25 de março de 2015

CASO FRIGORÍFICOS - QUE FOR 'PODRE', QUE SE QUEBRE


Os vereadores tiveram uma reunião na sala da presidência, a portas fechadas, para tratar do problema da não liberação do SIM para o Frigorífico Friara.

No decorrer da reunião, houve contato telefônico com o superintendente do IBAMA, no Pará, Hugo Américo Rubert Schaedler, que falou com alguns vereadores.

O superintendente foi enfático ao afirmar para os vereadores Peninha e Isaac, que os dois 
frigoríficos do município sofreram embargos, e que nesse caso, nenhum dos dois deveria 
estar funcionando, porque o embargo não foi derrubado.

O vereador Peninha, em seu blog, fez a seguinte observação:

Esta decisão de embargo efetuada pelo IBAMA é ambiental, e não cabe à Secretaria de Agricultura se manifestar, mas à Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Mas como a administração tem um só objetivo, manter fechado o Frigorifico Friara, perdeu o controle da situação e todo mundo falando a mesma língua, não estão nem ai para a legalidade, da competência das secretarias.

Uma coisa é certa, o embargo do IBAMA é para os dois frigoríficos, e segundo uma fonte do IBAMA, tanto o Friavata quanto o Friara deveriam estar fechados. O município vem fazendo vista grossa contra o Frivata, mas o IBAMA deverá fechar, já que denuncias foram formuladas ao órgão.





O vereador Iamax Prado estava revoltado com a decisão da Secretaria de Agricultura de não liberar o funcionamento do Frigorífico Araticum, Friara.

O motivo alegado para a não liberação do SIM para o FRIARA é o embargo do Ibama a esse frigorífico, uma vez que todo o restante da documentação exigida está em dia.

A revolta do vereador se prende ao fato de que o embargo existe para os dois frigoríficos do município, como mostra o documento anexado à matéria, mas, para a administração municipal a penalidade só está valendo para o Friara, pois o Frivata corre livre, leve e solto, funcionando sem que seja incomodado.

É o caso de usar dois pesos e duas medidas. 
Para os amigos, os favores da lei, e até mais do que isso, pois libera-se ao arrepio da lei.

Para quem não é amigo, os rigores da lei.

Obs. Documento extraído do blog do Peninha.

Reações:

0 comentários: