25 de setembro de 2012

MATA E ESCAPA!

O Pará tem governo? Polícia? Justiça?

Policial paulista chega como turista ao Pará, mata um homem  à luz do dia, apresenta-se à polícia paraense, veste uma farda da PM para se disfarçar, recebe proteção policial, entra num avião e decola para continuar suas férias mais adiante.
De costas, vestido com farda cedida pela PM paraense, policial paulista
entra na sala de embarque para fugir da justiça. Antes, foi ao banheiro, tirou
a farda e embarcou
No blog do Xarope
Santarém - O policial rodoviário federal Carlos André da Conceição Costa, natural de Campinas (São Paulo), que matou na manhã desta segunda-feira com dois tiros de pistola o vigilante David Martins Santos, de 38 anos, residente no bairro do Santarenzinho, no município de Santarém, Oeste do Pará, após prestar depoimento na Seccional de Polícia Civil, deixou a cidade por volta das 16 horas desta segunda-feira, em uma aeronave da TAM. O crime que vitimou o vigilante aconteceu na Praça do Mirante, atrás da Escola Frei Ambrósio.

O que mais chamou atenção das pessoas que estavam no Aeroporto Maestro Wilson Fonseca, em Santarém, foi o PRF chegar escoltado por um forte aparato da Polícia Militar, sob o comando do Major Costa, inclusive estava vestido com uma farda da PM, para tentar se disfarçar e fugir da imprensa e dos familiares da vítima.

Um fato que revoltou a todos que estavam no aeroporto é que o Policial Rodoviário Federal estava rindo quando chegou no aeroporto, como se nada tivesse acontecido. Na ocasião, ele entrou com a farda da PM no banheiro do aeroporto, trocou de roupa e saiu para a sala de embarque com uma roupa comum. Todos perguntam: como é que uma pessoa mata um trabalhador, presta depoimento na Polícia e depois sai da cena do crime como se nada tivesse acontecido? O Ministério Público e a Justiça devem se pronunciar sobre o caso.

Família tenta invadir Seccional de Polícia: David Martins Santos tinha 37 anos, trabalhava na agência Martins, que presta serviços à Prefeitura de Santarém. Várias versões foram dadas até agora sobre o crime que ganhou repercussão nas redes sociais de Santarém e da região Oeste do Estado.

Segundo versão do Major Costa, da Polícia Militar, o segurança ao fazer a abordagem de três menores que estavam na praça não observou que no mesmo local estava o Policial Rodoviário, que ao se deparar com a situação pensou que se tratava de um assalto e sacou sua arma efetuando dois disparos contra o segurança que morreu no local.

Familiares e amigos de David Martins Santos foram até a Seccional de Polícia Civil acompanhar o depoimento do PRF Carlos André. A mãe da vítima, Dona Raimunda, que foi diretora da Escola José de Alencar, bastante nervosa e em prantos pedia Justiça. Outros familiares de David e amigos, mais exaltados, tentaram invadir a Seccional, mas foram contidos pela Polícia Militar, com apoio do Grupo Tático, que montou uma barreira para impedir a invasão.

Da advogada Gracilene Amorim:
O militar veio de São Paulo, matou um santareno trabalhador, saiu rindo e vestido de PM, como se ele fosse gravar uma cena de filme policial, conversando normalmente com uma escolta digna de autoridades e figuras ilustres – um aparato apoteótico – sem demonstrar um abalo sequer, um pesar.

E o delegado do caso ainda disse que não sabia que o assassino estava sendo conduzido com honras e pompas até o aeroporto.

É isso aí turistas, venham e nos matem, não precisa nem ter um motivo plausível, simplesmente nos matem e depois vocês serão honrados pela polícia santarena.
Eu não tenho palavras para expressar minha indignação!

Reações:

1 comentários:

Anônimo disse...

Enquanto APLAUDIRMOS (em sentido amplo) atrocidades como esta acima relatada, o Pará sempre vai ser visto como terra de quem/ninguém ?!
"Não queremos nossos jacarés Tropeçando em vocês", mesmo Nilson Chaves ressaltando de forma extroversa a urbanidade dos paraenses aqueles que visitam o Estado do Pará, essa urbanidade não pode ser confundida com CONIVÊNCIA dos órgãos/agentes públicos em aceitar situações absurdas e degradantes como tal... Revoltante não só atitude de ceifar a vida um trabalhador santareno deste vagabundo PRF (sabe-se lá como ingressou nesta corporação), mas o pouco caso dos próprios "conterrâneos" da PM em fazer como até vítima o "PRF" homícida... Realmente os valores estão totalmente desvirtuados neste mundo louco que vivemos..."Morro em não vejo tudo"...
Ass: Chico Jr - Piauiense que muita honraria morou quase 4 anos em Itaituba e amo o Estado do Pará.