18 de junho de 2014

ALERTA - VÍRUS PODE TER SIDO TRAZIDO POR MILITARES VINDO DO HAITI!

Novo alerta de doença: o vírus chikungunya teria sido trazido ao Brasil por integrantes do Exército que realizavam missão no Haiti

O vírus chikunguya, semelhante à dengue, é transmitido pelos mosquitos "Aedes aegypti" (foto) e "Aedes albopictus" (Foto: Getty Images)
O vírus chikungunya, semelhante à dengue, é transmitido pelos mosquitos “Aedes aegypti” (foto) e “Aedes albopictus” (Foto: Getty Images)
Nas últimas semanas, o Estado de São Paulo registrou casos de infecção por um vírus chamado chikungunya. A doença, semelhante à dengue, mas com sintomas mais incômodos, teria sido trazida ao Brasil por militares do Exército que retornaram no dia 5 da missão de paz no Haiti de que faz parte o Brasil (e é comandada por um general brasileiro).
A Secretaria da Saúde do Estado confirmou que seis oficiais do Exército foram infectados pelo vírus. A chikungunya é comum em países da África, Ásia e Caribe – esta última região está sofrendo um surto da doença atualmente.
Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), entre dezembro do ano passado e maio deste ano foram registrados quase 62 mil casos (suspeitos e confirmados).
Os principais sintomas da chikungunya incluem febre, dor de cabeça e nas articulações e erupção cutânea. O vírus é transmitido por dois mosquitos: o Aedes aegypti (o mesmo da dengue) e o Aedes albopictus, ambos presentes em abundância em São Paulo, o que promove a disseminação da doença. As dores nas articulações são tão fortes que os infectados chegam a permanecer encolhidos.
Ainda não é possível afirmar que a chikungunya está presente no Brasil, já que os pacientes foram infectados em viagens, mas é importante que a situação esteja em foco.

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tema-livre/novo-alerta-de-doenca-o-virus-chikungunya-teria-sido-trazido-ao-brasil-por-integrantes-do-exercito-que-realizavam-missao-no-haiti/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+RicardoSetti+%28Ricardo+Setti%29

Reações:

0 comentários: