Desperdício de dinheiro público!

Governo da Prefeita Eliene Nunes Joga dinheiro no ralo em obra que não deu certo 2 vezes (Ponto de Moto-taxi).

AÇÃO SORRISO!

Ajudando A Criar Um Mundo Melhor!

Valmir Climaco, Trabalhando Para Desenvolver a Região!

Bela Orla, calma e serena!

Uma das mais lindas paisagem desta região, o Rio Tapajós!.

23 de setembro de 2017

RURÓPOLIS/PA - HOMEM É PRESO POR ESTUPRO DE VUNERÁVEL. TÁ VIRANDO MODA!

Policiais envolvidos na operação
Foi realizada hoje, 23, por volta das 6 horas uma operação denominada “OPERAÇÃO SERPENTE”, que contou com a participação do delegado de Polícia Civil de Rurópolis, Dr. Ariosnaldo Vital Filho, do Major da Polícia Militar Márcio Abud, para cumprimento de mandado de prisão preventiva do nacional Sebastião Camargo, que é tio e padrinho de duas menores de 8 e 10 anos de idade. 

Estuprador
Os abusos ocorreram nas vicinais do São João e Ouro Verde, município de Placas e Petezinho, em Rurópolis, quando as mesmas passavam os fins de semana na casa de parentes nestes locais. Sebastião foi preso hoje cedo na vicinal do São João pelo Investigador Antônio Lira e por policiais da 17ª CIPM.

As investigações começaram no último domingo, assim que a Policia Civil teve conhecimento do crime. Foram realizadas campanas na vicinal para monitorar a chegada do agressor, uma vez que o mesmo trabalha como operador de máquinas e serviços gerais em fazendas, não tendo paradeiro certo.

O acusado agora se encontra preso e à disposição da Justiça.
Parabéns ao excelente trabalho desenvolvido pelas polícias. Agora, o caso está afeito à Justiça.



Postado por ReporterLivre

GOIÁS - DUPLA EVANGÉLICA É PRESA SOB SUSPEITA DE ESTUPRO DE CRIANÇA!

Segundo relato da vítima à polícia, casal alegava que os parentes dela poderiam morrer se não fizesse o 'sacrifício'. Eles negam abusos.
Por Paula Resende, G1 GO

Pastor e mulher são presos suspeitos de estuprar menina em Edeia (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Um pastor e a mulher dele foram presos na sexta-feira (22) por suspeita de estupro em Edeia, na região sul de Goiás. Segundo a Polícia Civil, ele abusou de uma menina da igreja que ele pregava, com a conivência da esposa, alegando combater a “maldição do sexo”. O casal nega as acusações.

O mandado de prisão temporária foi expedido após a denúncia da vítima, de 16 anos. O delegado responsável pelo caso, Quéops Barreto, explicou que os abusos começaram quando ela tinha 13 anos e duraram cerca de 2 anos.

“O pastor disse que ela deveria fazer o ‘Sacrifício de Abraão’ porque ela tinha a maldição de sexo e só quebrava com sexo. Ele falava que, se não fizesse, a mãe e os irmãos iam morrer, usava a fé e o medo”, explicou Barreto ao G1.

De acordo com o delegado, a mulher do pastor tinha conhecimento dos abusos. “As tratativas eram feitas com a esposa. Ela dizia que a vítima precisava fazer aquilo, ensinava a fazer o ritual”, relatou.

Barretos explica que o pastor abusou da menina em quase 20 ocasiões. A menina ia para a igreja, e ele a levava para a casa dele, que fica nas proximidades.

“Primeiro, ele disse que era preciso de três relações, depois mais sete e depois mais sete. Ele disse que mesmo se ela fizesse, ia permanecer virgem”, relatou.

Vítima ia para a igreja, mas o pastor a levava para a casa dele para cometer os abusos (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
A mãe da vítima não tinha conhecimento dos abusos. Na época, segundo a polícia, o pastor chegou a fazer a mesma proposta para ela, mas não obteve êxito. Assim, a mãe deixou a igreja.

Denúncia
De acordo com Barretos, a caso só foi descoberto agora porque a mãe da vítima estranhou o comportamento da filha relacionado à questão de virgindade no namoro. Ao questioná-la, a adolescente revelou o que aconteceu.

O casal está detido na unidade prisional de Edeia. Eles devem responder por estupro de vulnerável, já que ela era uma criança quando o crime ocorreu.

O delegado acredita que o casal pode ter feito outras vítimas. Com a divulgação do caso, Barretos espera que elas também os denunciem . Caso comprove as relações com fiéis com mais de 18 anos, eles podem ser indiciados por violação sexual mediante fraude.

NOVA FRIBURGO/RJ - ENCONTRO DE QUATRO AMIGOS EM MOTEL TERMINA COM UM BALEADO NA CABEÇA!

Segundo a polícia, disparo acidental foi provocado por uma das mulheres, depois que eles resolveram esticar uma festa neste sábado (23).
Por Aline Rickly e Filipe Carbone, G1 Região Serrana
Amigos foram para motel de Nova Friburgo para dar uma esticada na noite (Foto: Alex Almeida | Inter TV)

Um encontro de quatro 'amigos' em um motel terminou com um jovem de 22 anos baleado na cabeça na madrugada deste sábado (23), em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. De acordo com a Polícia Civil, o disparo acidental foi provocado por uma das mulheres depois que os quatro resolveram esticar uma festa em um motel, na RJ-130, no bairro Córrego Dantas.

O acidente ocorreu por volta das 5h. A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros em estado grave e levada para o Hospital Municipal Raul Sertã. Segundo a polícia, ele foi transferido ainda na manhã deste sábado para o Hospital da Unimed.
Jovem de 22 anos foi atingido na cabeça por disparo de arma (Foto: Alex Almeida | Inter TV)

De acordo com os policiais, a vítima foi para o motel com duas amigas, de 22 e 29 anos. Segundo elas, o jovem também chamou um amigo policial militar para o encontro. Ao chegar, o PM deixou a arma particular em cima de um móvel, mas uma das mulheres pegou o revólver e disparou acidentalmente. A informação foi confirmada para a Inter TV.

"Foi um acidente. Peguei a arma de curiosidade", disse a amiga, de 22 anos, afirmando que era muito amiga da vítima e que não faria isso propositalmente.

Após ouvir as testemunhas, o delegado Robson Pizzo, reafirmou que foi um "disparo acidental pelo uso indevido da arma de fogo".

A jovem vai responder, segundo o delegado, em liberdade, pelo crime de Lesão Corporal Culposa, quando não há intenção de matar. Ainda de acordo com Robson, a arma calibre 380 mm foi apreendida.

Com relação ao policial militar, o delegado disse que ele vai responder administrativamente à PM. O G1 tenta contato com a Polícia Militar e aguarda resposta sobre o caso.

O G1 também encontrou em contato com o hospital para saber sobre o estado de saúde da vítima, mas ainda não teve retorno.

O motel também foi procurado pelo G1, mas não se pronunciou até a publicação desta matéria.

ITAITUBA/PA - POLÍCIA MILITAR RECUPERA EM CIMA DA BALSA MOTO FURTADA!

Flavio Ferreira de Sousa - acusado

Nessa sexta-feira pretérita, o bandido Flávio Ferreira de Sousa, de 22 nos de idade, foi preso em cima da balsa que faz a travessia do rio Tapajós, na posse de uma motocicleta Honda-Bros de placa QDL-5052. O veículo, de propriedade de de Bruno Silva Souza, tinha sido furtado da frente da escola Benedito Correia de Souza por volta das 23h da última quinta-feira. 

O dono da moto, assim que soube do furto, informou em vários grupos de WhatsApp o ocorrido, o que facilitou encontrar seu precioso bem. 

Ao ser abordado por policiais militares de Itaituba, já alertados do furto da moto pelo compartilhamento da mensagem de Bruno, Flávio ofereceu dinheiro e, atrevido, ainda disse que era de facção criminosa; tudo para amedrontar os policiais, que não ligaram para sua oferta de suborno e nem para a conversa fiada de ladrão abusado, que nada falou sobre ter surrupiado a moto, mas ficará à disposição da Justiça de Itaituba. O ladrão é tão audacioso que nem chegou a trocar a placa da moto, que já está na posse de seu verdadeiro dono. 


