18 de setembro de 2014

CHEQUE-MORADIA OU CHOQUE-MORADIA?

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DEFENDE A RECUSA DO CHEQUE MORADIA

O Presidente da Associação Comercial de Itaituba, Fabricio Schuber recebeu na tarde de o hoje o repórter Nazareno Santos para uma entrevista, quando falou sobre a polemica dos cheques moradia distribuídos em Itaituba pelo Governo do Estado em parceria com o município. Fabricio disse que nunca a Associação Comercial de Itaituba recebeu qualquer comunicado ou a visita de alguém do Estado ou do Município para falar sobre o Programa. Trata-se de um programa novo em que o empresariado local desconhece seu funcionamento.

Para Schuber houve uma grande falha dos responsável pelo programa, que poderiam ter procurado a associação para intermediar a implantação em Itaituba. Pelo contrário, soubemos do programa através da imprensa e quando as pessoas procuraram os comerciantes para trocarem os cheques, que foram recusados por desconhecerem o seu mecanismo.
Outra razão alegada pelo Presidente da Associação Comercial, Schuber, é que o empresário não é obrigado a aceitar este cheque. A não ser aqueles comerciantes que conhecem o programa e que tem suporte para atender a demanda com a troca destes cheques, já que o mesmo não envolve dinheiro e sim uma negociação no desconto de impostos. Nem todo empresário sabe como proceder e a maior parte dos empresários locais não possuem capital para fazer a circulação de giro com suas mercadorias, lembrou Schuber.
A preocupação agora dos comerciantes de Itaituba, é com a represália que podem sofrer com a recusa destes cheques, revelou Schuber, já que o Estado está organizando uma grande operação de fiscalização para região. Isto, pode provocar um caos maior na região, uma vez que hoje estamos vivendo um momento difícil, devido as repreensões que estão havendo do governo federal.
Schuber também rebateu as acusações do vereador Isaac Dias, quando acusou os comerciantes de Itaituba de sonegadores. Para o presidente da Associação Comercial, todos os comerciantes procuram manter em dias seus impostos, tanto municipal, estadual e federal e dentro do possível estão honrando, porém, o que acontece é que é tanto do tributo que o comerciante trabalha hoje argolado só para pagar impostos. Lembrou Schuber, que a própria Câmara de vereadores no ano de 2013, votou projeto de lei arrochando os tributos municipais, com aumento de mais de 350%.

Estamos pronto para receber e dialogar com todos os órgãos, desde que haja respeito com a nossa categoria, que já é tanta sacrificada, finalizou Schuber.

Reações:

2 comentários:

Anônimo disse...

E o Fabrício está totalmente certo. Ninguém veio conversar com os comerciantes, não teve uma reunião sequer com a Associação Comercial...enfim...uma bagunça danada. Cada dia que passa me convenço que essa equipe da prefeita não passam de um bando de incompetentes.

Anônimo disse...

Esse governo como sempre metendo os pés pelas mãos. Com a pressa de querer aparecer acabou tiro saindo pela culatra.