21 de novembro de 2012

DEP. EDMILSON FALA DE LIGAÇÃO ENTRE SENADOR COUTO E ADVOGADO


Edmilson fala em ligação entre Couto e Hermógenes

Edmilson fala em ligação entre Couto e Hermógenes (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
O líder do Psol na Assembleia Legislativa, Edmilson Rodrigues, afirmou da tribuna da Casa que obteve informações “com base em fonte confiável” de que o advogado Paulo Hermógenes tem relação de longa data com o senador Mário Couto (PSDB), inclusive, já fizera campanha para o senador no município de Muaná, no Marajó, onde sua mãe já foi prefeita e seu irmão é o prefeito eleito do município, Murilo Guimarães. “É essencial que esse advogado seja chamado a depor”, ressalta o deputado.
O senador, acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público e indiciado pela justiça estadual, teve os bens bloqueados na semana passada pelo juiz do processo Helder Lisboa. Após a divulgação do bloqueio de seus bens, Mário Couto reagiu divulgando uma gravação, contendo um diálogo entre o advogado Paulo Hermógenes e ele, em que o advogado tenta extorquir R$ 400 mil do senador, supostamente em nome do juiz para que Mário Couto não seja indiciado.
Para Rodrigues, a denúncia é grave e merece apuração rigorosa e imediata. O deputado ressalta, porém, que o juiz, em matéria publicada aqui no DIÁRIO DO PARÁ, anuncia que apresentará a quebra de seus sigilos bancário, fiscal e telefônico à Corregedoria e presidência do Tribunal de Justiça do Estado. “Defendo que a Polícia Federal, Ministério Público, Conselho Nacional de Justiça e a Ordem dos Advogados do Brasil se somem para a apuração das acusações de Mário Couto”, enfatizou o deputado. Mas disse também que não se pode admitir que seja “erguida uma cortina de fumaça para prejudicar as investigações, tumultuar todo o processo e contribuir para que a impunidade prevaleça”, acentuou Rodrigues.
O deputado também ressaltou que soa no mínimo estranho que um juíz, que, de forma inédita e corajosa, concedeu a quebra do sigilo bancário do poder Legislativo, venha a se expor dessa maneira, prejudicando todo o trabalho do MPE e do próprio Judiciário. “A quebra do sigilo da AL foi fundamental para que fosse constituído um importante banco de informações, com base no qual o MP tem pedido o bloqueio de contas bancárias e de bens pertencentes a vários envolvidos desses crimes, incluindo o próprio Mário Couto”, lembrou o parlamentar.
A reportagem tentou contato com o senador Mário Couto, através da assessoria do mesmo, sem sucesso. O advogado Paulo Hermógenes também não foi encontrado para falar sobre o caso. 
(Diário do Pará)

Reações:

0 comentários: