9 de dezembro de 2013

BAIRRO DA LIBERDADE. A PREFEITURA NÃO ESTÁ E NEM FOI NESSE BAIRRO.

O bairro da Liberdade é um bom exemplo do adágio popular de que 'Quantidade não é qualidade!
Um bairro que sempre contou geralmente com no mínimo um vereador em cada legislatura, hoje é contemplado com três vereadores de diferentes partidos e que fazem parte da base aliada da atual gestão mas que, essa aliança e a quantidade não refletem em melhorias e qualidade de vida para o bairro.

As duas únicas grandes conquistas para o bairro foram a construção da Praça da Liberdade e do Posto de Saúde.

Quando chove, o tormento e o sofrimento são maiores.

Mesmo após a promessa de 500 pontes, o bairro ainda usa diversas pontes e passarelas de madeiras para permitir o acesso às casas dos moradores ou de uma rua para outra.

Há que se ressaltar que esse abandono não é privilégio da atual administração, mas também há que se mencionar que ANTES o bairro nunca tinha sido contemplado COM TRÊS VEREADORES!

É triste a realidade desse pacato bairro, onde as ruas são tomadas pelo mato, por imensas valas, buracos de todos os tipos e tamanhos. O bairro têm várias ruas que estão literalmente tomadas pelo mato, dando sinais de qualquer membro do Executivo ou do Legislativo tenha por lá passado após as últimas eleições.

Vereador que era assíduo transeunte das ruas do bairro, hoje está ausente. O que muito e ouve é reclamação sobre este vereador.


Assim são diversas ruas/travessas do bairro

Tubulação há quase um anos esperando ser utilizada


Próximo ao colégio D. Pedro I, há uma imensa vala contígua  ao muro, o que deixa professores e alunos apreensivos em dias de chuvas.


Quem anda por este bairro tem dificuldades, seja a pé ou motorizado, para se locomover, visto que de dez ruas/travessas, quatro estão em péssimo estado, chegando algumas a não permitir qualquer tipo de passagem, mesmo a pé, pois que estão tomadas pelo mato e entulhos, que moradores colocam nas ruas como forma de protesto.


 Pela quantidade de poças de água parada, o bairro deve ser um dos mais infestados por mosquitos de toda sorte, o que pode resultar em contágio por dengue.




Diante dessa realidade, Itaituba, no momento e daqui a cinco anos, não precisa de Estádio ou Pontes, mas de melhorias sanitárias.

É essa a cidade que queremos para os nossos turistas?

Reações:

5 comentários:

Anônimo disse...

Boa reportagem. Pontes, estádios é falácia de político, se não tem recursos pra concluir a Transamazônica no trecho Itaituba ao km 30 ( apenas 30 kms) que já vai fazer 10 anos, vc acha que o governo Federal vai liberar meio bilhão de reais para construir pontes, ou construir estádios?
Uma coisa é aprovar um requerimento ou incluir verbas em orçamento; outra coisa é conseguir concretizar e receber o valor orçado. Até conseguir, desde que tenha prestigio politico.

Anônimo disse...

Estádio Aqui Pra Que??? O Ginasio tá de bom tamanho. Prioridade é Saude, Infraestrutura e Educação. A Cidade carece de melhorias à muitos anos. Fazer Estádio sem nem time de futebol aqui tem. Vai disputar o que? Torneio de Varzea??? Ah vão se catar...

Anônimo disse...

Uma coisa é botar esse dinheiro no orçamento,outra coisa e tirar ele de lá. Agora a pergunta, o que é mais fácil a prefeita construir 500 pontes ou o Dudimar liberar 500 milhões para construir uma ponte.

Anônimo disse...

Kkkkkkkkkk!!!
Essa foi boa, mais é mais fácil eles enganarem o povo novamente e esse dinheiro ser dividido. Agora não sei com quem!!!!

Anônimo disse...

De todos as promessas feitas pelo Dudimar com essas emendas, acho que a construção do Estádio é uma obra mais realista porque não envolve tantos recursos, não acho difícil de acontecer, mas os 500 milhões para construção desta ponte é muito difícil, pra não dizer impossível.