2 de maio de 2014

NEYMAR 'JOGA' CONTRA O RACISMO!

Para a revista “Time”, estratégia de marketing de Neymar com antirracismo foi “brilhante”

O jogador brasileiro Neymar, do Barcelona: reação controversa após campanha antirracismo ( Pierre-Philippe Marcou/AFP)
O craque Neymar, do Barcelona: reação controversa após campanha antirracismo a partir do episódio com Daniel Alves ( Pierre-Philippe Marcou/AFP)
PARA REVISTA “TIME”, ESTRATÉGIA DE MARKETING DE NEYMAR FOI “BRILHANTE”
Segundo a publicação, a FIFA deveria se inspirar na ação de Neymar para tentar combater o racismo no futebol
A campanha antirracismo iniciada pelo jogador Neymar nas redes sociais sob a marcação #somostodosmacacos no último domingo tem suscitado opiniões controversas.
Logo após seu colega do Barcelona, Daniel Alves, comer uma banana que havia sido atirada no campo por um torcedor na intenção de comparar o jogador a um macaco, Neymar deu início a uma campanha no Instagram e no Twitter para descaracterizar a atitude preconceituosa.
Soube-se, no dia seguinte, que o movimento havia sido pensado semanas antes, com o auxílio da agência de propaganda Loducca.
Com isso, a opinião pública se dividiu e muitos se frustraram pelo fato de o movimento não ter uma origem espontânea — e sim ter sido orquestrado por profissionais. Mas, oportunista ou não, para a revista americana Time, a mais influente do mundo, a estratégia de Neymar e de sua equipe de marqueteiros foi “brilhante”.
Segundo a Time, Neymar e Daniel Alves “são garotos-propaganda perfeitos para uma campanha antirracismo” pelo fato de ambos terem projeção internacional e milhares de seguidores em redes sociais.
A revista ainda aproveita para lançar uma crítica à FIFA, cuja atuação para reduzir o racismo no futebol não tem surtido resultados — sobretudo pelo fato de não haver punição para investidas preconceituosas no estádio, como foi o caso do torcedor que jogou a banana.
“Marquem isso como uma lição para a FIFA, o órgão poderoso do futebol, que vem enfrentado dificuldades para encontrar formas de extinguir gritos racistas e abusos por parte de seus fãs ao redor do mundo. Fazer outra campanha inteligente executada pelos próprios jogadores e direcionada aos fãs mais novos pode render frutos similares”, diz a reportagem.
Ao site de VEJA, o publicitário Guga Ketzer, da Loducca, afirmou que a ação foi preparada duas semanas antes, depois que Neymar e Daniel Alves foram alvo de outra investida racista durante o jogo do Barça contra o Espanyol.
Segundo o publicitário, Neymar havia planejado comer a banana em campo quando surgisse a oportunidade — e então lançar a campanha.
Questionado se o lateral baiano havia atropelado a estratégia de Neymar, Ketzer negou. “De forma alguma. O conjunto de ele comendo uma banana e o Neymar se manifestando, criando um movimento, fez a discussão atingir um patamar absurdo, com repercussão até mesmo na Presidência da República. As pessoas espontaneamente se envolveram e isso é o que importa”, disse.
Contudo, segundo reportagem do site da PLACAR, do grupo Abril, que edita VEJA, Neymar e Daniel Alves já haviam conversado semanas antes sobre as atitudes racistas de alguns torcedores — e o atacante havia confessado que, se visse a banana sendo arremessada ao campo, a comeria.
Nesta quarta-feira, a agência Loducca enviou um comunicado à imprensa rechaçando críticas de que #somostodosmacacos também é um manifesto racista, justamente por manter a ideia da comparação entre negros e macacos.
“Colocado como foi, ironicamente, na situação (logo após a maravilhosa atitude do Daniel Alves), a hashtag, mais a imagem de Neymar com seu filho, não chama os negros de macacos, mas lembra ou alerta os brancos que somos todos iguais, vindos ‘do mesmo macaco’. Este é um fato científico provado e comprovado (salvo alguns fanáticos que ainda questionam Darwin), não uma opinião”, informou a agência.
Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tema-livre/para-a-revista-time-estrategia-de-marketing-de-neymar-com-antirracismo-foi-brilhante/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+RicardoSetti+%28Ricardo+Setti%29

Reações:

0 comentários: