11 de outubro de 2014

CHEQUE MORADIA É USADO PARA 'COMPRAR' VOTOS"

Cheque moradia brinca de "pira" também no interior


Cheque Moradia é usado para compra de votos.

Aliados de Jatene comandam esquema na Cohab, que envolve outros servidores como Sônia Massud. O programa Cheque Moradia, do governo do Estado, se transformou no principal cabo eleitoral do governador e candidato à reeleição Simão Jatene nas semanas que antecederam o primeiro turno da eleição. No dia seguinte ao resultado das urnas, o DIÁRIO recebeu inúmeras denúncias do uso eleitoreiro ostensivo do programa que ajudou a turbinar o desempenho de Jatene nos vários municípios do Estado.

Num processo relâmpago que dispensa a verificação da real necessidade do benefício, nos últimos meses, a companhia vem emitindo os carnês com a primeira parcela do crédito do Cheque Moradia num prazo máximo de 24 a 48 horas após o pedido ser protocolado no órgão. A segunda parcela do crédito é liberada cerca de dois meses depois. Os valores dos Cheques Moradia variam de R$ 2.000,00 a R$ 14.100,00, mas, nas últimas semanas, o menor valor pago tem sido de R$ 10 mil. Para se cadastrar, é necessário apresentar CPF, carteira de identidade, comprovante de residência e certidão de nascimento dos filhos menores.

No semestre passado, a Cohab contatou quase todas as associações e centros comunitários da Região Metropolitana de Belém para que indicassem os interessados pelo programa. Muitas dessas entidades não são formalmente constituídas e utilizam de nomes fictícios para arregimentar os beneficiários. Cópias de cadastros feitos por lideranças comunitárias e que são encaminhadas à Cohab foram obtidas pelo jornal e revelam fortes indícios de irregularidades. O tipo das letras e o texto utilizado pelas diferentes associações são idênticos. Uma fonte que não quis se identificar por temer retaliações, informou que a Cohab já liberou mais de 10 mil Cheques Moradia somete para uma liderança da região metropolitana.

A previsão é de que até o próximo dia 24, cerca de 35 mil novos Cheques Moradia sejam entregues. Apenas na última sexta-feira (3), ante véspera da eleição, servidores da Cohab vararam a madrugada de sábado (4) para entregar três mil cheques. Após a emissão dos carnês dos cheques, pela Cohab, os centros comunitários e associações interessados no programa convocam todos os beneficiários para a entrega num local escolhido a dedo, na presença de funcionários e aliados da candidatura governamental. Tudo feito de forma ostensiva. O Ministério Público Eleitoral tem todas as condições de investigar esse crime eleioral e a corrupção no órgão: basta verificar o número de concessões do benefício até junho e comparar com o que foi liberado de julho até agora, período que vigora o processo eleitoral.

Outra fonte da Cohab informou que os trâmites dos processos estão sendo feitos a toque de caixa dentro da companhia, sem observar os ritos necessários para a concessão do benefício, como a visita in loco aos requerentes para avaliar a sua real necessidade e tampouco se o serviço foi realmente executado. Servidores - muitos DAS de outros órgãos - foram convocados às pressas para dar suporte ao esquema dentro da Cohab nos últimos dias.





Postado por Icaro Gomes à

Reações:

0 comentários: