7 de abril de 2014

DECRETADA PRISÃO DE 23 MILITARES!

Promotor militar pede prisão preventiva de 23 policiais militares

O movimento iniciado fere de pronto a legislação em vigor, com a prática de crime de motim, e insubordinação com prejuízo a administração militar” diz a Promotoria militar. O promotor de Justiça militar Armando Brasil pediu nesta segunda (7) a prisão preventiva de 23 policiais militares, que estão amotinados no 6º Batalhão de Polícia Militar na Rodovia BR-316, município de Ananindeua.
Segundo Brasil a Promotoria requisitou também abertura de conselho de disciplina, que poderá levar os policiais a expulsão dos quadros da PM.
O “pedido se baseia na necessidade de garantia da ordem pública e da exigência da manutenção das normas e princípios, hierarquia e disciplina militares ameaçados com a liberdade dos militares citados”

DECRETAÇÃO DA PRISÃO PREVENTIVA DOS POLICIAIS MILITARES
1. 3º SGT PM Walcir da Silva Corrêa, do 6º BPM
2. SD PM Tércio Júnior Sousa Nogueira, do 6º BPM
3. SD PM Luiz Fernando Passinho da Silva, da CCS
4. CB PM Antonio Carlos Leal Alves, do 6º BPM
5. SD PM Adriano da Silva Ribeiro, do 6º BPM
6. SD PM Moisés Ferreira da Silva Duarte, do 6º BPM
7. 3º SGT PM Aldoberto Ferreira da Silva, do 6º BPM
8. CB PM Augusto Cesar Correa Leal, do 6º BPM
9. SD PM Ernani Rogério Silva da Costa, do 6º BPM
10. SD PM Paulo Cesar Serra Necy, do 6º BPM
11. SD PM Denise Souza da Silva, do 6º BPM
12. CB PM Carlos André Fonseca da Cunha, do 6º BPM
13. SD PM Deylon Lima Miranda, do 6º BPM
14. CB PM Edson da Silva Amaral, do 6º BPM
15. CB PM Luciano Lobato de Lima, do 6º BPM
16. CB PM Lucival Brito, do 6º BPM
17. SD PM Fernando Magno Ramos, do 6º BPM
18. CB PM Josemir Pinho Ferreira, do 6º BPM
19. CB PM Sandro Augusto Palheta Portal, do 6º BPM
20. CB PM José Carlos de Castro Quadros, do 2º BPM
21. CB PM Edson Lima da Luz, do 10º BPM
22. CB PM José Anilton Bentes da Cruz, do 20º BPM
23. SD PM Osmar Leornado dos Santos, do 2º BPM
Texto – Edson Gillet com informações da PJ militar
Assessoria de comunicação

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

É assim que o grupo Barbalho trata os grevista, quando é de seu interesse.
A juíza do Trabalho Karla Martins Frota determinou, nesta segunda-feira – Dia do Jornalista – a reintegração de quatro repórteres demitidos do grupo RBA [Rede Brasil Amazônia], após participarem de greve, em 2013. O grupo também foi condenado a pagar R$ 30 mil a cada jornalista, por danos morais.O grupo RBA de Comunicação é controlado pela família do senador Jader Barbalho (PMDB-PA – foto) e reúne o jornal impresso Diário do Pará, o portal Diário Online, além de canais de rádio e TV.Além destes quatro jornalistas, mais 12 grevistas foram demitidos e ainda aguardam resultado judicial. A decisão foi tomada em primeira instância e ainda cabe recurso.