Agora, fica um alerta aos nossos órgãos responsáveis pela segurança, para que coloquem policiais/agentes nos dois portos de embarque e desembarque da balsa, bem como, cabendo à Coordenadoria Municipal de Trânsito-COMTRI, um maior controle requerendo dos motoristas que ficam nas filas para embarque, documento de identificação de propriedade do veículo. A direção da Rodonave poderia impor aos motoristas que utilizassem sua embarcação, a apresentação pelos motoristas do documento de propriedade do veículo. Seria mais uma forma de inibir os roubos/furtos de veículos em nossa cidade.
Dr. César Aguiar no momento do protocolo da Representação
Mas o município não está inerte quanto a este ponto, posto que o Dr. César Aguiar, procurador do Município de Itaituba, protocolou semana passada junto ao Ministério Público Federal, uma representação do Conselho Municipal de Segurança Pública do município, requerendo a implantação da Polícia Rodoviária Federal em nossa cidade. Caso se consiga esse retorno, será de grande valia.



Adaptado de postagem de Breno Notícias.

BIZARRO - MULHER É ATROPELADA POR BONDE ENQUANTO FALA AO TELEFONE. PERDEU UMA PERNA!

Mulher perdeu uma perna após ser atropelada por bonde Foto: Live Leak / Reprodução
Extra

Uma mulher perdeu uma perna após ser atropelada por um bonde na Ucrânia nesta sexta-feira, segundo o jornal "The Sun". A transeunte de 40 anos atravessou os trilhos enquanto falava ao celular, ao invés de prestar atenção na sinalização para que as pessoas não ultrapassassem a faixa. Ela foi levada para um hospital, onde passou por cirurgia.

O momento do incidente, na cidade de Kharkiv, foi registrado por uma câmera de segurança. As imagens são fortes.

Na gravação, é possível ver que o veículo não conseguiu parar a tempo, atingindo a pedestre com grande força e levando-a ao chão, por onde ela foi arrastada até que o bonde parasse.


21 de setembro de 2017

OESTE DO PARÁ - MILITARES SÃO CONDENADOS POR DESVIOS EM OBRAS DA BR-163.

Coronel do Exército e mais seis são condenados por desvio de dinheiro público em obra da BR-163

Condenação se deu em julgamento do Superior Tribunal Militar. O coronel era o chefe Seção Técnica do 8º Batalhão de Engenharia de Construção em 1999.

Por G1 Santarém

Ministério Público Militar identificou que diversos serviços não teriam sido concluídos pelas empresas contratadas, mas sim pelo Exército Brasileiro (Foto: Divulgação/STM)

Há muito, muito tempo mesmo, vem-se desconfiando da eterna demora do Exército brasileiro, principalmente do 8º Batalhão de Engenharia de Construção-BEC, sediado em Santarém, nessa eterna demora no asfaltamento do trecho compreendido entre Santarém e Rurópolis , que vem causando transtornos, prejuízos e uma séria de mortes; somente quem trafega nesse pequeno trecho sabe das dificuldades; asfalto mal feito que não dura um inverno e logo se enche de buracos.

Assim, não é surpresa que em julgamento realizado na terça-feira (19), o Superior Tribunal Militar (STM) condenou o coronel do Exército, Carlos Alberto Paccini Barbosa, e mais seis pessoas - um ex-tenente e cinco civis -, por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro público em obras que estavam sob a responsabilidade do 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC), quartel do Exército sediado em Santarém, oeste do Pará.


A defesa do coronel argumentou na apelação ao Tribunal Militar, que não havia provas robustas que comprovassem o cometimento de crime por parte dele. Mas, para o Ministério Público Militar, além de provas documentais, perícias técnicas comprovaram as irregularidades.

Os ministros do STM apreciaram um dos recursos, contra a condenação dos sete réus em relação a irregularidades na execução das obras da rodovia federal BR-163, no estado do Pará, decorrente de convênio com o extinto Departamento Nacional de Estradas e Rodagem (DNER).

Após julgamento dos recursos, o tribunal condenou os réus pelo crime de peculato, com penas variando de três a cinco anos de reclusão. As fraudes resultaram em um desvio de mais de R$ 4 milhões, com a participação de coronéis e outros oficiais do Exército, além de civis, dentre eles, empresários.

