13 de outubro de 2012

BERTOLINI POLUI AMAZONAS E TAPAJÓS


Bertolini jorra 10 mil litros de óleo nos rios Tapajós e Amazonas

Óleo jorrado pode contaminar diversas espécies de peixes e prejudicar o fornecimento dos pescados em Santarém


Crime ambiental na praia
O vazamento de óleo de um caminhão da empresa Transportes Bertolini Ltda (TBL), que aconteceu na noite de quinta-feira (11) em uma praia na grande área da Prainha, em Santarém, virou alvo de denúncia de ambientalistas e membros de várias comunidades das proximidades.
Por volta de 22h de quinta-feira, segundo fiscais do Ibama, cerca de 10 mil litros de óleo diesel vazaram de um caminhão e, após escorrer por galerias, atingiu o leito dos rios Tapajós e Amazonas. A mancha de óleo no rio foi observada até próximo ao Lago do Maicá. O vazamento em grandes proporções preocupa pescadores e moradores das proximidades.
Para um grupo de pescadores associados a Colônia Z-20, o óleo jorrado pela Bertolini pode contaminar diversas espécies de peixes e prejudicar o fornecimento dos pescados em Santarém.
Horas após do início do vazamento, homens da Marinha do Brasil e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estiveram no local, com o intuito de avaliar os impactos ambientais causados nos rios Tapajós e Amazonas pelo derramamento de óleo da Bertolini.
A Marinha deve formular um relatório sobre os danos causados pelo derramamento de óleo no leito dos dois rios que banham Santarém. Enquanto que o Ibama planeja multar a empresa Bertolini pelos impactos causados pelo óleo diesel no meio ambiente.
TRANSTORNOS – Em menos de dois anos foram registrados por órgãos fiscalizadores de Santarém dois derramamentos de óleo diesel em grandes proporções no rio Tapajós, provocados pela empresa Bertolini. O primeiro aconteceu em junho de 2001, quando milhares de litros de óleo foram jorrados no rio Tapajós. Na época, a empresa sofreu multas por parte do Ibama.
RECEIO – O receio dos moradores é que a mancha avance e atinja o lago do Maicá, que é considerado um santuário para a procriação de diversas espécies.
Ninguém apareceu para dar informações detalhadas sobre as reais causas.
Uma nota evasiva da empresa causadora do acidente, foi emitida à imprensa, pela gerente do Departamento Comercial da Bartolini, informando que o gerente da transportadora está no local, tentando resolver os problemas provocados, e ainda não sabe a quantidade de óleo despejado, e nem as causas do acidente.
Fonte: RG 15\O Impacto

Reações:

0 comentários: