12 de dezembro de 2014

A FARSA SOBRE A TRANSAMAZÔNICA

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

NOTA DO BLOG: Essa postagem foi retirada da página oficial da Prefeitura de Itaituba, quie trata dos serviços de 'asfaltamento' do rod. Transamazônica, trecho urbano e a forma como seria feito tal serviço. Infere-se da Nota à Imprensa, que foram aprovados os seguintes serviços, conforme item 2, subitem 2: "...drenagem superficial, incluindo meio-fio e sarjetas em pontos específicos; (...).
Quem anda, à pé ou de veículo, pela rodovia no trecho em obra, até presente data não se viu qualquer serviço relacionado a sarjetas e meios-fios, o que dificulta a passagem da água. Fica aqui a diga para que se cobre do Exército sua obrigação quanto a esse item.
Quanto à imagem abaixo, a presença da prefeita com o cel . Menezes, foi somente para 'comer' as diárias? Pois o serviço porco executado pelo Exército, não teve acompanhamento de ninguém da Prefeitura de Itaituba.Ops! Cuiutuba!!

BEC ENTREGA NOTA À IMPRENSA



A prefeita Eliene Nunes está acompanhando de perto os tramites do trabalho e esteve recentemente, no dia 7 de agosto, em Santarém conversando com o Coronel Menezes do 8º BEC.

Um militar entregou na quarta feira (13) à Imprensa local uma nota relatando todo o processo de trabalho que envolveu a Rodovia Transamazônica no trecho urbano do município de Itaituba, bem como explica o trabalho que será realizado agora. Segundo a nota transcrita na íntegra pela equipe da ASCOM-PMI os trabalhos iniciarão no final do mês de agosto, constando os seguintes serviços:

"reciclagem de toda a base, com adição de brita e piçarra, com o objetivo de aumentar a capacidade de suporte do pavimento; drenagem superficial, incluindo meio-fio e sarjetas em pontos específicos; e revestimento asfáltico em Tratamento Superficial Duplo (TSD) com banho diluído ( não será CBUQ ).

Esse tipo de revestimento asfáltico consiste na aplicação de 2 (duas) camadas de brita e 2 aplicações de emulsão asfaltica. Apesar de ser essencial para a durabilidade dos serviços, conforme esclarecido anteriormente, não está prevista a execução de drenagem pluvial, pois essa situação exigiria a elaboração de projeto de drenagem específico, não sendo, portanto, objeto de Planos de Conservação Rodoviária."


Segue a nota na íntegra:


NOTA À IMPRENSA


Sobre a execução dos trabalhos de pavimentação da BR-230/PA, trecho urbano em Itaituba/PA, o 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC), informa o seguinte:
a. Histórico
Até setembro de 2013, o DNIT tentou licitar por 2 (duas) vezes um CREMA (Contrato de Reabilitação e Manutenção) para a pavimentação em Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) dos 7,0 Km do trecho urbano da BR-230/PA, em Itaituba-PA. Ambas as licitações não tiveram êxito.

Por meio de um Instrumento de Parceria, o DNIT solicitou ao Departamento de Engenharia e Construção (DEC), do Exército, que o 8º BEC, sediado em Santarém/PA, executasse, naquela oportunidade, serviços emergências de conservação da estrada, a fim de minimizar as precárias condições de tráfego do trecho da BR-230, no perímetro urbano da cidade de Itaituba/PA. O repasse dos recursos necessários à execução da obra ocorreu no mês de dezembro, início do período chuvoso, impedindo que os serviços fossem concluídos ainda no verão de 2013. 

O 8º BEC iniciou os trabalhos de imediato, executando, até o mês de março de 2014, todos os quantitativos de serviços previstos (exceto a sinalização horizontal, pela impossibilidade de aplicação no revestimento asfáltico existente), dentro do prazo do Plano de Trabalho.

Os principais serviços previstos no Plano de Trabalho de Conservação Emergencial eram de tapa-buraco, remendo profundo e capa selante com brita “zero”. Esses serviços visavam apenas a melhoria das condições da rodovia, jamais serem a solução definitiva da rodovia. A vigência Plano de Trabalho era de 13 de dezembro de 2013 a 13 de março de 2014.

O trecho urbano da rodovia apresenta problemas críticos de drenagem pluvial, uma vez que várias áreas lindeiras da BR-230/PA possuem cotas mais elevadas que o nível da estrada, fazendo com que esses pontos sofram acúmulo de água e, consequentemente, deterioração prematura do revestimento asfáltico.


b. Situação Atual

Em 2014, o 8º BEC foi, novamente, acionado pelo DNIT para elaborar um novo Plano de Trabalho de Conservação Rodoviária Emergencial, enquanto aquele Órgão elabora o projeto executivo da solução definitiva para o mesmo trecho. Esse Plano de Trabalho foi encaminhado à Unidade Local do DNIT em Itaituba/PA, tendo sido publicada a sua aprovação pelo DNIT ao Diário Oficial da União, de 1º de agosto de 2014.

Foi repassado ao Exército o valor correspondente ao Plano de Trabalho aprovado, no montante de R$ 6.732.213,43 (seis milhões setecentos e trinta e dois mil duzentos e treze reais e quarenta e três centavos). O Batalhão iniciou a sua mobilização para o local dos serviços, com o transporte dos materiais para instalação do canteiro e a manutenção dos equipamentos e das viaturas. Em paralelo, realiza os procedimentos licitatórios para a aquisição dos insumos destinados à execução da obra. Os trabalhos estão previstos para serem iniciados no final do mês agosto de 2014.
No Plano de Trabalho aprovado estão previstos os seguintes serviços, em toda a extensão dos 7 km do perímetro urbano de Itaituba:
1 - reciclagem de toda a base, com adição de brita e piçarra, com o objetivo de aumentar a capacidade de suporte do pavimento;

2 - drenagem superficial, incluindo meio-fio e sarjetas em pontos específicos; (Nota do Blog: Aonde estão as sarjetas e os meios-fios? Ou então, 'quedi' o dinheiro para esse serviço que até presente data não foram executados?!)

3 - e revestimento asfáltico em Tratamento Superficial Duplo (TSD) com banho diluído ( não será CBUQ ).

Esse tipo de revestimento asfáltico consiste na aplicação de 2 (duas) camadas de brita e 2 aplicações de emulsão asfaltica. Apesar de ser essencial para a durabilidade dos serviços, conforme esclarecido anteriormente, não está prevista a execução de drenagem pluvial, pois essa situação exigiria a elaboração de projeto de drenagem específico, não sendo, portanto, objeto de Planos de Conservação Rodoviária.*

ASCOM-PMI

Postado por Ascom/PMI

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

A nota do 8º BEC é no mínimo graciosa. Agora vem dar uma de salvador da pátria.
Além de aplicar brita calcária inadequada para o TSD, dá desculpas descabidas para não execução de itens obrigatórios e de responsabilidade civil, como o da sinalização da via. Gostaríamos de saber se o dinheiro relativo a pintura não executada no 1° contrato foi devolvido pelo batalhão. Ainda mais. Onde estão os recursos de quase 1/3 do valor do contrato para instalação e manutenção do canteiro de obras? Alguém viu algum canteiro de obras por aí? Será que é para adestramento das tropas do coronel novamente? Adestrar fazendo obras porcas e sem qualidade? Vamos e venhamos todo poderoso general do DNIT, onde está o seu comando?