O coronel foi condenado a pena de quatro anos de reclusão, por ter infringido a lei em quatro dos contratos em andamento para a realização do serviço. Um dos exemplos foi o trabalho de escavação e carga de material para o local das obras, que teve o pagamento autorizado pelo oficial sem que houvesse sido concluído: do total de 75 mil m³ empenhados, apenas foram executados 18.126,38 m³.

Obras na BR-163
De acordo com o processo, no ano de 1999, o Exército Brasileiro firmou convênio com o DNER para a realização de obras na BR-163, que liga as cidades de Santarém (PA) e Cuiabá (MT). Ao 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC) coube a execução das obras. Para realizar o serviço, o batalhão fez a contratação das empresas dos réus civis que responderam à ação penal militar.

Após constatar irregularidades na execução das obras, o Ministério Público Militar iniciou uma investigação e identificou que diversos serviços não teriam sido concluídos pelas empresas contratadas, mas sim pelo Exército Brasileiro, diretamente. Além disso, os valores acordados teriam sido integralmente pagos aos acusados civis.

Segundo o Ministério Público Militar, a conduta delituosa foi resultado de ação criminosa do coronel, que era o chefe Seção Técnica do 8º Batalhão de Engenharia de Construção. De acordo com a denúncia, o acusado, tinha a função de fiscal do contrato referente à BR-163, à época dos acontecimentos.

O coronel era acusado, entre outras coisas, de ter consignado a realização de serviços que não teriam sido concluídos pelas empresas de propriedade dos corréus civis, com a anuência de um tenente do 8º BEC, que teria liquidado os montantes de forma fraudulenta, em desrespeito à legislação, e de um ex-tenente também processado na ação penal.

Em relação ao serviço de base estabilizadora com areia, no valor de R$ 266 mil, foi pago à empresa cerca de 87% do montante, sendo que a contratada havia realizado apenas cerca de 12,65% do total exigido. Denunciados à Justiça Militar federal, os réus foram condenados na Auditoria de Belém (1ª instância), mas decidiram recorrer da decisão ao STM.

Processos
Segundo o Superior Tribunal de Justiça Militar, inicialmente os fatos faziam parte de um único processo, envolvendo 15 pessoas, e que posteriormente foi desmembrado em quatro ações penais. Um coronel do Exército, que era o comandante do 8º BEC, também foi denunciado pelo Ministério Público Militar (MPM), mas teve extinta a punibilidade em razão do seu falecimento no decorrer do processo.

Um dos processos foi instaurado para apurar irregularidades nas obras de restauração e ampliação da pista de pouso do Aeroporto de Tefé (AM), decorrente de convênio com a Aeronáutica. Na primeira instância da Justiça Militar da União, os fatos apurados resultaram na condenação de seis acusados pela prática do crime de peculato, em 2015.

Recurso ao STM
O relator do processo, ministro Cleonilson Nicácio Silva, afirmou que nos autos havia duas perícias técnicas de engenharia, realizadas no ano de 2001, em desfavor do réu. O magistrado rebateu a tese de atipicidade da conduta, por supostamente não existirem elementos característicos do delito de peculato na conduta do acusado, como arguido pela defesa.

A defesa do ex-tenente – condenado a 5 anos de reclusão – sustentou a ausência do elemento subjetivo do tipo penal na conduta do réu, pois declarou que ele teria agido de boa-fé ao confiar nos papéis que lhe eram repassados.

O relator afirmou que o militar fez a liquidação de despesas de onze notas fiscais sem qualquer documento de medição que comprovasse a conclusão dos serviços e acrescentou que ele havia confessado, em juízo, que liquidava as despesas antes da conclusão das obras.

Baseado no voto do relator, os ministros do STM decidiram, por unanimidade, descartar os argumentos apresentados pela defesa do coronel, do ex-tenente e das outras cinco pessoas ligadas às empresas contratadas, confirmando integralmente a sentença de primeiro grau.

Os civis foram condenados por obterem vantagem patrimonial ilícita em prejuízo da Administração Militar e foram condenadas a penas que variam de 3 a 5 anos.

20 de setembro de 2017

PARÁ - IBAMA CONTINUA SUA SAGA DE ASFIXIAR A INDÚSTRIA MADEIREIRA

Ibama segue asfixiando a economia da Amazônia
Agente ambiental fiscaliza resíduos de beneficiamento de madeira em serraria no Pará

Operação de fiscalização do Ibama resultou na suspensão das atividades de mais 12 serrarias nos municípios de Novo Progresso e Altamira, no Pará. Os agentes ambientais aplicaram treze autos de infração, que totalizam R$ 2,6 milhões. 

