivos cargos, pois nada sabem? Mas o mais estarrecedor é a responsável pela Controladoria Interna, Keila Cristina, não ter conhecimento do que se passa sobre sua pasta! Então, se é assim, o próximo depoente será o palhaço Tiririca, que apresentará sua música Não sei nada. Pelo menos poderá ter mais graça o depoimento.!!

Keila Cristina,ultima a depor na CPI

Nesta sexta feira dia 22, após muitas expectativas e suspense, finalmente a prefeita Eliene Nunes liberou seus servidores para depor na CPI. O primeiro a ser ouvido foi o diretor de licitação, pregoeiro Cleber dos Anjos, devidamente acompanhado do procurador do município advogado, José Ricardo.

pregoeiro como os demais foi sucinto nas respostas...

Cleber, como seguindo um script previamente programado, foi respondendo uma a uma as perguntas do relator Luiz Fernando Sadeck, do presidente Isaac Dias, João Paulo e demais vereadores presentes. 

Diretor de Compras(de azul) abriu os trabalhos da CPI depondo à Comissão...

Uma espécie de mantra que pouco somou para o relatório da CPI. Mas entre as respostas, predominou as lacônicas frases, "desconheço", "não sei nem ouvi falar", principalmente quando direcionadas a temas polêmicos envolvendo denúncias formuladas à CPI pelos Sindicatos.

Chefe da licitação, pregoeiro Cleber dos anjos- 2º a depor na CPI

O pregoeiro foi logo escamoteando as perguntas mais escabrosas. Sobre dispensa de licitações para beneficiar algumas empresas, o pregoeiro disse que não sabe nada a respeito dessas denúncias. Perguntado sobre compra de cimentos pela prefeita ele disse que não se lembra nem tem conhecimento desse fato. 


Mesa apertou nas perguntas,mas inquiridos saíram pela tangente...

Em diversas ocasiões, antes de falar precisou consultar o procurador do município que esteve o tempo todo ao lado das testemunhas. 

O pregoeiro quando indagado sobre uma suposta compra de carteiras confeccionadas em Ananindeua pela empresa CM Santos, disse desconhecer o fato. Quanto aos preços licitados disse que o setor tem uma planilha e são feitas pesquisas. Sobre o critério das compras ele disse que tudo é determinado diretamente pelos ordenadores de despesas (Sec. Administração e a prefeita Eliene Nunes).

Vereador João Paulo(PT) fez muitos questionamentos

Quanto a existência de um cartel para beneficiar determinadas empresas com manipulação de preços numa pergunta feita pelo vereador Peninha, o chefe do setor de licitação afirmou categoricamente que desconhece tal fato.

A 2ª testemunha a depor foi o diretor de compras Helenson Sandro Cirino Nascimento, que também usou de estratégia de falar pouco e negar vários questionamentos. Perguntado pelo relator da CPI sobre critério das compras respondeu que a solicitação é feita por cada secretaria.

Sobre uma suposta compra de cimento efetuada pelo município, Heleson disse que não lembrava.

DIRETORA DO HMI JÁ DEVERIA TER SIDO EXONERADA.. Pelo fato de ter sido comprovada má fé do governo em beneficiar aliados, entre elas a servidora Marilda Braga, diretora administrativa do HMI, que segundo denuncias do Conselho da Saúde e já comprovada pela CPI alugou seu próprio veículo ao município pelo valor de mais de vinte mil reais, e que foi confirmada por Keila Cristina Lopes da CCI, que quando indagada sobre o fato negou que o estorno do dinheiro tenha sido feita pelo município,mas sim pela empresa responsável pelo negocio.

Essa foi a questão mais polêmica no terceiro depoimento que terminou as 18 hras. Keila Cristina, também devidamente orientada pelo advogado, saiu pela tangente em várias perguntas, negando todas as denúncias relatadas pela Comissão parlamentar de Inquérito. Sobre questionamentos em malversação do dinheiro público, a chefe do setor de Controladoria Interna disse que no dia 30 deste mês a prefeitura presta contas ao TCM do seu primeiro quadrimestre.

Quando perguntada se tinha conhecimento que o município arrecadou 176 milhões e gastou 189 milhões, a testemunha admitiu, mas disse que não tinha relatórios técnicos para referendar os dados naquele momento.

Sobre a improbidade administrativa da prefeita Eliene Eliene Nunes que estaria desrespeitando as Leis de responsabilidade Fiscal com percentual de 56/11%, Keila alegou que não tem conhecimento de tal questão. 

Também alegou desconhecer o episódio denunciado pelo Conselho da merenda escolar de que a prefeitura, além de negar contrapartida na merenda, teria colaborado com apenas vinte reais em dezembro do ano passado. 

Sobre carros alugados para a prefeitura, Keila disse também desconhecer o fato por não ter conhecimento de números sobre isso. Além, do relator Peninha que é quem mais faz indagações, o vereador João Paulo do PT também tem tido expressiva participação nos questionamentos.

À responsável pela Controladoria Interna, por exemplo, perguntou-se se ela tinha conhecimento de que a prefeitura pagou obras do PAC com verba do Fundeb, mas novamente a questão entrou em subjetividade já que a técnica não soube detalhar com informações exata. Sobre empresas que ganham licitação e não cumprem sua contrapartida admitiu que ocorresse com a Empresa São Paulo quebrou regras de clausulas.

O vereador Dadinho que é membro da CPI pediu para se retirar ainda no começo do primeiro depoimento alegando problemas de saúde. Embora possa fazer perguntas, o vereador tem preferido se manter calado não questionando as testemunhas. 

Nicodemos Aguiar tem sido assíduo mas também pouco se manifesta. Yamax Prado eventualmente se posiciona. Quem vem sobressaindo nos questionamentos na CPI é o relator Luiz Fernando Sadeck, Presidente Isaac Dias e vereador João Paulo Mas se por um lado a CPI saiu desmilinguida de informações que possam reforçar denúncias contra a gestão da prefeita Eliene Nunes, também saiu robustecida com pedido de cópias de documentos que possam comprovar tudo aquilo que foi dito pelas três testemunhas inquiridas em segunda chamada.
As próximas testemunhas a serem ouvidas serão proprietários de empresas ganhadoras de licitação no município. Embora seja permitida a presença do público, a plenária tem permanecido vazia nos dias em que as testemunhas são inquiridas. Seria descrédito ou desmotivação com a política a ausência de publico nos trabalhos da CPI?

Postado por Nazareno Santos

Reações:

3 comentários:

Anônimo disse...

Bem a cara desse governo não saber de nada, pois se soubessem itaituba estava muito melhor. Espero que as pessoas que vão votar ano que vem, pelo menos eles saibam de alguma coisa e não votem errado novamente.

Anônimo disse...

Jornais e jornalistas com atividades em santarém estão se instalando no município de Itaituba, para falar bem do governo Eliene Nunes, será que os jornalistas do município não tem credibilidade para divulgar os fatos ocorridos na cidade. Ou será esse mais um golpe na população as vésperas de uma eleição. Abram os olhos meu povo, pra não cair num mais " Eu sei como fazer e vou fazer"

Anônimo disse...

Norton tomara que a prefeita os alguns de seus assessores leia seu blog.
esta escrito provérbios capitulo 18 versículo 21.A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.
se a prefeita de Itaituba lesse a bíblia direito nada disso estaria acontecendo,apesar que quando ganhou a eleição usou a Igreja de Deus, pra comemorar sua vitoria lembram......