3 de agosto de 2013

DANILO MIRANDA É DENUNCIADO NA CÂMARA DE TRAIRÃO

A Câmara Municipal de Trairão recebe denúncia com o prefeito Danilo.



A Câmara recebeu, por voto da maioria dos vereadores (6 X 5), denúncia contra o prefeito municipal Danilo Miranda, por improbidade administrativa. Segundo o denunciante, professor Delano do SINTEPP, o motorista do ônibus contratado para realizar o transporte escolar, foi pago durante dois meses pelo FUNDEB 40% e ainda que a firma M. J. Leal, que ganhou a licitação para o transporte escolar, pertence de fato à primeira dama Cláudia Leal.
Durante a escolha por sorteio dos membros da comissão de investigação e processamento, os vereadores da base do prefeito deixaram a Câmara em protesto pela forma como o presidente da Câmara escolheu os três membros da Comissão. Para o vereador Antonio Leocádio, a Comissão processante deveria ter sido escolhida na forma regimental, respeitado a proporcionalidade da bancada na casa. Porém, o presidente da Câmara mandou fazer por sorteio, posto que o “Decreto-Lei 201/67, que dispõe sobre a responsabilidade dos Prefeitos, determina que recebida a denúncia, pelo voto da maioria dos presentes, na mesma sessão será constituída a Comissão processante, com três Vereadores por sorteio e, desde logo, escolhido o presidente e o relator” afirmou José Ferrai, presidente da Câmara.
Segundo o presidente da Comissão processante, professor João Natanael, o prefeito será notificado para apresentar defesa prévia no prazo de dez dias, para em seguida a comissão emitir parecer pelo prosseguimento ou arquivamento da denúncia.
Além dessa denúncia, o prefeito Danilo Miranda está com a corda no 'pescoço' com uma ação que tramita na Justiça Eleitoral de Itaituba, com vistas à cassação de seu mandato, por propaganda institucional ilegal.

Reações:

2 comentários:

Anônimo disse...

Há alguma informação de que o prefeito do Trairão foi caçado ou algo assim?

Anônimo disse...

É como disse em alto e bom som um vereador da posição: Temos um prefeito Blindado, infelizmente são 4 anos de retrocesso.