Sem poder atuar a extração de madeira, que é feita de forma legal, os agentes do Ibama estão utilizando a A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305 de 2010) para fechar as serrarias por conta da disposição da serragem.

As empresas receberam notificações que determinam a destinação ambientalmente correta dos resíduos acumulados. A retomada das atividades só poderá ocorrer quando a retirada do material dos pátios for comprovada. Os agentes constataram acúmulo de grande quantidade de serragem e aparas de madeira nos pátios das empresas. “Em uma das serrarias encontramos resíduos em pilhas de mais de dez metros de altura, que ocupam uma área de aproximadamente três hectares”, disse o analista ambiental e coordenador da operação, Amaro Fernandes.

A destinação inadequada da serragem afeta diretamente a qualidade de vida da população. “Na seca, resíduos sem tratamento comprometem a qualidade do ar e aumentam o risco de incêndio. Na chuva, o chorume produzido contamina o lençol freático e os cursos d’água”, disse o coordenador de Operações de Fiscalização, Roberto Cabral. 

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305 de 2010) proíbe o lançamento in natura de rejeitos a céu aberto.

19 de setembro de 2017

CUIDADO! - GOLPE NA INTERNET

Versão hackeada do CCleaner foi baixada por mais de 2 milhões de usuários

Código malicioso foi adicionado ao aplicativo de manutenção. Expectativa de hackers era usar sequestrador de dados e gravador de digitação.
Por Paulo Alves, para o TechTudo

CCleaner, popular programa de otimização de PCs com Windows, foi alvo de um ataque hacker. Comprado recentemente pela Avast, o software é conhecido por remover lixo eletrônico para acelerar o computador e foi baixado mais de 2 bilhões de vezes só em 2016. Segundo especialistas do grupo Talos, vinculado à empresa de infraestrutura de rede Cisco, uma versão modificada do CCleaner foi baixada por mais de 2,2 milhões ao longo de um mês. O software contém um código malicioso capaz de baixar automaticamente ransomwares (sequestrador de dados) e keyloggers (gravador de digitação).

A Avast e a empresa desenvolvedora do CCleaner, a Piriform Ltd., estão cientes do problema e já disponibilizaram uma nova versão sem infecção para download. Por enquanto, investigações indicam que, apesar do software afetado ter sido baixado milhões de vezes, não houve roubo de dados bancários ou arquivos sigilosos das vítimas.


CCleaner foi infectado por hackers (Foto: Divulgação/CCleaner)

Infecção
Segundo um relatório da Talos, pertencente à Cisco, uma versão do CCleaner disponível para download entre os dias 15 de agosto e 12 de setembro trazia um exploit embutido secretamente por hackers no instalador oficial. Ainda não se sabe como o código foi inserido no programa e como passou despercebido por Avast, Piriform e até pela Symantec, empresa que emitiu o certificado de segurança da versão 5.3.3 do aplicativo. O malware afetou os programas CCleaner 5.33.6162 e CCleaner Cloud 1.07.3191.

Os especialistas identificaram o pacote de instalação comprometido e, desde então, um novo instalador foi disponibilizado para download. A ameaça encontrada escondia gatilhos para ransomwares e keyloggers, cuja infecção poderia ser acionada à distância por hackers a qualquer momento. Acredita-se que o golpe tenha sido descoberto antes do ataque principal, que envolveria o sequestro de arquivos do computador para pedido de resgate, assim como roubo de senhas e dados bancários das vítimas.

Mesmo sem ter sido ativado por completo, o código embutido no CCleaner vazou conteúdo preliminar para os hackers. Nome do computador, lista de programas instalados e processos em execução, além de endereços MAC de até três adaptadores de rede da máquina foram alguns dos dados enviados para os criminosos. Segundo a Avast, porém, essas informações são criptografadas e não podem ser lidas pelos interceptadores.


