21 de fevereiro de 2015

3 comentários:

Anônimo disse...

É isso que esse governo quer. Ter os funcionários públicos aos seus pés pedindo perdão por algo que não fizeram e mesmo assim foram retaliados pela atual administração. Tem até a diretora de ensino, esposa de um vereador que antes de ser eleito era um grande defensor da classe dos professores, mas depois que se tornou vereador esqueceu de onde veio, mas todos nós sabemos pra onde vai. Pro olho da rua se depender de mim. Essa senhora está ameaçando os professores dizendo que eles não podem fazer, o que ela e seu marido faziam quando não conseguiam seus interesses junto aos governos passados, que eram ficar em greve. A greve é um direito do funcionário público, ou talvez ela não se lembre que ano passado os funcionários do estado passaram quase um mês ocupando a sede da alepa em Belém, em busca de melhorias salariais e condições de trabalho. Lembre dona Izaneide Bentes, que hoje a senhora está diretora, mas amanhã não estará mais, porque nós iremos tirar esse governo fajuto do poder e mostrar que quem coloca, é o mesmo que tira, e vamos colocar alguém que pelo menos nos respeitem.

Anônimo disse...

Enquanto no Japão, até o imperador reverencia o Professor, aqui no Brasil o mesmo é tratado PIOR do que bandido. Quanto mais analfabetos tiver, mais fácil será a vida dos políticos safados, que compram essas pessoas com promessas esfarrapadas e uma cestinha básica.

Anônimo disse...

Os professores de Itaituba estão bem na foto com os seus dois vereadores professores, Célia e Isaac, e sua prefeita professora Eliene. Essa classe não era pra ter nada à reclamar. Mas não é o que vemos em nosso município. Onde a educação está um caos, e não é somente na questão salárial, e sim em todos os aspectos merenda escolar, escolas em péssimas condições, e perseguição de funcionário.