17 de março de 2015

TRAV. JUSTO CHERMONT, ABANDONADA À PRÓPRIA SORTE

          Quando aqui cheguei em 1993, o perímetro da trav. Justo Chermont compreendido entre as av. Nova de Santana e a Getúlio Vargas, era toda pavimentada com paralelepípedos, mas logo depois coberta por uma camada de asfalto, aproveitando-se o serviço feito anteriormente como base desse asfalto. Lá se vão quase 15 anos desse asfalto.







          Nesse intervalo foi construída a Orla com seus quiosques e derrubadas as barracas que davam um ar de garimpo à frente de nossa cidade, o que a tornava mais feia do que aparentava; o Hidroviário foi construído e logo em seguida reformado. Além dessas duas mudanças importantes na Orla, outras não se fizeram pela iniciativa privada apesar da evidente valorização da área, mantendo ainda a frente de nossa cidade, principalmente no Porto da Balsa, o ar de fuscão de garimpo.



Nota-se na frente da cidade diversos casebres, além de terrenos baldios e, para 'enfeitar' ainda mais o espaço, várias barracas de todo o tipo e gênero se  observa na nova Orla, tal 
nos idos de 1990.

          Nota-se na frente da cidade diversos casebres, além de terrenos baldios e, para 'enfeitar' ainda mais o espaço, várias barracas de todo o tipo e gênero se observa na nova Orla, tal qual nos idos de 1990.

             Apesar da evidente belezura em que se encontra atualmente o Hidroviário após a reforma, e como de praxe no atual governo, sua responsabilidade é relegada a último plano, pois não é possível que a senhora futura ex-prefeita de Itaituba, apesar dos poucos dias em que fica em Itaituba, nunca tenha andado, mesmo que de vidro fechado, por esse pedaço de vicinal em que se transformou a Justo Chermont, que mais parece um pasto ante os capins que proliferam nesse trecho.

             Mais lamentável ainda é o posicionamento do pessoal da Casa da Noca, que tudo acata e tudo aceita, como paus mandados da prefeita itinerante. 

Braquiarão próximo à Gazin

Capim elefante


 As imagens abaixo mostram como se encontra atualmente a trav. Justo Chermont, onde o mato, capim, sujeira, entulhos, lama e buracos imperam sob os 'cuidados' da prefeita itinerante, sua, nossa, vossa Excelência, Eliene Viajando Nunes. Até um pé de jerimum se encontra nessa horta municipal criada pelo atual governo. Quem irá resolver esse problema será a ATAP, a Azul, a MAP, o Forum das Entidades, o Consórcio, a Eletrobrás? Somente sei que o Chapolim Colorado não poderá nós ajudar, pois se encontra no plano espiritual!!

Juquira em frente à Justiça do Trabalho

Horta com lago próximo à av. Getúlio Vargas

lago para abastecer a horta








Reações:

2 comentários:

Anônimo disse...

É patético. A ex prefeita como você a denomina, primeiro pôs na Seminfra um engenheiro que tapava com terra os buracos no pavimento das vias, e não sabia fazer nem um abrigo para moto-táxi,como ficou comprovado com o vergonhoso desabamento ocorrido na sua grande "obra prima". Depois pôs o ex-marido, que passou o atestado de incompetência para exercer o cargo, assim como também, para manter a vida boa de primeiro damo da prefeitura. Agora põe um despreparado sem nenhuma formação técnica para fazer face as demandas de nossa cidade. Acho que pelo andar da carruagem, só falta agora a nomeação do Neneca para resolver todos os problemas de nosso município. Êta baixinha que sabe fazer cagada....

Anônimo disse...

Se alguém que saiu há mais de 20 anos de Itaituba, retornar pra cidade hoje, vai ter a sensação de se passaram apenas horas e não anos porque a situação das ruas do município é deplorável, mas parece que ninguém não tá nem aí pra esse caos, a prefeita não resolve nada, os vereadores ficam calados e o povo diz que vai dá o troco nas urnas. Isso é muito pouco, porque ter que aguentar ainda quase dois anos de sofrimento é muito tempo, alguma coisa tem que ser feito urgente, ou pagaremos por nossa omissão.