Vídeo mostra como remover vírus do pen drive

Como se proteger
Se você tem o CCleaner instalado, a recomendação é remover o programa do computador ou atualizá-lo imediatamente. Para fazer o update e ficar protegido, visite a página do CCleaner no TechTudo Downloads e baixe a versão mais recente do instalador. Segundo Avast e Piriform, o instalador disponibilizado atualmente está livre de infecções.

Com informações da Cisco Talos

BRASIL - CHEFE PEDE EXPLICAÇÕES A GENERAL QUE SUGERIU INTERVENÇÃO MILITAR

Ministro da Defesa pede explicações a general que sugeriu intervenção militar
Jungmann ressalta que Forças Armadas estão subordinadas aos princípios constitucionais
POR RENATA MARIZ

O ministro da Defesa, Raul Jungmann - André Coelho - 12/02/2017 / Agência O Globo
BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou em nota que convocou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, para pedir explicações sobre declarações do general Antonio Hamilton Mourão, que sugeriu uma intervenção militar no país caso o Judiciário não resolva os problemas atuais de corrupção. A declaração foi dada na última sexta-feira durante palestra numa loja maçônica em Brasília.

Jungmann disse que procurou Villas Bôas "para esclarecer os fatos relativos a pronunciamento de oficial general da Força" e ainda para estudar "medidas cabíveis a serem tomadas". A nota não especifica se Mourão receberá alguma punição pelas declarações.

O general disse, durante o evento que acabou noticiado na imprensa, que os militares poderiam "impor isso", numa referência a uma intervenção militar.

“Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”, disse o general Mourão.

No comunicado, Jungmann afirmou que "as Forças Armadas estão plenamente subordinadas aos princípios constitucionais e democráticos e ao respeito aos Poderes constituídos". "E que há um clima de absoluta tranquilidade e observância aos princípios de disciplina e hierarquia constitutivos das Forças Armadas, que são um ativo democrático do nosso País", completou.

O general falou sobre uma possível intervenção militar ao responder uma questão formulada pela organização do evento, que dizia que "a Constituição Federal de 88 admite uma intervenção constitucional com o emprego das Forças Armadas".

"Excelente pergunta. É óbvio, né, que quando nós olhamos com temor e com tristeza os fatos que estão nos cercando, a gente diz: 'Pô, por que que não vamo derrubar esse troço todo?' Na minha visão, aí a minha visão que coincide com os meus companheiros do Alto Comando do Exército, nós estamos numa situação daquilo que poderíamos lembrar lá da tábua de logaritmos, 'aproximações sucessivas'."

stest

SÃO PAULO/SP - JUIZ DECIDE QUE SURRA EM FILHA COM FIO, POR PERDA DE VIRGINDADE, É 'CORREÇÃO FÍSICA'.

Um juiz de Guarulhos, na Grande São Paulo, inocentou um pai que agrediu a filha de 13 anos com um fio de televisão e cortou seus cabelos após descobrir que ela a perdeu a virgindade.

No entendimento de Leandro Jorge Bittencourt Cano, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do município, o homem "aplicou moderadamente uma correção física contra a sua filha, gerando uma lesão de natureza leve" e, portanto, a acusação de lesão corporal não se aplica.

Na sentença, o juiz escreveu que a intenção do pai era "apenas corrigir a filha" e fato foi isolado. A denúncia mostra que a menina foi agredida em 20 de janeiro de 2016 e apresentou ao menos oito ferimentos descritos como leves.

O pai, "enfurecido ao descobrir que a vítima estava em um relacionamento sério com um rapaz, passou a agredi-la com um fio de televisão, golpeando-a diversas vezes nas costas. Não satisfeito, o denunciado munido de uma tesoura, cortou o cabelo da vítima".

A denúncia da Promotoria sugere a violência de gênero, já que as agressões ocorreram porque a vítima tem "compleição física mais fraca"(??!!). No processo, o pai negou a motivação afirmando que, se tivesse um filho homem que perdesse a virgindade aos 13 anos, tomaria a mesma postura.

Para o juiz, é necessário usar "em excesso ou de modo inconveniente os meios disciplinadores, sem o que a conduta não pode ser considerada criminosa".

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) afirmou, em nota, que vai recorrer da decisão, e que a Promotoria de Justiça Criminal de Guarulhos "interpôs recurso de apelação e aguarda a total reforma da decisão pelo Tribunal de Justiça". Os nomes do pai e da vítima não foram revelado.