5 de março de 2015

EDISON LOBÃO E OUTRAS FERAS NA LISTA DO LAVA JATO

Edison Lobão está na lista de Janot e já contrata advogado

ANDREZA MATAIS - O ESTADO DE S. PAULO

05 Março 2015 | 11h 58

Ex-ministro de Minas e Energia do governo Dilma já busca detalhes sobre circunstâncias em que foi citado na Lava Jato


BRASÍLIA - Ex-ministro de Minas e Energia do governo Dilma Rousseff, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) está na lista de pedidos de investigação do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, enviada ao Supremo Tribunal Federal na última terça-feira, 3.


RELACIONADAS



Lobão contratou o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, para fazer sua defesa. O peemedebista tem estado muito nervoso e tenta buscar informações para saber exatamente em qual contexto foi citado. Por enquanto, sabe apenas que seu nome foi implicado durante depoimento de delação premiada feito ao Ministério Público pelo ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa.




Edison Lobão foi ministro de Minas e Energia do governo Dilma

Ao Supremo, Janot encaminhou pedido de abertura de inquérito contra 54 pessoas suspeitas de envolvimento na Lava Jato. Além deles, o procurador apresentou sete pedidos de arquivamento - entre eles o da presidente Dilma Rousseff e do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Os nomes não foram revelados oficialmente porque o caso está sob segredo de Justiça. Entre os 54 suspeitos estão políticos com e sem mandato e podem envolver parlamentares do PT, PMDB, PP, PSDB e PSB.

Até o momento, há informações de que, além de Lobão, outros três peemedebistas foram citados: o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL); o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ), e o senador Romero Jucá (PMDB-RR), segundo vice-presidente do Senado.

O ministro do STF Teori Zavascki, relator do caso, deve deliberar até sexta-feira sobre quais inquéritos vai pedir abertura. Depois disso, pretende retirar o sigilo de todos eles.

Romero Jucá está na lista de Janot sobre Lava Jato

DÉBORA BERGAMASCO - O ESTADO DE S. PAULO
05 Março 2015 | 08h 40
Presença do nome do senador do PMDB em relação de suspeitos de envolvimento com esquema agrava crise entre partido e governo



BRASÍLIA - O senador Romero Jucá (PMDB-RR), segundo vice-presidente do Senado, está na lista de investigados que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal, na última terça-feira, relativa a apurações da Operação Lava Jato.

No Congresso, o parlamentar já foi líder dos governos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de Dilma Rousseff (PT). O senador é uma das principais lideranças do PMDB e a inclusão de seu nome na relação de investigados aumenta ainda mais a crise de relacionamento entre o maior partido da base aliada e o governo.


O senador Romero Jucá (PMDB-RR) está na lista de investigados da Operação Lava Jato.

O nome do senador apareceu em depoimentos de delação premiada do o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, preso pela Polícia Federal desde março do ano passado. Jucá foi citado em uma relação de outros 27 políticos que, segundo o ex-diretor, seriam beneficiários do esquema de desvios envolvendo contratos da Petrobrás.

Renan Calheiros (AL), presidente do Senado, e Eduardo Cunha (RJ), presidente da Câmara dos Deputados, também foram mencionados.

O procurador-geral encaminhou 28 pedidos de abertura de inquérito contra 54 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. Além deles, foram apresentados sete pedidos de arquivamento - entre eles o de Aécio e da presidente Dilma Rousseff. Os nomes não foram revelados oficialmente porque o caso está sob segredo de Justiça. Entre os 54 suspeitos estão políticos com e sem mandato e podem envolver parlamentares do PT, PMDB, PP, PSDB e PSB.

O ministro do Supremo Teori Zavascki, relator do caso, deve aceitar os pedidos do procurador e tirar o sigilo da lista de acusados até esta sexta-feira, 6.

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

Isso todo mundo já sabia, e sabe o que vai acontecer? Nada. O Genoino já foi considerado inocente e arquivado o seu processo. Vai um pobre coitado rouba um pote de manteiga pra ver o que acontece. Infelizmente isso acontece em nosso país. Trazendo pra nossa realidade local não é muito diferente. São problemas por cima de problemas, e ninguém toma nenhuma providencia. Esses escândalos pelo Brasil só mostra que a corrupção está em todos os cantos e na nossa cidade não escapa disso. Como da ultima denuncia de vendas de casas do Minha casa minha vida, das licitações que beneficiam parceiro da atual prefeita, da falta de merenda nas escolas, das obras inacabadas pelo governo, e por aí vai. Mas só tem uma pessoa que pode mudar isso. Você com o seu voto consciente.